O CORPO COMO SÍMBOLO I - Metafísica Psicossomática para Quem Dança



============================================
O CORPO COMO SÍMBOLO I
Metafísica Psicossomática para Quem Dança
============================================
Livro-Texto: A Doença como Símbolo
Pequena Enciclopédia de Psicossomática
De Rüdiger Dahlke
============================================

##########################
#Orientações Preliminares#
##########################

A nível metafísico, toda cura envolve a mudança nos padrões de comportamento.
Toda modificação de comportamento tem sua raiz no pensamento, no sistema de
crenças que o indivíduo alimenta.
A metafísica afirma que tudo pode ser curado, ou que pelo menos, tudo pode ser
amenizado.
Para que uma situação não se repita, é necessário haver
profunda mudança interior.
A mudança nos padrões de pensamentos promove a restauração do processo
somático e recorporifica as experiências.
Uma dificuldade uma vencida, jamais se manifesta novamente em sua vida.

********************************************
(A)
********************************************

ABDÔMEN FLÁCIDO

PC: No [Plano Corporal], o estômago é o órgão ligado às sensações e ao instin-
to, à capacidade de consumir, localizando-se no centro do corpo (abdomen).

PS: No [Plano Sintomático], temos um abdômen pesado cara carregar a si mesmo,
sinalizando, ao mesmo tempo, poder em sua grandeza, impotência em sua carga,
(por ser pesada e por isso é arrastada), e importância em seu orgulho (orgulho
de seu "peso" como ser, "sou alguém muito importante!").

TR: O [Tratamento] na visão da metafísica, representa a mudança total dos
sintomas mentais que acolhem a estrutura física e visualizados nela:
1. Tomar posse daquilo que havia acolhido mentalmente;
2. Permitir a sensação de "deixar-se pender";
3. Fazer-se prenhe de idéias ao invés de alimentos desnecessários;
4. Deixar pender sua importância (peso) para fora.

RM: Sua [Remissão] é desenvolver poder, influência e peso (importância) em
planos menos corpóreos, isto é: em idéias e ações.

--------------------------------------------

ABORTO

PC: No [Plano Corporal] temos o útero como pólo de fertilidade e proteção.

PS: No [ Plano Sintomático] temos a fuga do fruto não-nascido (do bebê): o peso
passa a ser a expressão de um erro genético, visto como uma tarefa insolúvel
pelo inconsciente, pondo a termo seu desenvolvimento. A fuga, agora por parte
da mãe, é sentida como uma situação corpórea anímica ou social, isto é, o hós-
pede não foi convidado, e seu aborto passa ser inconsciente. O stress,
o excesso, a inflamação como expressão de um conflito, são sinais de dificulda-
des no "deixar entrar em si".

TR: O [Tratamento] para a mãe, consiste em aprender a se manter firme nas
decisões já tomadas (ato de receber e ficar com); examinar o desejo da criança
e respeitar sua recusa (mesmo inconfessa).

RM: Sua [Remissão] consiste em reconciliar-se com o tema da vida: a verdadeira
reconciliação não vem da tolerância, mas sim da gratidão; aceitar uma vontade
superior ao seu próprio desejo. A vida não começa e nem termina, não se pode
criá-la ou suprimi-la, porque ela já É.

********************************************
(C)
********************************************

CIÁTICA / ISQUIALGIA

PC: No [Plano Corporal] a coluna vertebral representa a sustentação e a dinâmi-
ca do corpo, sua retidão. Os discos vertebrais são o pólo feminino da coluna.

PS: No [Plano Sintomático], temos a irritação do nervo ciático que segue pelo
canal da medula espinhal, apresentando dores, devido à pressão do disco
deslocado ou à pressão muscular dos glúteos. Problemas do disco vertebral reve-
lam pressão existencial excessiva, onde o feminino flexível é pinçado e esmaga-
do, prensado entre dois elementos rígidos masculinos! A insegurança e o senti-
mento de inferioridade sobrecarregam a estrutura gerando um sistema de compen-
sação: eu aceito muito para causar impressão, e desta maneira eu escondo as
impressões verdadeiras... "pressão que dá nos nervos!" A pressão interna abre
caminho doloroso para a teimosia e autosuficiência.

TR: O [Tratamento] para a restauração deste processo somático consiste em
deixar-se desafiar, premitir-se estimular a cada novo progresso, no contexto
do comando central (nervo ciático). Tornar-se consciente da pressão existencial
e do papel do feminino na matéria flexível acertando o ponto médio, é liquidar
as situações de sobrecarga sobre os ombros e a lombar. Encaixar o que está
desenquadrado nas histórias experimentadas, e mesmo com dor, posicionar-se
corretamente, com calma para repensar.

RM: [Remissão] Humilhação é diferente de humilde, limite-se ao essencial usando
de honestidade para consigo mesmo, e, apartir de um movimento interno,
apresente-se para o mundo.

********************************************
Autor: Luciaurea