Resenha: O Materialismo Histórico



Graduação em Psicologia

Disciplina: Antropologia

Professor Cesar Sabino

2008

Regina Braz Lopes

RESENHA O MATERIALISMO HISTÓRICO

Centro Universitário Celso Lisboa

Rio de Janeiro, Brasil

Engels, FriedrichMarxe, Karl (1820-1895). Materialismo Histórico. Interpretação dos acontecimentos históricos como fundados em fatores econômicos sociais.

O MATERIALISMO HISTÓRICO

Regina B. Lopes

Nesta resenha, pretendo mostrar como O materialismo histórico, de Friedrich Engels utilizado para designar o método de interpretação histórica proposto por Karl Marx é uma abordagem metodológica ao estudo da sociedade, da economia e da história .

A teoria serve também como forma essencial para explicar as relações entre sujeitos. Assim, como exemplos apontados por Marx, temos durante o feudalismo os servos que teriam sido oprimidos pelos senhores (confrontos entre diferentes classes sociais decorrentes da exploração do homem pelo homem desde as sociedades mais remotas até à atual), enquanto que o capitalismo seria a classe operária pela burguesia.

Marx desenvolveu uma concepção materialista da História, afirmando que o modo pelo qual a produção material de uma sociedade é realizada constitui o fator determinante da organização política e das representações intelectuais de uma época, ou seja, o significado de "nível de renda" depende, na verdade, de uma determinação a nível social. A distribuição não pode ser separada de produção. O espaço social, portanto, é composto por um complexo de sensações e imagens do indivíduo, e suas reações, sobre um simbolismo espacial que envolve esse mesmo indivíduo. Cada pessoa – assim parece viver em sua própria teia de relações espaciais, por ele mesmo construída, e como contida em seu próprio sistema geométrico.

Após ouvir as ministrações nas aulas de Antropologia e em posse de um trecho de um livro e pesquisas, penso que tudo isso comporia um quadro deprimente, do ponto de vista analítico, não fosse de que grupos de indivíduos parecem identificar imagens essencialmentesimilares acerca do espaço que os envolve, e também parecem elaborar modos semelhantes de julgamentos significados e comportamentos.

A construção de uma alternativa, surge e ressurge ao longo dos séculos. Uma teia de argumentos entrelaçados e coloca (a mim certamente) algumas dificuldades sérias.

O materialismo histórico é, de açodo com Marx, o "fio condutor" de todos os estudos subseqüentes.

Há um fio condutor de discussão sobre a natureza do espaço em termos de várias formas de análise.

Discussões inacabadas da fundamentação da problemática de Marx da possibilidade de renda absoluta sobre diferenças intersetoriais na composição orgânica de capital.

Deve-se enfatizar, no entanto, que as críticas levantadas, nessa resenha, o foram de dentro da aceitação do ponto de vista teórico que Marx tenta estabelecer. Como tal, cria abertura de uma nova estrutura de debate para o estudo do processo urbano.

Referências Bibliográficas:

·Material disponibilizado pelo professor Cesar Sabino

·Biblioteca Socialista(http://www.pco.org.br/biblioteca/socialista/inicio_temas.php)

·Algo sobre Vestibular -História – Materialismo Histórico, O – Karl Marx

·Iniciação a História da Filosofia – Jorge Zahar

·Wikipédia – A enciclopédia livre

·Livro "A Justiça Social e a Cidade – Harvey, David.


Autor: Regina Lopes