Ética no Mercado de Trabalho



O presente tema está atrelado à finalidade de delimitar a questão Ética, relacionando-a a produção e ao domínio das normas e dos valores que regulam a sociabilidade ou consciência dos homens em sociedade. Refletir sobre a conduta humana é essencial, e que permite que o homem possa confiar no homem, e na sua configuração, marca assim a própria maneira de existir dos homens, podendo-se até mesmo afirmar que é pelo trabalho que se configura. Hartmann (apud Cotrim, 2002, p.262) afirma que “o homem é uma espécie de interseção entre dois mundos: o real e o ideal. Pela liberdade humana, os valores do mundo ideal podem atuar sobre o mundo real”. Assim, o trabalho ocupa lugar fundamental na constituição da existência dos homens históricos, porque sustenta a própria manutenção de sua vida biológica. Dessa maneira, trabalhar é condição imprescindível para que o indivíduo se humanize que seja um ser humano. Portanto, o trabalho é necessário para humanizar os indivíduos como também para degradá-los, desumaniza-los, fazendo com que percam sua especificidade humana. Nesta situação, o indivíduo é reduzido à simples condição de animal ou máquina é por isso que a filosofia contemporânea insiste em afirmar que os homens são “aquilo que ele se faz” ao fazer as coisas, incluindo nesse fazer também o fazer técnico, que manipula e modifica o mundo natural (SEVERINO, 1994, p. 58-59). Nas diversas situações do dia-a-dia as pessoas estão construindo sua própria condição de ser especificamente humano, sendo verdadeiramente responsável por suas ações de forma a interagir adequadamente na sociedade, seguindo normas comuns, que são unidas pelo sentimento de consciência do grupo. A partir desta constatação encontramos regras e leis que acontecem dentro de certa ordem que o homem não a recebe pronta, mas inventa-o de acordo com as suas necessidades e aspirações modificadas ao longo da história. Segundo Gonçalves (1997, p. 10), por ordem humana entende-se o conjunto de normas, regras, leis, valores, modos de relacionamento seja no trabalho, na família ou entre os amigos. Baseando-se em diversas pesquisas encontra-se a mesma definição para ética.

O que é ética?

A ética se fundamenta em uma teoria dos valores e normas que regem as condutas humanas e tem como objeto de reflexão as experiências morais do ser humano pautados pelo enrtendimento do que é bom ou mal, certo ou errado, justo ou injusto, bem como os juízos de valor sobre as experiências elaboradas por uma consciência.

Muitas vezes, ética e moral são termos usados como sinônimos, uma vez que epistemologicamente, ética (do grego "ethos") e moral (do latim "mos, morim") significam "costumes". No entanto, para alguns autores, a moral refere-se às normas ou regras que regem certos aspectos da conduta humana. A ética destina-se à disciplina filosófica que trata de estabelecer os fundamentos e a validade das normas morais e do juízo de valor sobre as ações humanas. Juízo de valor resulta da apreciação que se faz das coisas, dos fatos e dos indivíduos que estão presentes na moral, nas artes, na política e na religião.

O sujeito ético ou moral deve responder pelos seus atos, isto é, deve avaliar os efeitos e as conseqüências de suas ações, responsabilizando-se pelas mesmas.

A questão ética é, portanto, fundamental para a filosofia contemporânea fundamentada nas atividades realizadas de maneira puramente instintiva.

Tal como afirma Severino (1994, p. 140) "Podem varias os conteúdos dos sistemas éticos, mas todas as comunidades humanas vivenciam, sob formas particularizadas, a sua sensibilidade ética". Desse modo, percebe-se que a ética se relaciona com a esfera do trabalho, da sociabilidade e da cultura simbólica, através de um processo permanente de decifração de sentido da existência humana que envolve a prática histórico-social dos homens.

A dimensão ética no mundo do trabalho

Com base no papel atribuído à atividade humana, a sociedade moderna desenvolve uma ética do trabalho que consiste em entender essa atividade como fator fundamental à construção da identidade e da realização pessoal onde prevalecem relações fundadas na dignidade, liberdade e na igualdade entre os homens.

Desse modo, uma reflexão sobe a dimensão ética nas empresas deverá passar pelo resgate da qualificação profissional, mas incluirá outros aspectos organizacionais com relação a dimensão pública da ética e da cidadania.

Portanto, pensar a questão ética nas organizações empresariais é necessário definir o objetivo desse tipo de organização. Uma organização empresarial, utilizando determinada tecnologia, produz algum bem ou serviço, para ser comercializado em função de atendimento a demandas da sociedade.

A primeira responsabilidade de uma empresa é apresentar um bom desempenho econômico, de forma a cobrir os custos e acumular capital. O compromisso das empresas envolve, sobretudo, questões raciais, de sexo, distribuição de renda, manutenção do meio ambiente e os problemas mais gerais que afligem a sociedade.

A ética da dignidade da pessoa humana poderá impedir que a empresa faça qualquer tipo de discriminação por uma visão preconceituosa de raça ou de sexo. Atuando com base no valor da dignidade da pessoa a empresa põe em questão o desenvolvimento de uma prática coerente com uma ética pública em que se preservam os interesses da organização de forma a contribuir para o bem estar da sociedade como um todo.

As responsabilidades da empresa passam pelo sujeito humano que responde pela administração: o administrador. Nessa função concentram-se os compromissos éticos que geram sobre os indivíduos as expectativas éticas.

Pode-se dizer que a cultura ética das organizações passa por certa compreensão do trabalho e das relações sociais. A empresa que tem o hábito de enganar, mentir ou roubar, que trata seus clientese funcionários com desprezo, dificilmente terá um corpo funcional eficiente e ético.

Contudo, para um exercício profissional ético não basta, entretanto, apenas a competência técnica, mas torna-se fundamental o estabelecimento de relação de confiabilidade entre o trabalhador e a gerência e vice-versa.

Desse modo, pode-se perceber que o objetivo de obter lucro e êxito na empresa é muitas vezes identificado como fator responsável por uma prática antiética das empresas.


Autor: Leidiane Santos