Vendilhões do Templo



Vendilhões do Templo – 06/11/2009

 

“Vendilhão é aquele que trafica publicamente”

 

O homem construiu seus primeiros templos ou também conhecidos como santuário para que pudessem adorar seus deuses. Podemos lembrar de uma construção muito famosa que foi a torre de Babel, ali no topo seria o local de sacrifícios e cultos.  A torre então não era só uma visão de construção da época, mas refere-se a um local religioso e de culto daquele povo.

 

Desde cedo o homem tem esse desejo de adoração, porém também tem o desejo de chegar a ser igual e ou maior que Deus. Depois disseram: "Vamos construir uma cidade, com uma torre que alcance os céus. Assim nosso nome será famoso e não seremos espalhados pela face da terra".” (Gênsis 11:4)

 

Em Cannaã também existia templos que tinham o nome de “casa de Dagom” esse é interessante, pois não era destinado há um deus expecífico, essa divindade deveria ser padroeira de um lugar, e ali podia fazer seu culto.  Neste local que os Filisteus colocaram a Arca do Senhor.

 

Dagom era o deus principal dos Filisteus. Mas sua casa era livre a outros deuses.

 

Quando Davi terminou seu palácio sentiu que faltava algo, era a casa do Deus vivo e verdadeiro. “Certo dia ele disse ao profeta Natã: "Aqui estou eu, morando num palácio de cedro, enquanto a arca de Deus permanece numa simples tenda".” (II Samuel 7:2) Porém, foi o seu sucessor e filho quem construiu o templo. Davi juntou todo material necessário e o local adquirido por ele. Salomão levantou então o templo de Deus ou a Casa de Deus Santo e único.

 

No Novo Testamento já encontramos Jesus falando no templo. Ele ensinava no mesmo e reunia com seus fieis e seguidores ali também. Jesus dizia que deveriam ter cuidado com o templo e com seus utensílios, mas Jesus sabia que era mais importante que o templo. Ele sabia que era maior que o templo e tudo que nele existia. Mas nem por isso deixou de cuidar e exigir cuidado com o mesmo.

 

Um dos cuidados que Jesus teve com o templo foi quando ao chegar nele expulsou todos que vendiam e compravam ali. Até cambistas ali existia (Aquele que vende com aumento de preços, ou seja, preços abusivos). Quando as pessoas iam ao templo para fazer adoração a Deus eles precisavam levar animais para sacrifícios, madeira e o óleo para a queima dos mesmos. Daí a existências destes comerciantes ali, eles aproveitavam que ali se vendia de forma fácil e as pessoas achavam mais prático comprar ali mesmo na porta do templo que trazer de casa, já que o meio de transporte não era tão fácil. Um local que era para adoração e agradecimentos e muitas ou na maioria das vezes local de petição a Deus se tornara um local de comercio ilegal, sujo e desonesto.

 

Jesus já havia iniciado um trabalho para que moralizassem o templo “No pátio do templo viu alguns vendendo bois, ovelhas e pombas, e outros assentados diante de mesas, trocando dinheiro.” (João 2:14) já não estavam mais fazendo um culto sagrado e sim aproveitando as oportunidades daquele evento para ganhar mais dinheiro. Como não era aceito dinheiro estrangeiro para oferta ali também se tornou um lugar de troca de moedas.

 

Jesus não suporta tudo aquilo e aqui também em João fala dele jogando tudo pelos ares, moedas caindo ao chão, a bagunça foi total e Jesus provavelmente estivesse bem nervoso com aquele povo. Ali não era um local simplesmente para trocas e mercado, era a casa de seu Pai. Mesmo ele sendo maior que o templo sabia de sua importância no culto ao Deus verdadeiro, justo e reto. “Então ele fez um chicote de cordas e expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois; espalhou as moedas dos cambistas e virou as suas mesas. Aos que vendiam pombas disse: "Tirem estas coisas daqui! Parem de fazer da casa de meu Pai um mercado!” ”Seus discípulos lembraram-se que está escrito: "O zelo pela tua casa me consumirá" (João 2: 15-17)

 

Ninguém entendia nada do que estava acontecendo, queriam saber que autoridade tinha ele para fazer tal coisa. Isso nos mostra que o sacrifico ali feito nem sabiam ao certo para que fosse. As pessoas estavam cegas em seus pecados e delitos.

 

Jesus responde de forma clara e direta dizendo: “Destruam este templo, e eu o levantarei em três dias". (v. 19). O dialogo foi longo, pois os Judeus não reconhecia aquele homem. Não entendiam suas palavras. O versículo seguinte leva-nos a entender que nem os seus seguidores conhecidos como discípulos sabiam direito quem ele era já no versículo seguinte lemos assim: “Depois que ressuscitou dos mortos, os seus discípulos lembraram-se do que ele tinha dito. Então creram na Escritura e na palavra que Jesus dissera.” (V. 22)

 

O templo de Jesus hoje, como está? O que estamos fazendo dele? Não estamos em condições de criticas aquele povo. Nosso templo está cheio de vendilhões, pessoas interessadas em vender mais os seus produtos e levar para casa o seu do que falar da Palavra Santa e viva de Jesus Cristo.

 

Se Jesus chegasse a nossas casas de oração hoje ele começaria já na esquina a derrubar os carrinhos de pipoca, doces, salgados e tudo que se possa pensar hoje. Ao entrar no território do templo começaria a derrubar os vendedores de livros de auto-ajuda cristã, Dvds que contêm todas as respostas que o homem precisa para ser rico e prospero. Iria expulsar muitos lideres religiosos que só tem a mensagem da prosperidade, trocas de dinheiro por bênçãos. E ainda criticamos a indulgência.

 

Até muitos milagres Jesus iria dar uma olhada neles e provavelmente diria: não fui eu quem fiz isso. Jesus não confiava naquele povo de seu tempo, pois ele sabia quem era. “Enquanto estava em Jerusalém, na festa da Páscoa, muitos viram os sinais miraculosos que ele estava realizando e creram em seu nome. Mas Jesus não se confiava a eles, pois conhecia a todos. Não precisava que ninguém lhe desse testemunho a respeito do homem, pois ele bem sabia o que havia no homem.” (vv. 23-25)

 

Será que Jesus confia em nossas palavras hoje, ou diria o mesmo de nós. Sei quem vocês são e não confio em vocês. Há! Como estamos deixando a casa de oração ao nosso Deus suja pelo comércio da fé em Jesus Cristo. Estamos a cada dia sendo um número maior de pessoas, porém pessoas que não sabem que é Cristo e seu sacrifício. Levando uma vida sem santidade ao Senhor Jesus. Pessoas que fazem de Jesus seu servo ao invés de serem eles servos de Cristo na terra. Estamos formando cristãos que querem tudo de Cristo, menos dar a Ele devida honra e glória.

 

Quando lemos o texto de João e Mateus ficamos bravos, estarrecidos e muitas das vezes ficamos horas tecendo comentários sobre os textos e não olhamos para nosso templo hoje. Queremos ser santos sem observar o que é santidade. Queremos dar a Deus o nosso aparente melhor para ter de Deus o seu mais precioso filho.

 

Senhor Jesus faça-nos entender o que significa sua casa. Não é apenas uma casa onde nos reunimos, mas é sua casa, local de adoração, oração e aonde muitos vão à procura de paz e a fim de te encontrar. Claro que nós somos a tua morada, mas tua casa ainda é santa. Faça-nos compreender que o comércio é para ser feito onde deve ser feito e não na sua casa e em seu arredor. Senhor santifique hoje sua casa em nós e em sua casa física hoje conhecida como igreja.

 

O temos feito da igreja de Cristo hoje? O que tem feito da casa de Cristo que é o teu coração agora?

 

Até a próxima...

 

Silvia Letícia Carrijo de  Azevedo Sá

E-mail e MSN: leticiacarrijo@oi.com.br

 


Autor: Silvia Leticia Carrijo