DOS CRIMES CONTRA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO



DOS CRIMES CONTRA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

Saiba mais clicando em http://www.advogadostrabalhistas.com/

A tutela penal da Organização do Trabalho encontra proteção no código penal, assim estão dispostos os crimes contra a organização do trabalho no Código Penal Brasileiro:

Atentado contra a liberdade de trabalho

Art. 197 - Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça:

I - a exercer ou não exercer arte, ofício, profissão ou indústria, ou a trabalhar ou não trabalhar durante certo período ou em determinados dias:
Pena - detenção, de um mês a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência;

II - a abrir ou fechar o seu estabelecimento de trabalho, ou a participar de parede ou paralisação de atividade econômica:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.

Atentado contra a liberdade de contrato de trabalho e boicotagem violenta

Art. 198 - Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a celebrar contrato de trabalho, ou a não fornecer a outrem ou não adquirir de outrem matéria-prima ou produto industrial ou agrícola:
Pena - detenção, de um mês a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.


Atentado contra a liberdade de associação

Art. 199 - Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a participar ou deixar de participar de determinado sindicato ou associação profissional:
Pena - detenção, de um mês a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.



Paralisação de trabalho, seguida de violência ou perturbação da ordem

Art. 200 - Participar de suspensão ou abandono coletivo de trabalho, praticando violência contra pessoa ou contra coisa:
Pena - detenção, de um mês a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.
Parágrafo único - Para que se considere coletivo o abandono de trabalho é indispensável o concurso de, pelo menos, três empregados.

Paralisação de trabalho de interesse coletivo

Art. 201 - Participar de suspensão ou abandono coletivo de trabalho, provocando a interrupção de obra pública ou serviço de interesse coletivo:
Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa.

Invasão de estabelecimento industrial, comercial ou agrícola. Sabotagem

Art. 202 - Invadir ou ocupar estabelecimento industrial, comercial ou agrícola, com o intuito de impedir ou embaraçar o curso normal do trabalho, ou com o mesmo fim danificar o estabelecimento ou as coisas nele existentes ou delas dispor:
Pena - reclusão, de um a três anos, e multa.

Frustração de direito assegurado por lei trabalhista

Art. 203 - Frustrar, mediante fraude ou violência, direito assegurado pela legislação do trabalho:
Pena - detenção de um ano a dois anos, e multa, além da pena correspondente à violência. (Redação dada pela Lei nº 9.777, de 29.12.1998)
§ 1º Na mesma pena incorre quem: (Incluído pela Lei nº 9.777, de 29.12.1998)

I - obriga ou coage alguém a usar mercadorias de determinado estabelecimento, para impossibilitar o desligamento do serviço em virtude de dívida; (Incluído pela Lei nº 9.777, de 29.12.1998)

II - impede alguém de se desligar de serviços de qualquer natureza, mediante coação ou por meio da retenção de seus documentos pessoais ou contratuais. (Incluído pela Lei nº 9.777, de 29.12.1998)
§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço se a vítima é menor de dezoito anos, idosa, gestante, indígena ou portadora de deficiência física ou mental. (Incluído pela Lei nº 9.777, de 29.12.1998)
Frustração de lei sobre a nacionalização do trabalho

Art. 204 - Frustrar, mediante fraude ou violência, obrigação legal relativa à nacionalização do trabalho:
Pena - detenção, de um mês a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.

Exercício de atividade com infração de decisão administrativa

Art. 205 - Exercer atividade, de que está impedido por decisão administrativa:
Pena - detenção, de três meses a dois anos, ou multa.


Aliciamento para o fim de emigração

Art. 206 - Recrutar trabalhadores, mediante fraude, com o fim de levá-los para território estrangeiro. (Redação dada pela Lei nº 8.683, de 1993)
Pena - detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos e multa. (Redação dada pela Lei nº 8.683, de 1993)

Aliciamento de trabalhadores de um local para outro do território nacional

Art. 207 - Aliciar trabalhadores, com o fim de levá-los de uma para outra localidade do território nacional:
Pena - detenção de um a três anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 9.777, de 29.12.1998)
§ 1º Incorre na mesma pena quem recrutar trabalhadores fora da localidade de execução do trabalho, dentro do território nacional, mediante fraude ou cobrança de qualquer quantia do trabalhador, ou, ainda, não assegurar condições do seu retorno ao local de origem. (Incluído pela Lei nº 9.777, de 29.12.1998)
§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço se a vítima é menor de dezoito anos, idosa, gestante, indígena ou portadora de deficiência física ou mental. (Incluído pela Lei nº 9.777, de 29.12.1998)

Cumpre ressaltar que há divergência quanto à revogação da do artigo 201, paralisação do trabalho de interesse coletivo. Entende a Família Delmanto, na obra supracitada, que o artigo 9º, "caput" da Constituição da República tornou inaplicável o dispositivo supra, pois a Lei Fundamental garante o direito de greve de forma ampla.

Os crimes contra a organização do trabalho são de ação pública incondicionada. Tendo em vista que o parágrafo único do artigo 2º da Lei 10.259/01 ampliou o conceito de crime de menor potencial ofensivo, é cabível a transação penal nos delitos previstos nos artigos 197, 198, 199, 203, "caput" e §1º, 204 e 205 todos do Código Penal. Reza o parágrafo único do artigo 2º da Lei dos Juizados Especiais Federais:


Art. 2o Compete ao Juizado Especial Federal Criminal processar e julgar os feitos de competência da Justiça Federal relativos às infrações de menor potencial ofensivo.

Parágrafo único. Consideram-se infrações de menor potencial ofensivo, para os efeitos desta Lei, os crimes a que a lei comine pena máxima não superior a dois anos, ou multa.

Por fim, o instituto da suspensão condicional do processo, previsto no artigo 89 da Lei 9099/95 é aplicável a todos os crimes, pois eles possuem pena igual ou inferior a 1 ano. Dispõe o artigo 89 da Lei dos Juizados Especiais (9.099/95):

Art. 89. Nos crimes em que a pena mínima cominada for igual ou inferior a um ano, abrangidas ou não por esta Lei, o Ministério Público, ao oferecer a denúncia, poderá propor a suspensão do processo, por dois a quatro anos, desde que o acusado não esteja sendo processado ou não tenha sido condenado por outro crime, presentes os demais requisitos que autorizariam a suspensão condicional da pena (art. 77 do Código Penal).

Como visto, os direitos dos trabalhadores conforme a CLT e Código Penal estão protegidos.
Saiba mais sobre estes e outros direitos dos trabalhadores clicando nos nossos artigos:
- Veja sobre Direitos do trabalhador;
- Veja sobre Direitos dos bancários;
- Veja sobre Direitos dos domésticos;
- Veja sobre Cálculo de rescisão;
- Veja sobre Advogado Grátis;
- Veja sobre Advogados online;
- Veja sobre Rescisão contratual;
- Veja sobre Seguro Desemprego;
- Veja sobre tipos de prova;
- Veja os endereços das varas do trabalho;

Santos & Nascimento – Advogados Trabalhistas – Advocacia trabalhista
Acesse nosso site http://www.advogadostrabalhistas.com/

Escritório 1 - Av. Prof. Francisco Morato, 2347, Cj. 02, Morumbi, SP CEP: 05513300
Escritório 2 - Av. das Flores, 660, Sala 5 – Em frente ao Fórum - Jardim das Flores - Osasco – SP - Cep - 06110-100
Santos & Nascimento – Advogados trabalhistas – Advocacia Trabalhista
Os diversos ramos da Advocacia trabalhista e a atuação do advogado trabalhista
Para saber mais, entre em contato pelo fale conosco nos fones : (11) 3424-0666 e (11) 9911-4671 ou visite nossos escritórios – Localização:
Escritório 1 - Av. Prof. Francisco Morato, 2347, Cj. 02, Morumbi, SP CEP: 05513300
Escritório 2 - Av. das Flores, 660, Sala 5 – Em frente ao Fórum - Jardim das Flores - Osasco – SP - Cep - 06110-100
Saiba mais clicando em http://www.advogadostrabalhistas.com/
Autor: Jeferson Santos