MATEMÁTICA LUDICA NO ENSINO FUNDAMENTAL



A matemática é uma ciência muito complexa por ser exata. A ciência exata requer atenção especial e disciplina na sua aplicação, o que faz com que muitos alunos apresentem certa dificuldade no momento da sua aprendizagem e execução.

Estudos comprovam que a grande maioria dos alunos, principalmente no inicio dos estudos do ensino fundamental, não entendem a matemática com facilidade e demoram um certo tempo para compreender a importância que a aprendizagem da disciplina representa na vida cotidiana.

A matemática pode ser aplicada nas situações mais comuns. Para os alunos do ensino fundamental é necessário apresentar as maneiras em que se pode utilizar a matemática de forma simples e necessária, sem ser em expressões complexas e em cálculo que para eles no momento não seja interessante saber.

Para quem está ingressando no quinto ano do ensino fundamental, a dificuldade de absorção das informações pertinentes a matemática aumenta de forma que começa a complicar a evolução do aluno, no que diz respeito as notas obtidas nas provas práticas.

É necessário que o aluno não queira aprender a matemática com o intuito único de obter notas boas ou medianas na escola, somente para não perder o ano letivo. A compreensão e o uso contínuo, deve ser mais importante para o aluno que a nota, uma vez que dominando o assunto, a nota será relativa a aprendizagem.

Professores que identificaram esse problema, através de estudos científicos e pesquisas de campo, foram capazes de diagnosticar que as principais dificuldades são decorrentes das metodologias retrogradas, utilizadas em sala de aula.

Muitos recursos e metodologias estão sendo desenvolvidos para mudar esse quadro e transmitir os ensinamentos da matemática de forma prazerosa e capaz de apresentar resultados significativos no que diz respeito ao desenvolvimento do aluno em relação a aprendizagem e a satisfação pessoal, em querer aprender de forma interessante e eficaz.

O processo de adaptação ao novo método de ensino/aprendizagem é delicado, por ser uma ciência exata e o seu resultado não pode ser diversificado por conta da metodologia. A flexibilidade dos professores para a adesão a novas formas de transmitir conhecimentos para os alunos, talvez seja a etapa mais difícil do processo como um todo, por conseqüência da didática que eles conheciam, no período em que eram alunos, ser tradicional onde o professor transmitia o assunto de forma mecânica e o aluno tinha obrigação de aprender a lição sem nenhum incentivo para ser um aluno participativo.

Uma vez aceito o desafio para o estudo de novas didáticas participativas, coletivas e interessantes, grande passo rumo a atualização e capacitação para construção de um novo ambiente de aprendizagem foi dado de forma bastante considerável.

Com a inovação tecnológica as aulas começaram a ficar mais prazerosa atraindo os alunos para a sala de aula com intuito de aprender e de ter participação ativa nesse desenvolvimento constante dos recursos que passaram a ser utilizados no ambiente educacional. Para os alunos, aula boa é aquela que consegue prender a atenção deles de forma que o tempo passe sem que eles percebam e proporcione aprendizagem interativa e dinâmica.

O professor que faz uso de figuras ilustrativas coloridas, vivas e que se aproximem da realidade, apresenta para os alunos as formas geométricas de maneira diferente das quais eles estão acostumados a verem, como exemplo, fica mais fácil incentivar ao aluno calcular o raio de uma figura da lua do que de uma circunferência simples e comum.

Explanações que são feitas com exemplos que atrai a atenção e a curiosidade dos alunos são absorvidas e interpretadas com mais facilidade. Temas que são desenvolvidos em ambientes diversificados, claros, arejados, que proporcione o bem estar do aluno e que exija dele participação ativa, certamente não será esquecido. Os alunos gostam e preferem aulas diferentes, a metodologia rotineira de quadro negro, sala de aula com professor escrevendo e o aluno copiando está ultrapassada e não desperta no aluno nenhum estimulo nem interesse de prestar atenção e aprender o que o professor está ensinando.

Estudos afirmam que os alunos que dormem depois dos estudos armazenam o conteúdo com mais facilidade que as pessoas que saem ou fazem outras coisas, quando param de estudar.

Vários jogos pedagógicos estão sendo desenvolvidos e apresentados em sala de aula. Toda criança gosta de jogar, e o jogo induz o jogador a vitória, de forma que para obtê-la, é necessário atenção, raciocínio lógico, concentração e disciplina.

Os objetivos da implantação da matemática lúdica no ensino fundamental é trazer o aluno para a sala de aula disposto a aprender se divertindo. Incentivo para participação das aulas lúdicas, não quer dizer que o aluno tem que ir a escola somente brincar, o aluno tem que ver a aula de matemática como uma prazerosa atividade de aprendizagem e não como ainda é vista em alguns ambientes educacionais, como uma aula de repetição e memorização, e logo após a prova o assunto que foi transmitido durante aulas e aulas ser esquecido.

A inovação da metodologia educacional que faz uso de recursos tecnológicos e de jogos didáticos com suporte de ambientes de aprendizagem que proporcionem o bem-estar do alunado, com certeza apresentará retorno significativo e satisfatório em relação a absorção das informações que serão transmitidas e guardadas no aprendizado de cada aluno. A novidade atrai curiosidade e a matemática mesmo sendo uma disciplina exata pode ser redescoberta de uma nova forma, deixando de ser aquela disciplina que grande parte dos alunos repudiam, passando a ser a matéria que os alunos irão se conscientizar da importância e utilidade no dia-a-dia, transmitida de maneira diversificada e interessante.

O principal intuito da implantação dessa nova metodologia de ensino é atrair os alunos para a sala de aula interessados em aprender a matemática e as suas aplicações de forma prazerosa e desenvolver novas opiniões sobre o ensino da disciplina, despertando pontos de vista critico e fundamentado sobre didáticas de ensinamentos lúdicos.

 

 

 

 

 

 

 

 


Autor: Charles Lopes Freitas Aragão