A árvore Das Folhas De Ouro



Não sei se devo contar ou se devo guardar esse segredo só para mim ... Minha vontade é contar, mas tenho medo ... dos ecologistas e dos curiosos, porque os primeiros podem me acusar de fomentar a destruição das árvores e os segundos talvez a destruam mesmo, para colecionarem as suas folhas douradas ...

Não sei o que fazer ... Sinto-me como Humberto de Campos num conto que intitulou “Chuta Porqueirinha” ... É uma estória verídica em que Humberto de Campos se reporta à sua infância, quando êle tinha mais ou menos 7 anos de idade ...

Êle fôra convocado para jogar no time infantil oficial da sua cidade, com camisa, meias, chuteira e tudo o mais a que tinha direito ... E como era natural, ficou contentíssimo ... Entrou no campo e começou a correr de um lado para o outro, até que chutaram a bola para êle e, só então é que êle se deu conta de como a bola era grande ou, talvez, de como êle ainda era pequeno ...

Êle olhou para o gol do time adversário e percebeu que êle estava muito longe e que talvez o seu chute não tivesse força suficiente para fazer com que a bola chegasse até lá e, então, pensou em passar a bola para o seu companheiro que estava um pouco mais à sua direita mas, de súbito, pensou também que se êle fizesse isso, o seu companheiro é que chutaria para o gol adversário e, então, êle perderia a oportunidade que estava nos seus pés ...

E ficou nessa indecisão, balançando de um lado para o outro, até que alguém gritou para êle:

* “CHUTA, PORQUEIRINHA!” ...

E o grande Humberto de Campos, já velho, disse que essa frase marcou profundamente a sua vida ... e que foi talvez a maior verdade que já lhe disseram a seu respeito porque, na sua vida inteira, êle não passara mesmo é de um “PORQUEIRINHA” ...

Diante das situações de decisão, êle sempre ficava assim ... Não sabia se chutava ou se não chutava ... Se passava ou se não passava a bola ... E agora, aqui estou eu também dando uma de “PORQUEIRINHA” :  sem saber se conto ou se não conto a verdade sobre A ÁRVORE DAS FOLHAS DE OURO , com medo de que possam arrancar todas as suas folhas ...

Mas eu resolvi chutar ! ... E danem-se os ecologistas e os colecionadores ...A responsabilidade há de ser de cada um ! ... Se cada pessoa só tirar uma folhinha, como eu fiz, para guardá-la dentro de algum livro, isso certamente não destruirá a árvore e se alguém, ao procurá-la, encontrá-la muito desfolhada, que tenha o bom senso de esperar para que cresçam mais folhas nela, porque seria profundamente injusto que eu guardasse esse segredo só para mim ...

A ÁRVORE DAS FOLHAS DE OURO existe mesmo ! ... De verdade ! ... Ela é uma saponácea que fica na Praia dos Frades, quase chegando na Ponta da Imbuca ... No barranco que desce para a praia ... Por cima, as suas folhas são verde-escuro, da cor de um musgo, mas por baixo elas são completamente douradas e brilham como ouro quando refletidas ao Sol ... É um achado para todas as crianças e também para os adultos que ainda guardam dentro de si a criança que já foram um dia ... E eu sou um deles:  adulto-criança e “PORQUEIRINHA”, como aprendi com Humberto de Campos ...
Autor: Marcelo Cardoso