IGREJA COMO EDIFÍCIO, CORPO E NOIVA DE CRISTO



Há poucos dias (01/08/2009) participei de um concílio para organização de uma igreja, a Igreja Batista Boas Novas em Missal. Nesse dia tive o privilé-gio de ser o examinador no concílio.

Uma questão que sempre aparece nessas ocasiões é: O que é Igreja? E a resposta mais comum que ouvimos é que a igreja é um grupo de pessoas salvas, regeneradas e batizadas que se reúnem em um determinado local para louvar a Deus. E está certíssimo, ainda que tal resposta possa não refletir tudo o que a igreja é.

Outros há que falam da igreja fazendo comparações, e, então, a igreja é vista como um exército, um hospital, uma comunidade de gente feliz, uma ilha de amor num mar de desafeto e competição, e por aí vai. E todas essas figuras nos dizem alguma coisa sobre a igreja.

A Bíblia também tem as suas figuras para falar sobre a igreja, figuras essas que nos transmitem mensagens importantes acerca da mesma.

Hoje quero analisar brevemente com os irmãos três figuras: a figura do edifício, a figura do corpo e a figura da noiva.

1. Primeiramente vejamos sobre a igreja como um edifício.

O texto que apresenta a igreja como edifício é 1 Coríntios 3.9. Nesse texto Paulo diz aos crentes de Corinto: “Vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus”.

Tem duas figuras aí, mas vamos ficar apenas com a figura do edifício.

O que é um edifício? Ora, todos sabemos que um edifício é uma cons-trução. Pode ser um arranha-céu ou uma casa; ambos são edifícios. Podería-mos dizer ainda, talvez de forma mais completa, que um edifício é uma cons-trução planejada sobre um alicerce firme com a finalidade de abrigar ativida-des humanas.

A igreja como edifício, no caso, espiritual, tem o seu alicerce firme. Qual é? Se você respondeu que é Jesus, sua resposta está certíssima. Escrevendo aos Efésios Paulo diz que eles, depois de serem alcançados pelo amor de Deus, já não eram “... estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos Santos e da família de Deus; edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor,” (Efésios 2:19-21 RC). Em outras palavras, os apóstolos lhes apresentarem o fundamento, o alicerce da vida espiritual – Cristo – e eles, agora que estavam em Cristo, esta-vam sendo nele edificados.

Cristo é o alicerce, e isso significa que para você fazer parte da igreja você precisa estar “sobre” ou “em” Cristo. Não adianta nada ser membro de uma igreja “no papel”, se você não está em Cristo. É como um tijolo que está depositado nos arredores da casa, no terreno da casa, mas não faz parte da casa.

Mas ainda a igreja como edifício espiritual tem a sua planta, o seu planejamento. E qual é a planta? Qual é o “manual de construção”? Se você respondeu que é a Bíblia, então você acertou mais uma vez. Paulo, escrevendo a Timóteo, o orienta a conservar o “modelo” das sãs doutrinas (1 Tm. 1.13). A igreja, como edifício espiritual, precisa ter a Bíblia como sua única regra de fé e conduta. A Bíblia, e só a Bíblia, por ser ela a Palavra de Deus, por ser ela, como bem disse alguém, a autoridade de Deus em linguagem humana, deve reger a conduta daqueles que fazem parte do povo de Deus, da igreja.

Mas ainda a igreja, como edifício espiritual, tem como finalidade abrigar, na terra, as atividades divinas. E quais são essas atividades? Se você respon-deu, dentre outras coisas, evangelismo, discipulado, serviço... você acertou mais uma vez. Você acertou em dar a resposta, mas, pergunto: tem acertado em deixar que Deus o use para a execução de atividades como essas?

Vimos então que a igreja como edifício espiritual tem o seu alicerce fir-me, que é o Senhor Jesus e que só faz parte da igreja quem está sobre ou neste alicerce; a igreja tem o seu modelo, que é a Bíblia, a Palavra de Deus, e só ela deve reger a conduta daqueles que estão edificados sobre o alicerce que é Cristo; e a igreja como edifício espiritual tem por finalidade abrigar as atividades divinas, isto é, ser usada por ele para a execução daquilo que Ele quer fazer neste mundo.

Passemos agora à segunda figura:

2. A igreja como corpo.

Alguns textos que apresentam a igreja como corpo são:

“Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros.” (Romanos 12:4-5 RC)

“Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também. Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito. Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. Se o pé disser: Porque não sou mão, não sou do corpo; não será por isso do corpo? E, se a orelha disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; não será por isso do corpo? Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde estaria o olfato? Mas, agora, Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis. E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Agora, pois, há muitos membros, mas um corpo. E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça, aos pés: Não tenho necessidade de vós. Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários... para que não haja divisão no corpo, mas, antes, tenham os membros igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele. Ora, vós sois o corpo de Cristo e seus membros em particular.” (1 Coríntios 12:12-27 RC)

“E sujeitou todas as coisas a seus pés e, sobre todas as coisas, o constituiu como ca-beça da igreja, que é o seu corpo, a plenitude daquele que cumpre tudo em todos.” (E-fésios 1:22-23 RC)

Vamos a algumas questões que nos ajudarão a pensar.

De que é composto o corpo, que nome se dá às diversas partes que o compõem? Se você respondeu “membros”, então você acertou. O corpo hu-mano é composto por diversos membros e cada qual dá a sua contribuição ao corpo. Pois bem, na igreja como corpo a coisa não é diferente. Ela é um corpo e cada um de nós somos membros nesse corpo. Creio que isso está bem claro nos textos que lemos. Agora, assim como no corpo humano, no corpo de Cris-to, que é a igreja, cada membro, que somos nós, precisa dar a sua contribui-ção para o bem estar, o bom andamento, o desenvolvimento do corpo. Qual é a contribuição que você tem dado? O que você tem feito, como membro, para o desenvolvimento, a edificação desse corpo do qual você faz parte?

Mas no corpo tem uma parte que governa todas as demais. Que parte é essa? Se você respondeu que é a cabeça, acertou novamente. O corpo de Cristo também tem uma ou, no caso, um cabeça ao qual o corpo como um todo e cada membro em particular tem que obedecer. Quem é esse cabeça? Se você respondeu que é Cristo, parabéns! Acertou de novo! Mas, pergunto: você tem, como membro do corpo de Cristo, procurado seguir, em tudo, as suas orientações?

Mas ainda há uma outra questão, talvez um pouquinho mais difícil: Sa-bemos que o ser humano não é só corpo, ele tem um espírito, que é, na verda-de, podemos assim dizer, a sua verdadeira essência. O que é o corpo em rela-ção ao espírito? Se você respondeu que o corpo é o instrumento pelo qual o espírito age no, interage com o mundo visível, acertou. Pois na igreja também é assim. O Espírito Santo foi enviado por Jesus após a sua ascensão para desincumbir-se de uma série de papéis, dentre eles o de convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo; mas ele fará isso usando o corpo, que, no caso é a igreja, e cada membro em particular, que, no caso, sou eu e é você. Um corpo onde o espírito não age mais é um corpo morto; uma igreja, ou um membro de igreja, onde o Espírito Santo não esteja agindo é uma igreja ou um membro morto. O Espírito tem agido em sua vida? Você tem dado lugar a Ele, atenção a Ele, buscado a sua plenitude, buscado a direção dele e andado Nele?

Ainda quero dar uma palavra, e para isso vou usar uma história ilustrati-va, àqueles que se acham membros inferiores na igreja, que acham que sua contribuição não é muito importante. Veja a história:

Conta-se uma história sobre um arquiteto inglês, que fez o projeto de algumas cate-drais da Inglaterra. Um dia, ao visitar a área onde estavam construindo uma, ele encon-trou três homens trabalhando na escavação. "O que vocês estão fazendo?", ele per-guntou. "Eu estou apenas retirando entulhos", replicou um deles com azedume. "Eu es-tou cavando uma vala de alicerce", reclamou o segundo homem. Mas o terceiro ho-mem respondeu com orgulho: "Eu estou ajudando a construir uma grande catedral!" Triste é que muitos crentes menosprezam sua chamada e o valor de sua contribuição para o reino de Deus. Simplesmente porque não são pregadores, evangelistas e nem missionários, não crêem que sua vida ou carreira seja importante aos olhos de Deus. E nós, estamos abrindo valas ou construindo catedrais?

A igreja como corpo é composta de membros, membros esses que pre-cisam dar a sua contribuição para o desenvolvimento do corpo, contribuição que por mais simples que seja é de extrema importância, de extremo valor. A cabeça, ou o cabeça, a quem esse corpo e cada membro em particular deve prestar obediência, é o nosso Senhor Jesus Cristo. E também, como corpo a igreja, bem como cada membro em particular, precisa dar lugar, buscar a atua-ção do Espírito Santo; é o Espírito quem confere poder ao corpo para desen-volver as suas funções. Charles Spurgeon escreveu certa vez: "Durante o tem-po que você quiser, você poderá exortar um homem cego a enxergar, porém ele não enxergará. O quanto quiser, você poderá exortar um homem morto a viver, porém ele não viverá somente através de sua exortação. Algo mais é necessário", e esse algo certamente é a atuação do Espírito Santo de Deus.

Vamos à terceira figura.

3. A igreja como Noiva de Cristo

Vejamos alguns textos que mostram a igreja como sendo a noiva de Cristo.

“Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória, porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.” (Apocalipse 19.7 RC)

Observação: Nesse texto o termo “esposa” vem de uma palavra grega (numfh = numphe) que significa noiva ou uma esposa jovem.

“Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor; porque o marido é a ca-beça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salva-dor do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido. Vós, maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.” (Efésios 5:22-27 RC)

A figura da igreja como noiva de Cristo nos diz algo extremamente im-portante: nos fala da beleza, da pureza e da fidelidade que ele requer de nós. Cristo amou a sua igreja e a si mesmo se entregou por ela para a santificar para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, sem ruga ou coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Cristo quer que a sua igreja seja livre das contaminações mundanas e seja gloriosa, isto é, que esteja esplendida-mente vestida assim como uma noiva no dia do casamento. Para isso ela pre-cisa ser despida e depois revestida, uma certa “veste” tem que sair e outra to-mar o seu lugar. Veja isso em Colossenses 3.1-17. Isso é para a igreja como um todo e para cada um de seus membros em particular.

Concluindo:

A igreja é edifício espiritual, e como tal tem o seu alicerce firme, que é o Senhor Jesus, e só faz parte verdadeiramente da igreja quem está sobre ou neste alicerce; a igreja como edifício tem o seu modelo, que é a Bíblia, a Pala-vra de Deus, e só ela deve reger a conduta daqueles que estão edificados so-bre o alicerce que é Cristo; e a igreja como edifício espiritual tem por finalidade abrigar as atividades divinas, isto é, ser usada por ele para a execução daquilo que Ele quer fazer neste mundo.

A igreja é um corpo, o corpo de Cristo, e como tal é composta de mem-bros, membros esses que precisam dar a sua contribuição para o desenvolvi-mento do corpo, contribuição que por mais simples que seja é de extrema im-portância, de extremo valor. A cabeça, ou o cabeça, a quem esse corpo e cada membro em particular deve prestar obediência, é o nosso Senhor Jesus Cristo. E também, como corpo a igreja, bem como cada membro em particular, precisa dar lugar, buscar a atuação do Espírito Santo; é o Espírito quem confere poder ao corpo para desenvolver as suas funções.

A igreja é a noiva de Cristo, e como tal ela deve ser santa, fiel, imacula-da e estar vestida esplendidamente, coberta com as vestes espirituais apresentadas por Deus em Sua Palavra.

Porto Meira – Agosto de 2009
Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Autor: Walmir Vigo Gonçalves