A Sonegação Fiscal e a Corrupção no Brasil



Os problemas com sonegação fiscal, no Brasil, já é assunto esgotado, porém nos últimos dias muito se tem falado nisso com a condenação da empresária, dona da grife Daslu, que acabou condenada a 94 anos de prisão. Alguns articulistas e jornalistas, em quase todo o país, fizeram uma comparação com a condenação dada ao bandido da luz vermelha que, após ter uma ficha intensa de crimes, pegou, na época de sua condenação, uma pena menor que a da empresária.

É fato de que os crimes relacionados com a sonegação fiscal estão sendo condenados com penas, essencialmente, severas. Mas isso é um assunto que causa náuseas, pois no Brasil, não se pune por corrupção que é um crime tão nojento quanto a sonegação fiscal. Só que a sonegação, muitas vezes, é praticada por pessoas que não são do meio político. E, por isso, os fatos não têm como acabar em pizza.

O roubo praticado contra o Brasil só foi condecorado com informações, aos quatro contos do país, no caso daquela famosa servidora do INSS, que acabou condenada e, hoje, ninguém sabe se está mesmo presa ou não. Tudo o que se sabe, hoje, sobre este fato é que ela cumpre prisão albergue. Outro personagem conhecido pelo povo e que roubou o Brasil, foi o juiz do trabalho de São Paulo, aquele que superfaturou as obras da construção do Palácio do Trabalho em São Paulo.

Depois disso, muitos outros roubos aos cofres públicos, ou seja, ao nosso dinheiro foram praticados e noticiados pelos jornais e revistas do país, mas, até hoje, não se sabe que fim teve e se houve ou não punição. Quem não se lembra dos desvios de dinheiro da prefeitura de São Paulo durante a gestão de um grande político do Estado e do outro, menos populista, mas esperto também. Será que acabou em pizza?!

Apesar de muitos dos problemas ocasionados por quem rouba o Brasil, como menos medicamento para quem precisa; menos hospitais; etc, tem um outro lado, os negócios para quem trabalha com pizza podem ir muito bem, pois os políticos, em todo o mundo, são, essencialmente, ricos e, com as corrupções a serem resolvidas, haja pizza.

Apesar de o fato acabar sendo motivo de piada, essa história de sonegação, desvios de dinheiro, isso tudo, é muito mal para o Brasil. O povo tem que ser respeitado. Já está na hora de colocarmos nossa opinião ao público em geral. Infelizmente ou felizmente o brasileiro é modesto, pacato, aceita tudo normalmente, como se tivesse sangue de barata e, com isso, os políticos; os corruptos deitam e rolam diante da passividade do povo.

É preciso conscientizar as pessoas para promoverem movimentos, passeatas, colocar a boca no trombone, protestar. O poder público tem que saber que paciência tem limites. Apesar de sermos passivos, somos pessoas e, as pessoas, normalmente, são respeitadas. Com a atitude de muitos dos nossos políticos, até parece que somos otários. Eles não entendem que passividade é, muitas vezes, uma atitude de bom senso, coisa que acaba faltando a eles.

Mas, nem tudo está perdido, apesar do erro da promotoria de São Paulo dizer que a justiça foi feita, o caso Daslu pode até ter uma outra repercussão, mas a verdade é que a corrupção continua e a ela a justiça também continua... Continua capenga, inoperante, insuficiente. Enquanto isso, o povo continua assistindo somente o que a imprensa quer relatar, porque até as verdades, em alguns casos sigilosos, acabam em chopp, em pizza, em churrasco... Numa verdadeira festa!


Autor: Waldir Rosendo