Filme: A Missão



FICHA TÉCNICA: A MISSÃO. Direção: Roland Joffé. Produção: Fernando Ghia e David Puttnam. BrasilFilms International, 1986, 1 DVD.

FILME: A MISSÃO

Com grande preocupação de transformar a experiência missionária em obra histórica os jesuítas passam a compor o cotidiano indígena institucionalizando sua crença cristã e sua cultura européia. Esta afirmação esta presente no texto da autora Janice Teodoro, bem como no filme A Missão. É devemos compreender que os jesuítas defendiam uma importância de se conhecer o outro, neste caso os indígenas. Assim buscando um diálogo lingüístico, cultural por meio principalmente das escrituras sagradas, estes religiosos superam a barreira do idioma procedendo num transplante cultural lento, mas não unilateral, visto que os jesuítas ao ensinarem e pregarem suas crenças influenciava os povos indígenas e consequentemente também eram influenciados pelas culturas indígenas.

Nesse filme podemos destacar o conflito entre colonos e Jesuítas, o qual foi muito bem abordado, descrevendo a existência de rivalidades entre os jesuítas e os colonos, visto os colonos estar constantemente em uma buscava insistente de bens e lucros, e com isso infligiam tratados e normas que região a situação dos indígenas.

Tornando assim o trabalho das missões mais complicado, pois os colonos capturavam os índios a fim de manter um comércio escravo, o que influenciava estes novos escravos com seus maus costumes e com suas condutas anticristãs.

Destaca-se ainda o fato descrito no filme, que para os índios sobreviverem a tantos conflitos e novos conhecimentos, estes desenvolveram mecanismos que permitisse organizar os conflitos, e as variedades da cultura européia dentro da sua. Mesmo assim esses índios não compreendiam os ensinamentos cristãos, pois aprendia uma doutrina a qual pregava a monogamia, a bondade, o ser justo e posteriormente observavam os colonos cristãos desrespeitando os ensinamentos de Deus e dogmas da Igreja Católica.

Dessa forma podemos imaginar como estes conceitos eram de difícil entendimento para o indígena, pois os preceitos ensinados não regulavam a vida dos colonizadores, ou seja, pregavam uma coisa e faziam o oposto. Por fim acredito que o filme, é de grande valia para nós, pois apresenta diversos fatos históricos necessários ao nosso entendimento, fazendo-nos compreender a natureza da colonização e suas dificuldades, tanto para os indígenas quanto para os colonos. Deixa claro os problemas de se conviver com o próximo, ou desconhecido o qual traz em sua vivência uma tradição que não pode ser removida e apagada sem influenciar a do outro.Por fim no Brasil podemos percebe a influencia da cultura indígena, nos nomes de cidades, na medicina, nas artes plásticas, nas novas religiões e no homem, o qual acreditou um dia que poderia influenciar ou subjugar grupos indígenas sem ser influenciado ou sofrer resistências.


Autor: EDUARDO SANTOS