Importância do Estágio Supervisionado em Cursos de Licenciatura



O presente estudo foi desenvolvido a fim de trazer a público a importância do Estágio Supervisionado no processo de formação do profissional. Também relata o elo que constitui a parte teórica da a prática na vida dos acadêmicos de gradução.

1 – INTRODUÇÃO

O estágio é um momento de fundamental importância no processo de formação do profissional. Constitui-se em um treinamento que possibilita os estudantes vivenciar o que foi aprendido na Faculdade, tendo como função integrar as inúmeras disciplinas que compõem o currículo acadêmico, dando-lhes unidade estrutural e testando-lhes o nível de consistência e o grau de entrosamento. A teoria é uma ferramenta essencial para a consolidação da prática. Assim, o Estágio Supervisionado adquiriu um papel substancial no processo de graduação, pois, o mesmo caracteriza-se como a prática em meio à aprendizagem na graduação.

2 – FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A formação e a profissionalização de professores são temáticas que se intensificaram nos anos 1990, no quadro das reformas educativas, associadas ás novas exigências geradas pela reorganização da produção e da globalização da economia. As propostas de cunho emancipatório darão a tônico ás reformas educacionais, ao enfatizarem que "novos tempos requerem nova qualidade educativa, na avaliação dos sistemas e na profissionalização dos professores" (LIBÂNEO, 2002, p.60 apud IRAÍDE e RAIMUNDA).

É neste contexto, embora talvez não em função dele – e mais pelo reconhecimento do papel fundamental dos professores na melhoria do ensino – que as investigações acerca das práticas de formação de professores ganharão relevância, predominando aquelas que concebem o ensino como atividade reflexiva, adotadas em referentes países, inclusive o Brasil.

Segundo Pimenta e Ghedin (2002, pag. 24) apud Iraíde e Raimunda, argumenta que o saber docente não é formado apenas da prática, sendo também nutrido pelas teorias da educação. A teoria tem importância fundamental na formação dos docentes, pois adota os sujeitos de variados pontos de vista para uma ação contextualizada, oferecendo perspectivas de analise para que os professores compreendam os contextos históricos, sócias, culturais, organizacionais e de si próprios como profissionais.

O estágio curricular nas instituições de ensino superior tem-se mostrado como um excelente ferramental de ligação entre os ensinamentos teóricos apreendidos em sala de aula, com a sua aplicação prática dentro das escolas, de modo que a autora Roesch (1996: 21) apresenta que "o estágio curricular não é simplesmente uma experiência prática vivida pelo aluno, mas uma oportunidade para refletir, sistematizar e testar conhecimentos teóricos e ferramentas técnicas durante o curso de graduação".

No estágio, o aluno poderá vivenciar ainda experiências de resolução de problemas, avaliar e sugerir mudanças nas organizações, informações, etc. aprofundar conhecimentos em sua área de interesses entre outros e estará participando de um processo de aprendizagem que conforme Kolb et al apud Roesch (1996: 21) tem os seguintes passos:

"O processo de aprendizagem e de solução de problemas é composto por um ciclo de quatro estágios, em que (1) a experiência concreta é seguida por (2) observação e reflexão que levam à (3) formação de conceitos abstratos e generalizações que levam a (4) hipóteses a serem testadas em ações futuras, as quais por seu turno levarão a novas experiências".

A construção de qualquer carreira depende de uma base sólida. No caso da docência, a construção de tal base se inicia durante o curso de licenciatura e tem como uma de suas principais etapas a estágio curricular supervisionado (Soares et. al, 2007).

O estágio pelo qual o aluno de licenciatura passa, é um período de estudos práticos para a aprendizagem e experiência e envolve, ainda, supervisão, revisão, correção e exame cuidadoso (Bianchi, 1998).

Este período surge como um processo fundamental na formação do aluno estagiário, pois é a forma de fazer a transição de aluno para professor, aluno de tantos anos descobre-se no lugar de professor (Francisco & Pereira, 2004 apud Souza et. al, 2007).

O estágio supervisionado consiste em teoria e prática tendo em vista uma busca constante da realidade para uma elaboração conjunta do programa de trabalho na formação do educador (Guerra, 1995 apud Souza et. al, 2007).

Durante o momento do estágio o aluno de graduação tem a oportunidade de aplicar na prática todos os conhecimentos teóricos que aprendeu em seu curso de licenciatura. Além disso, aprende a resolver problemas e passa a entender a grande importância que tem o educador na formação pessoal e profissional de seus alunos.

Com isso fica claro a grande importância desta atividade, trazendo imensos benefícios para a aprendizagem, para a melhoria do ensino e principalmente para o estagiário. Sendo que os maiores beneficiados será a sociedade e, em especial, a comunidade a que se destinam os profissionais egressos da universidade (Bianchi, 1998).

3 – CONCLUSÃO

O Estágio Supervisionado é de grande importância para a aquisição da prática profissional, pois relata o que o aluno cursou durante sua graduação, toda a parte teórica e com isso pode colocá-la em prática.

O processo para uma carreira sólida, no caso da docência, a construção de tal base se inicia durante o curso de licenciatura e tem como uma de suas principais etapas a estágio curricular supervisionado, pois durante o momento do estágio o aluno terá a oportunidade de aplicar na prática todos os conhecimentos teóricos que aprendeu em seu curso de licenciatura. Além disso, aprende a resolver problemas e passa a entender a grande importância que tem o educador na formação pessoal e profissional de seus alunos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AZEVEDO, L. M. F. O Estágio Supervisionado: uma análise crítica. p. 24. apud PICONEZ, Stela C. Berhtolo. A prática de ensino e o Estágio Supervisionado. 5ª ed. Campinas, SP: Papirus, 2000. p. 15 -74.

CRUZ, Carla & RIBEIRO, Uirá. Metodologia cientifica: teoria e prática. 2 ed. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil, 2004.

LUDKE, Menga. Formação inicial e construção da identidade profissional de professores de 1º Grau. In CANDAU, Vera Maria. Magistério: Construção Cotidiana. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997. p. 110 – 125.

PICONEZ, Stela C. Berhtolo. A prática de ensino e o Estágio Supervisionado. 5ª ed. Campinas, SP: Papirus, 2000. p. 15 -74.

PIMENTA, Selma Garrido. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 1997. p. 21 – 80.


Autor: Silas Dumont Pires Horta