A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO TECNOLÓGICA NAS EMPRESAS



NECESSIDADE DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

 

A necessidade que as empresas possuem de inovar em um mercado cada vez mais informatizado, se tornou para algumas organizações um desafio que exige uma parte bem elevada de seu investimento, tanto na implantação de tecnologias compatíveis, quanto na seleção e capacitação de pessoas na operação das mesmas. Nos tempos atuais é quase impossível uma empresa não dispor de um sistema informatizado com um software ou tecnologia adequada a atender as demandas e necessidades dos processos internos.

As inovações tecnológicas são possibilidades de competitividade entre as empresas, almejando estratégias e melhorando a qualidade. Esses fatores são fundamentais para concretizar a gestão de conhecimento e as capacidades de interatividade no mercado.

 

Imaturidade profissional é pensar que a inovação tecnológica é um processo que deve estar presente somente nas organizações e empresas de primeiro mundo. O ato de inovar está presente quando a empresa conscientiza da necessidade e importância da tecnologia para produção de bens e consumo de qualidade.

 

As empresas de projetos de softwares administrativos vêm aumentando cada vez a produção de programas específicos de gestão de banco de dados ou até mesmo de gestões mais complexas como Balanced Scorecard mantendo um banco de dados de seus clientes, cadastro de fornecedores, controle de contas a pagar e a receber entre outras funções.

 

Podemos acompanhar claramente como os meios de tecnologia surgiram para revolucionar o quadro das organizações, tomando como base alguns exemplos de relações comerciais no decorrer da história.

 

Quando não existia a moeda, o escambo era uma forma que as pessoas adotavam para atender as necessidades uma das outras, que consistia na troca de bens, os quais eram produzidos na terra de certa pessoa, e o que excedia trocava com outras que produziam o que ela não tinha. Eis aqui o início do comércio, mas nesse processo não havia um cálculo exato que daria o resultado que dez arrobas de feijão equivaleriam a cinco de trigo.

 

Agora imaginem um comerciante ambulante de volta a uma “cidade cliente” pela segunda vez, certo que terá o mesmo índice elevado de vendas alcançado anteriormente. Mas como o nosso aventureiro vendedor não tinha uma ferramenta capaz de medir o grau de aceitação e satisfação que o seu produto trouxe aos clientes, dessa vez não teve grandes lucros.

 

Outro exemplo que comprova que a inovação tecnológica não poderia deixar de existir, é a forma em que os comerciantes de pequenas mercearias controlavam seus clientes que compravam em longo prazo. Era mantida a famosa “caderneta” que constava a relação dos produtos adquiridos a cada compra, limitando-se apenas em anotar no alto da página o nome do cliente (às vezes apenas o primeiro nome ou apelido). Vemos que não havia um banco de dados completo daquele cliente, às vezes não tinha nem mesmo o endereço do mesmo.

 

Observamos nesses três exemplos a falta de ferramentas que poderiam agilizar os processos e a segurança de dados indispensáveis para uma relação entre empresa e cliente. Hoje dispomos de programas avançados que controlam por meios estratégicos como está a aceitação e satisfação do cliente que adquiriu certo produto, ou o que poderia ser mudado para que o produto venha a atendê-lo. Nos grandes hipermercados nos deparamos com softwares avançados que tem um controle geral de todo o processo de comercialização de um produto, desde o seu orçamento, compra, entrada e saída no estoque até a sua saída no caixa. Mas talvez a ferramenta mais essencial que a evolução de softwares trouxe para as organizações foi o acesso às informações detalhadas de seus clientes, mantendo um alto relacionamento com cada um deles. Podemos identificar as suas necessidades, preferências ou gostos e assim dedicar um produto customizado para uma classe específica de clientes.

 

Podemos afirmar que toda inovação surge no intuito de atender necessidades de indivíduos ligados diretamente ou não a uma organização de pessoas, sendo ela formal ou informal, sendo para fins lucrativos ou não, mas certamente o resultado é sempre satisfatório para todos envolvidos.

 

Nas últimas décadas tem aumentado o número de implantações de softwares que permitem a agilidade no processo de gestão das empresas e, paralelamente o aumento de novos segmentos de mercado, pois cada instante surge um novo conceito de tecnologia que venha a inovar os sistemas de uma organização, trazendo com isso atualizações indispensáveis para os softwares instalados. Mas para que isso seja implantado na velocidade que o mercado exige, é necessário que o fornecedor de seus softwares seja capacitado para acompanhar de perto as necessidades da empresa, identificando a melhor forma de inovação para aquele segmento.

 

Devemos observar que a utilização de softwares administrativos nas empresas tem aumentado muito, principalmente nas áreas de gestão organizacional tem manifestado um positivo crescimento gradativo, mas devemos tomar alguns cuidados no processo de implantação dessas tecnologias.  Fazer uma pesquisa de mercado para perceber a satisfação dos clientes que já adquiriram determinada tecnologia, e o grau de confiabilidade e compromisso com o mercado.

 

A implantação de um sistema que satisfaça as necessidades globais de uma empresa deve ser feita através de pessoas qualificadas, as quais agirão como verdadeiros consultores. A princípio esse consultor buscará uma empresa renomada no mercado e de qualidade elevada, observando alguns fatores importantes: descartar softwares já prontos, exigindo alta customização, analisar se o suporte técnico é adequado e possui técnicos capacitados, exigir treinamento intensivo para os usuários do programa instalado e em uso, acompanhamento de consultores eficientes capazes de identificar possíveis erros e adequar o sistema para o correto funcionamento.

 

Um dos fatores resultantes do insucesso da implantação de um software na organização é justamente quando a empresa não observa as questões acima e acabam contratando softwares de baixo custo, não atendendo, portanto, suas perspectivas. São empresas que não dispõem de um treinamento adequado após a instalação do software, às vezes nem mesmo o consultor vai até o cliente para instalá-lo, visto que o processo de instalação é “fácil”. Outro ponto é que não há um acompanhamento para avaliar as dificuldades encontradas pelos usuários e talvez o cliente não possua usuários capacitados para operar o sistema.

 

Enfim, o que a empresa faz pelo cliente está dentro do que lhe é pago pelo produto. Portanto, implantações tecnológicas geram grandes investimentos, mas com retornos enormes. Se as organizações não estão destinadas a investir nesta área, não terão como sobreviver em um mercado que está cada dia mais inovador, visto que o tempo das propostas burocráticas já está extinto, visto que a tecnologia tem o papel de inovar cada vez mais as estratégias e possibilidades do mercado de administração das grandes e pequenas organizações.

 

 

 

GESTÃO E SOFTWARES: ALIADOS DENTRO DA ORGANIZAÇÃO

 

 

Gerir é o ato de gerenciar, administrar, dirigir, reger. São várias as formas de gestão encontradas no mundo contemporâneo, mas todas focadas nos objetivos e resultados das organizações. A gestão estratégica tem a finalidade de identificar, analisar, executar e avaliar os processos e métodos utilizados pelas organizações para alcançar seus objetivos e resultados, bem como na tomada de decisões. Diante da complexidade de dados e informações colhidas nesse processo, é imprescindível o uso de um sistema de informação estratégico, composto de ferramentas responsáveis pelo processamento de dados em informações, gerando resultados necessários para a gestão empresarial.

 

A utilização de um sistema informatizado de gestão vai além de um simples controle ou relatório que chega às mãos de um gestor ou administrador, onde estes identificam se os objetivos ou resultados foram alcançados e qual a melhor forma de agir diante de uma situação não prevista. A gestão através de softwares deve ser tratada como uma filosofia dentro da empresa, visando reunir o máximo de informações dentro de suas perspectivas.

 

Um software adequado para uma organização que pretende alcançar sucesso e destaque competitivo, deve ser capaz de reunir informações diversificadas dentro da perspectiva de cliente, processos internos, objetivo financeiro e técnicas de inovação e crescimento.

 

Analisando a abrangência que a aplicação de um software traz para os diversos setores da empresa, podemos concluir que a gestão de uma organização está ligada diretamente à tecnologia aplicada. Com ajuda de um sistema de gestão, como o Balanced Scorecard, a empresa possui uma prescrição clara de como equilibrar a perspectiva financeira. Essa mesma tecnologia traz para a organização visão e estratégia que são traduzidas em ação, podendo ser aplicados em seus processos internos, gerando qualidade e excelência para seus produtos. Outra perspectiva que a empresa sai na frente é a fidelização e bem estar de seus clientes através de agentes facilitadores de relacionamento.

 

Um fator importante em um sistema de gestão é a capacidade que possui de enxergar estratégias de crescimento e inovação, visto que o software está dirigido para fatores que criam valores a longo prazo, tendo uma visão dos objetivos da empresa.

 

A empresa alcança seus objetivos e resultados com eficiência e eficácia quando valoriza a questão tecnológica aplicada a sua organização, pois uma gestão estratégica requer a utilização de software apropriado.


Autor: Eduardo Coelho