O AUTOCONHECIMENTO E QUALIDADE DE VIDA



O AUTOCONHECIMENTO E QUALIDADE DE VIDA

O autoconhecimento é uma ferramenta de transformações pessoais. Estas transformações ou realizações variam com o grau de aprofundamento que a pessoa possa atingir. Os relatos são os mais variados sobre estas transformações internas. Estas transformações internas exigem esforços, para os quais, muitos de nós ainda não estamos dispostos a realizar. Uma das questões é o desapego. Desapego no sentido de atividades e hábitos cultivados com zelo, durante tantos anos.

Mas o autoconhecimento não é novidade. Relatos de alguns gurus, falam que desde os Vedas, na antiga Índia (4.000 a.C.) já existia este tipo de busca. O livro do Bhagavad Gita de origem hindu, que retrata a luta entre Arjuna e Krishna, busca falar desta conquista que na verdade simboliza uma verdadeira guerra entre as imperfeições pessoais e as luzes que jazem em nosso interior. Avançando um pouco surge o Tão Te King, que orienta o homem a seguir sempre pelo caminho do meio. Nem abstinência nem excesso, mas o meio de todas as coisas. Ambos livros retratam o esforço de superação das próprias imperfeições. Que segundo Mohandas Gandhi: são as mazelas do próprio mundo.

Quando o indivíduo parte em direção de si mesmo, no mergulho ao próprio mundo interior – sem o impulso da dor[1] mais intensa – ele descobre infindáveis caminhos pelos quais poderia ter-se adentrado, cuja influência seria uma melhor qualidade de vida. Identifica o tempo que desperdiçou com outras coisas menos importante que a sua própria conquista interior. A volúpia do mundo moderno não nos deixa tempo para que cuidemos de nós mesmos. Este movimento de centrar-se[2] parece distante, mas está perto de nós mesmos sendo a conquista das conquistas.

Ao falarmos da motivação pela dor, queremos sinalizar alguns portadores de doenças graves como o câncer, a aids, amargam por terem sido tão imprevidente com o próprio corpo. Muitas vezes, cuida-se excessivamente da aparência, daquilo que os outros poderão ver, e se descuida do mais importante: o brilho interior. Quantas dores de barriga precisamos passar para entender que não podemos comer muito vatapá, por exemplo! Quantas gripes precisamos enfrentar até entendermos que precisamos repousar e aumentar nossa vitalidade interior?

Nos últimos trinta anos do século passado, uma série de estudiosos, de áreas variadas, se dedicaram mais diretamente nesta direção. Estes apresentam uma série de roteiros e caminhos que variam com suas fontes de pesquisas estudos.

O Dr. Pierre Weil parece ser um dos mais completos estudiosos desta matéria. Escreveu sólidas obras, baseadas em investigações pessoais, entrevistas e pesquisas que envolveram os trabalhadores das minas de carvão da África do Sul aos Mestres Tibetanos do Himalaia. Ele fala sobre a importância da visão Sistêmica, Transdisciplinar, Holística. Apresenta orientações sobre os níveis de consciência segundo os quais as pessoas podem identificar o seu estágio evolutivo seu e das demais pessoas; influenciando esta nas relações interpessoais. Os estados de consciência também fazem parte do seu campo de investigações.

A psicóloga Italiana Ângela Maria La Sala Bata tem uma vasta obra que traz orientações nesta linha. Uma das suas principais características é o modo simples com que fala de temáticas tão complexas como: os temperamentos humanos, a consciência, distúrbios do subconsciente, as crises de maturação, a maturidade afetiva, os mistérios da autoconsciência numa maestria que mistura sensibilidade, disciplina e afeto. Em algumas de suas obras, são apresentados exercícios no sentido deste desenvolvimento interior, que o próprio leitor pode praticar.

O Psiquiatra Stanislav Grof (1994), um dos fundadores da Psicologia Transpessoal, ao investigar pacientes utilizando o LSD, identifica outros campos de estudos da consciência. Utilizando o paradigma holográfico, faz uma nova descrição das possibilidades de atuação e manifestação da consciência. Tem uma obra peculiar: "Além do cérebro: nascimento, morte e transcendência em psicoterapia". Realizou conquistas e descobertas que descortinaram horizontes para além das funções fisiológicas da caixa craniana. Os fenômenos de EQM – experiências de quase morte, faz-nos pensar que existe algo além do cérebro. Este sobrevive e é independe deste para viver. Estas pesquisas inspiraram o filme: "Linha mortal", no qual estudantes de medicina provocam paradas cardíacas de alguns minutos e em seguida reanimam os batimentos cardíacos. Com o colega desperto, fazem indagações sobre as percepções e registros no momento em que estavam "mortos". Ou seja, somos uma alma, um espírito, um ser que transcende aos referenciais de medidas cartesianas.

O educador Sri Aurobindo que "chega" ao Brasil no começo de década de setenta. Sua Chegada por ter sido introduzido pelo bailarino alemão, professor da escola de dança da UFBA,prof. Rolf Gelewski, Já falecido. Fundador da Casa Sri Aurobindo, em Salvador e ampliando-se pela década de oitenta por todo o território nacional. Aurobindo desenvolveu a Ioga Integral, na Índia, cujo trabalho resultou na fundação de Auroville: uma vila montada seguindo os princípios Educação Integral. Ele afirmava que o mergulho interior nos faz saber que podemos evoluir de maneira integral. Este abrange cinco aspectos do ser interior: o corporal, o mental, o ético, o emocional e o espiritual.

Estes aspectos não estão separados, e não podem ser desenvolvidos separadamente. Esta "divisão" se dá apenas por caráter didático. Você concentra mais atenção em um dos aspectos em alguma atividade ou exercício, mas dizer que se deixa de ser emocional por estar exercitando o aspecto mental não é um pensamento correto.

Embora não siga uma linha mais específica de desenvolvimento pessoal, como escalona o Sri Aurobindo, existe um outro músico, educador, teatrólogo, poeta chamado Rabindranatha Tagore cujas publicações buscam orientar este caminhar voltado ao mundo interior, ao mundo do espírito. Apesar de ter formação em Londres,prefere abandonar a cidade moderna, retornar aos campos da Índia antiga, onde tanto pode aprender com contato mais direto com a natureza, sua eterna mestra. Tagore ganha prêmio Nobel de Literatura em 1913, e tornou-se mundialmente famoso com seu livro: "Gitanjali" (Oferenda Lírica). Fundou escola superior de Filosofia, que mais tarde tornou-se uma universidade em suacidade natal.

O autoconhecimento a nível pessoal, é um exercício que vem descortinar uma série de possibilidades e belezas, proporcionais ao grau de mergulho que o indivíduo venha a atingir.

Não acreditamos que exista um caminho, um roteiro, a técnica, pois a riqueza cultural planetária neutraliza este pensamento. As observações e pesquisas nos levam a crer que existam os caminhos, os roteiros, as técnicas. Estas podem dinamizar algo extremamente particular e pessoal: a descoberta de si mesmo. Também não acreditamos que existam as famosas: "Etapas do crescimento interior" ou coisas deste tipo. Tudo vai depender da cultura, da maturidade, do grau de conhecimento e experiência que o indivíduo tenha vivenciado.

Quando o indivíduo decide trilhar os caminhos insondáveis do próprio eu, precisa estar preparado para defrontar com aspectos que ignorava, que desconhecia e, muitas vezes, procura esconder de alguma maneira. Existe um grande medo que carregamos dentro nós mesmos: o medo de se descobrir.

A sociedade mecanicista, pragmática, capitalista impossibilita que o indivíduo pare um pouco e respire. Sim, respire! Segundo a psicóloga carioca Sandra Celano (2000, 62) este parar e respirar com consciência ajuda ao organismo em sua autoregulação, ou autopoiese (CAPRA, 1996, 136). Somos uma estrutura psicobiofísica que possui mecanismos próprios de busca do equilíbrio e da harmonia interna. A respiração é uma das técnicas que podem ser aplicadas para o autoconhecimento, e também elevação do próprio ser.

O parar um pouco antes da hora de dormir ou de sair para o trabalho têm o seu valor. O refletir sobre a própria existência, fazendo indagações básicas e simples sobre a vida e o viver, o relacionar-se podem minimizar dores e problemas futuros. O Porfessor José Hermógenes orienta: se você vai tomar banho, diga ao sei corpo: vou tomar banho. Se vai trabalhar, informe ao seu corpo: vou trabalhar, e assim por diante. Esta proposta da Yoga vem orientar o estado de consciência que precisamos comunicar ao nosso ser, tornando-nos mais presentes onde estejamos, realizando o que estejamos a realizar.

As caminhadas no bosque, noturnas ou matinais, cada uma com suas peculiaridades[1] podem ser um outro roteiro simples, porém eficaz para o processo de autodescoberta. Se quando caminhamos, ao invés de comentários sobre o mundo exterior, escolhermos perguntas e observações pessoais, em breve estaremos com o nível de consciência mais lúcido. Esta lucidez nos devolve a liberdade e decisão de uma série de atividades que estavam "nas mãos" de terceiros[2]. Pode-se iniciar o exercício observando a maneira própria de caminhar; o ritmo respiratório; a maneira como os pés tocam o chão; a coordenação entre braços e pernas; procurando manter a coluna ereta, os ombros relaxados, enfim, fazer uma avaliação geral do nosso desempenho pessoal. Depois que atingirmos níveis considerados importantes, podemos passar para outros aspectos que envolvam: ética, concentração mental, estados emocionais, e percepções espirituais. Este é o contexto de desenvolvimento integral orientado por Aurobindo.

Quantos de nós nos identificamos com determinados tipos de livros, de filmes,de festas, de roupas, de alimentos, etc. São outros sinais indicativos do nosso eu. Estas anotações podem nos ajudar a identificar o nível de consciência que predomina em nossa vida. Em uma de suas obras o Psicólogo Pierre Weil (1999) apresenta este estudo, indicando tabelas e correlações entre inúmeros aspectos da vida e os níveis de energia[3]. O próprio leitor pode fazer suas avaliações de inclusão neste ou naquele nível de consciência, e traçar planos de evolução.

A consciência possui várias definições. Neste estudo estamos optando pelo paradigma transpessoal, por entendermos que seja, no atual momento, um referencial epistemológico transdisciplinar(BATA, GROF, WEIL, WILBER).

A vida possui características próprias. Dentre as quais, os processos evolutivos parecem figurar dentre as primordiais. Evoluir[4] pode ser despertar algo que estava adormecido em nosso mundo interior. Esta despertar pode ser programado, organizado, planejado. Geralmente fazemô-lo de forma inconsciente, mas pode se tornar um ato consciente.

Alguns empresários, gerentes, homens de negócio sondam muitas variáveis antes de fazerem seus investimentos, pois sabem dos riscos de flutuação que os mercados de valores oferecem. A polícia está a todo momento deparando-se com casos novos que exigem estudos, planejamentos diferenciados para que suas investidas tenham mais sucesso. A arquitetura, o designer, a moda também buscam acompanhar os avanços tecnológicos, ou perdem mercado. Todos estes esforços são realizados, como já dissemos, para conquistas exteriores, uma vez que os gastos/investimentos são elevados.

Caso um empresário investisse um pouco do seu precioso tempo numa alimentação mais sadia, ou que pudesse participar de sessões de meditação, poderia evitar a gastrite, a úlcera gástrica, dentre outros males. Segundo Pierre Weil, são disfunções do chakra[5] esplênico que atua no estômago e regula as funções digestivas. O medo, a inveja, o ciúme são seus degradadores.Cultivar estas emoções ou realizar investimento de tempo pode provocar doenças outras.

Nos outros casos são as inquietações por não poder acompanhar a moda. Escutamos uma pesquisadora dizer que nas casas humildes que visitou em sua pesquisa de campo, algumas destas não tinham o filtro d'água, mas tinham uma Televisão,numa completa inversão de valores. Estes modismos, estas "buscas por coisa nenhuma" deixam um vazio, uma inconformismo. Em alguns casos, o álcool, o cigarro, o sexo desregrado servem de compensação ou válvula de escape.

Caso a pessoa faça as escolhas certas, com certeza, estará evitando uma série de problemas ou adiando outros. Temos um amigo de 62 anos que teve um infarto dormindo. O médico disse que seu organismo só resistiu por ele ser atleta. Este amigo joga na seleção de basquete dos veteranos do seu clube. Todos sabemos dos benefícios das práticas desportivas, mas bem poucos de nós nos dedicamos aos cuidados do corpo e disciplinas[6] com o nosso corpo.

Este foi a configuração da maioria do pacientes do Hospital de Clínicas de Curitiba[7]. Nosso projeto de Qualidade de Vida buscava reorientar a vida na ala dos idosos. Pessoas que alimentaram diversos vícios – o mais comum era o cigarro – durante sua juventude, e hoje amargavam horas de desintoxicação, problemas intestinais, hepáticos, dentre inúmeros outros casos. Como funcionou nossa atuação: após uma entrevista multidisciplinar, eram escolhidas as terapias mais indicadas para o caso em estudo. Então foram: palestras, mini cursos de reorientação, massagens, cromoterapia, acupuntura, uso dos florais,trofoterapia, ludoterapia, geoterapia, capoeira, dança, yoga e muito afeto. Pois muitos destes idosos foram abandonados pelos familiares, que muitas vezes, fazem seus registros com nomes e endereços falsos, para não mais serem procurados pelos agentes sociais do hospital.

Foram seis meses de intensas conversas com as equipes médicas, pois estávamos entrando em um espaço formal, mecasnicista, pragmático, com terapias alternativas. O interessante é que em muitos paises ocidentais desenvolvidos como: Alemanha, França, Inglaterra estas terapias vêem ganhando espaços, obtendo reconhecimentos, inclusive pela própria OMS[8].

Muitos quadros tiveram melhoras significativas. Estas foram noticiadas pela imprensa local, possibilitando, ano depois a criação do dia municipal do Terapeuta Naturologista.

A reflexão nos depoimentos de quase todos os alunos que fizeram parte do projeto, uma frase chamou nossa atenção: "Se este paciente tivesse evitado isto, ou deixado de fazer aquilo, poderia não estar nesta situação". Daí a importância do autoconhecimento para uma melhor qualidade de vida.

Esta qualidade de vida é a conquista da paz interior. O indivíduo em paz consegui bons relacionamentos. Com os bons relacionamentos, ele pode conseguir melhores posições sociais. Muitos ainda acreditam que qualidade de vida seja um apartamento de luxo, uma casa de praia, um carro do ano, dentre ouros confortos da sociedade tecnológica. Estas conquistas são decorrência de outras mais profundas, estáveis.

Claro que o conforto desta sala não pode ser comparado com a floresta amazônica; que os de meios de comunicação modernos são importantes; que quem pode ter seu carro, que o tenha sim! Mas fazer disto a sua única meta de vida, pode trazer frustrações pelo resto da existência. Quem aqui não gostaria de ter a fortuna de Bill Gates? Mas muitos de nós não teria feito metade dos esforços que ele fez, ou acreditar no sonho dele: "Todas as residências precisará ter um computador". Isto ele pensou em 1981, quando o transistor mal tinham nascido, e os computadores ocupavam andares de prédios...

Acredito que seja possível realizar mudanças para que construamos juntos, um futuro melhor para nossos netos.

Obrigado e muita paz para todos.

Referencial teórico

1.BATÀ, Angela Maria L. S.Guia Para o Conhecimento de Si Mesmo.São Paulo : Pensamento, 1995.

2.CAPRA, Fritjof.A teia da vida.3. ed.São Paulo : Cultrix, 1996.

3.CELANO, Sandra.Corpo e mente na Educação.2. ed.Petrópolis : Vozes, 2000.

4.Dicionário Aurélio Eletrônico – Século XXI – Versão 3.0 – novembro 1999.

5.GELEWSKI, Rolf.Educar para o Futuro.Salvador : Publicado pela Casa Sri Aurobindo, 1978.

6.GELEWSKI, Rolf.Em direção a Nova consciência.Rio de Janeiro : Três, 1973.

7.GROF, Stanislav.A mente holotrópica: novos conceitos sobre Psicologia e pesquisa da consciência.Rio de Janeiro : Rocco, 1994.

8.HERMÓGENES, José.Yoga para nervosos.33. ed.Rio de Janeiro : Nova Era, 1998.

9.TAGORE, Rabindranath.Sadhana: o caminho da realização.São Paulo : Paulus, 1994.

10.WEIL, Pierre.A visão Holística.In: _____.A neurose do paraíso perdido.3. ed.Rio de Janeiro : Espaço e Tempo, 1987.

11.WEIL, Pierre.Os principais estados alterados de consciência.In: _____.As fronteiras da evolução e da morte.6. ed.Petrópolis : Vozes, 1999.

12.WILBER, Ken.Uma teoria de tudo: uma visão integral para os negócios, a política, a ciência e a espiritualidade.São Paulo : Cultrix, 2003.



[1] Estas dizem respeito aos animais, aos odores das plantas, temperatura e luminosidade do bosque.

[2] Todo o poder da mídia dizendo o dia de comprar, de ir ao cinema, de tomar sorvete, e até a hora de dormir.

[3] Nível de energia psíquica.

[4] "Conjunto de mudanças ou modificações sucessivas que fazem surgir algo que de início era apenas potencial" AURÉLIO.

[5] Pode ser traduzido como centro de energia psíquica. Hoje existe vasta literatura sobre este assunto.

[6] Sai Baba diz que: "Devemos dormir e acordar todos os dias na mesma hora". Quem de nós quer levantar domingo às05:30 h?

[7] Hospital Escola do Curso de Medicina da Universidade Federal do Paraná.

[8] Organização Mundial de Saúde.


[1] A maioria das pessoas só reconhecem que precisam mudar de vida quando um grande mal lhes chega ao organismo.

[2] Como orienta em suas obras Sri Aurobindo, Theilhar Chardin, Ângela Bata.


Autor: Washington Bacelar