O LÚDICO: APRENDER BRINCANDO NA EDUCAÇÃO INFANTIL



O recente artigo tem por intenção fazer uma reflexão teórica sobre a importância do lúdico para que os professores de educação infantil e do ensino fundamental das séries iniciais, do importante papel que os jogos, as brincadeiras e os brinquedos exercem no desenvolvimento da criança. Para isso se faz necessário saber o significado do brincar, conceituar os principais termos utilizados para designar o ato de brincar, tornando-se também fundamental analisar o papel do educador neste processo lúdico, e ainda, os benefícios que o brincar proporciona. Faremos também algumas considerações importantes sobre os jogos e brinquedos. Desta forma, espera-se oferecer uma leitura mais consciente acerca da importância do brincar na vida do ser humano, e em especial na vida da criança.

A escolha por escrever sobre o aprender brincando na Educação Infantil, não se deu por acaso, mas por acreditar que a criança deve viver com alegria a própria infância, seja em casa, na escola, no bairro, na comunidade, ou em qualquer outro ambiente. Para se ter dentro de instituições infantis o desenvolvimento de atividades lúdicas educativas, é de fundamental importância garantir a formação do professor e condições de atuação. Somente assim será possível o resgate do espaço de brincar da criança no dia-a-dia da escola ou creche. As brincadeiras e os jogos tornam-se recursos didáticos de grande aplicação e valor no processo ensino aprendizagem, a criança aprende melhor brincando, e todos os conteúdos podem ser ensinados através destas atividades lúdicas (brincadeiras e jogos). As atividades de brincar/jogar terão sempre objetivos didáticos pedagógicos e tendem a propiciar o desenvolvimento integral do educando. Jogar é uma atividade natural do ser humano. Ao brincar e jogar, a criança fica tão envolvida com o que esta fazendo, que coloca na ação seu sentimento e emoção.

"A esperança de uma criança, ao caminhar para a escola é encontrar um amigo, um guia, um animador, um líder - alguém muito consciente e que se preocupe com ela e que a faça pensar, tomar consciência de si de do mundo e que seja capaz de dar-lhe as mãos para construir com ela uma nova história e uma sociedade melhor". (ALMEIDA,1987,p.195)

A decisão de se permitir envolver no mundo mágico infantil seria o primeiro passo que o professor deveria dar. Explorar o universo infantil exige do educador conhecimento teórico, prático, capacidade de observação, amor e vontade de ser parceiro da criança neste processo.

Os estudo proveniente da psicologia tem dado contribuições, bastante relevantes que nos permitem conhecer o desenvolvimento infantil nos diferente jeito (sensório-motor, sócio-afetivo, simbólico e cognitivo) e nos permitem também, compreender de que forma as crianças constroem o seu conhecimento. Essas informações são especialmente importantes, pois delas derivam subsídios fundamentais Reconhecemos aqui a linguagem com a forma básica, não apenas no que diz respeito à expressão individual, mas ainda como sendo principal no processo de socialização e, do ponto de vista da psicomotrícidade, entendemos que as crianças precisam expandir seus movimentos, explorando se corpo e o espaço físico, de forma a terem um crescimento sadio. Aqui é necessário ressaltar que apreciamos a execução mecânica do exercício motor pelo simples exercício: é através da realização das atividades cotidianas, e em função de objetivos determinados como, por exemplo, para o aprendizado pedagógico nos diferentes níveis da escolaridade, na medida em que podem orientar os professores sobre o que as crianças são capazes de desvendar o aprender a cada momento, e sobre como aprendem.

O brincar é uma das atividades fundamentais para o desenvolvimento das crianças. A criança, desde muito cedo, se comunica através de gestos, sons e mais tarde, em suas brincadeiras imaginam determinados papeis e isso faz com que desenvolva sua imaginação. As brincadeiras desenvolvem a atenção, a imitação, a memória e a imaginação.Através das brincadeiras, os adultos estabelecem com crianças laços de confiança que possibilitam o inicio do brincar. O brincar é conhecido como uma atividade que permite que as crianças relaxe, através da dispersão de energias contidas na classe e as brincadeiras as restauram fisicamente.

Para Vygotsky,...a brincadeira cria para as crianças uma zona de desenvolvimento proximal que não é outra coisa senão a distância entre o nível atual de desenvolvimento, determinado pela capacidade de resolver independentemente um problema, e o  nível de desenvolvimento potencial, determinado através da resolução de um problema, sob a orientação de um adulto, ou de um companheiro mais capaz.

Esta concepção de brincar considera o fato de que a criança aprende, através desta atividade. Ao brincar a criança busca imitar, imaginar, representar e comunicar de uma forma específica que uma pessoa pode ser um personagem, que uma criança pode ser um objeto ou um animal, que um lugar faz-de-conta que é outro.

"O brincar é uma necessidade básica e um direito de todos. O brincar é uma experiência humana, rica e complexa." (ALMEIDA, M. T. P, 2000)

Desta forma, vimos que o brincar é algo inerente do ser humano e que, através dele a criança não apenas se diverte, mas também se desenvolve enquanto pessoa, enquanto ser social, uma vez que o brincar não é simplesmente um ato comum, mas um ato extremamente complexo, carregado de valores, de finalidades éticas, os quais vão não apenas contribuir, mas também determinar o desenvolvimento da personalidade da criança de sua identidade, o sucesso de seu relacionamento social, de sua convivência com as conquistas, com as realizações bem como com as frustrações, desilusões, decepções e como lidar com a diversidade de sentimentos com os quais nos deparamos a todo instante no nosso dia-a-dia durante toda a nossa existência. Em síntese, além de proporcionar prazer, conflito, frustração, realização e diversão, o jogo pode representar um desafio e provocar o pensamento reflexivo da criança.

Considerações Finais

Tentamos de forma resumida mostrar algumas idéias sobre o brincar. Umtema tão maravilhoso e ao mesmo tempo misterioso. É importante colocar que o educador que trabalha diretamente com crianças pequenas deve sempre que possível ler artigos, textos e livros que falem sobre jogos, brincadeiras, brinquedos, e ainda sobre a criança e o seu desenvolvimento. Por isso esperamos que os conteúdos abordados acima venham colaborar de forma objetiva e concreta para uma melhor compreensão do universo lúdico infantil. E principalmente para uma melhor qualidade educativa na formação lúdica do educador infantil. Existem várias formas de brincar e nem sempre é preciso dinheiro para isso, só precisa de imaginação, ser criativo e acreditar em sonhos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

KRAMER, Sônia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. São Paulo: Cortez, 1992.

BETTELHEIM, 1984,p.105

OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos, São Paulo: Cortez,2002.

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

CURY, Augusto Jorge. Seja líder de si mesmo Rio de Janeiro: Sextante, 2004.


Autor: LEYDE LAURA SOUZA