Caracterização Química De Resíduo Sólido Proveniente Da Atividade De Corte E Beneficiamento De Mármore E Granito Em Empresa Localizada No Município Da Serra / Es



Relação entre a qualidade microbiológica da água de consumo humano e a ocorrência de um surto de Hepatite A em três bairros do município de Vitória/ES: um estudo de caso.

Lindalva Marques da Silva

Engenheira Química graduada pela Universidade Federal Fluminense em 1977; Licenciada em Química pelo CEFET de Minas Gerais em 1988; Mestre em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal do Espírito Santo em 1997; Engenheira Química da Prefeitura Municipal de Vitória; Atua no Programa Vigiágua - Secretaria Municipal de Saúde, Vitória-ES.

Endereço: Rua São Cristóvão, 27, Jacaraípe, CEP: 29.173-830. Serra/ES. Telefone: (27) 3252-3247. Fax: (27) 3382-6752. e-mail: lindalvamarques5@hotmail.com

Tânia Maria Arrebola

Bióloga graduada pela Universidade Federal do Espírito Santo em 1981; Especializada em Saúde Pública pela Faculdade Estácio de Sá em 2006; Bióloga da Prefeitura de Vitória/ES; Atua no Programa Vigiágua - Secretaria Municipal de Saúde, Vitória/ES. E-mail: tmar59@hotmail.com

Edna Hollunder de Souza

Graduada em Medicina pela Universidade Federal do Espírito Santo em 1984;
Especializada em Clínica Geral pela UFES; Médica da Prefeitura de Vitória;
Atua como Referência Técnica da Vigilância Epidemiológica/Hepatite A - Secretaria Municipal de Saúde, Vitória/ES.

Gabriel dos Anjos de Jesus

Graduado em Química Industrial pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1969; Mestre em Química Inorgânica pela Universidade de São Paulo em 1972; Licenciado em Química pelo CEFET/MG em 1988; Atua como professor de Química no Curso de Licenciatura em Química do CEFET/Campos. E-mail: jesanjos@hotmail.com

Relação entre a qualidade microbiológica da água de consumo humano e a ocorrência de um surto de Hepatite A em três bairros do município de Vitória/ES: um estudo de caso.

RESUMO

Este trabalho analisa os possíveis fatores relacionados com as ocorrências de Hepatite A nos bairros Grande Vitória, Estrelinha e Inhanguetá localizados no município de Vitória, Estado do Espírito Santo, verificadas de abril a junho do ano de 2006, e a qualidade bacteriológica da água consumida pela população dos locais considerados. As análises microbiológicas realizadas na água consumida pelas comunidades estudadas não apresentaram resultados indicadores de contaminação por coliformes termotolerantes, dando a entender que a ocorrência do surto de Hepatite A pode estar relacionada com a deficiência nas práticas higiênicas adotadas pela população local.

INTRODUÇÃO

A Hepatite A (HA) é uma das mais antigas doenças conhecidas pelo homem e representa um problema de extrema importância para os países em desenvolvimento, devido aos altos coeficientes de incidência, assim como para os países desenvolvidos, nos quais, devido à melhoria das condições sanitárias e de higiene pessoal, observou-se um declínio da incidência da moléstia e um aumento na idade de aquisição da infecção1. As medidas preventivas inespecíficas para se evitar a exposição ao VHA (vírus da Hepatite A), tais como higiene pessoal meticulosa, melhoria dos padrões sanitários da comunidade e ausência de aglomeração humana, têm respondido pela diminuição da incidência da HA nos países desenvolvidos2. Considerando que o vírus da Hepatite A pode ser transmitido através da água, é imprescindível que esta seja submetida à desinfecção por processos adequados que representam uma etapa essencial para obtenção de água potável3. A estação de tratamento que abastece a região estudada utiliza gás cloro como produto de desinfecção.

CARACTERIZAÇÃO DOS BAIRROS ESTUDADOS

Os bairros Grande Vitória, Estrelinha e Inhanguetá ficam vizinhos à área de manguezal compondo uma área que abriga, em sua maioria, famílias de baixa renda. A região é abastecida com água da ETA I, dispõe de coleta e tratamento de esgotos, é beneficiada com coleta pública de lixo de forma regular (diária) e as ruas dos bairros são calçadas. Após a confirmação dos casos de Hepatite A detectados, a Vigilância Epidemiológica e a Vigilância Ambiental do município de Vitória iniciaram o processo de investigação e acompanhamento do episódio. Desta forma algumas informações importantes foram obtidas:

1) as ruas dos bairros que se situam mais próximas à maré são invadidas pelas águas durante alguns períodos de “maré alta”, promovendo seu contato direto com os moradores; 2) a população do local tem como prática usual o lançamento de lixo em área aterrada, próxima à maré o que provoca seu espalhamento no entorno das residências; 3) existem residências lançando seus esgotos diretamente na galeria de águas pluviais existente no local; 4) a drenagem pluvial contaminada com esgotos é lançada nas águas da maré; 5) nas residências com casos confirmados de HA verificou-se negligência com cuidados primários de limpeza e com a conservação da habitação, e, ainda grande número de pessoas residindo na mesma moradia; 6) a escola freqüentada pelas crianças acometidas pela Hepatite A, foi inspecionada por equipe da Vigilância Sanitária que não constatou a existência de fatores de riscos propícios à transmissão da doença.

CASOS DE HEPATITE A NOS BAIRROS CONSIDERADOS

A quantidade de casos de Hepatite A, que ocorreram de janeiro de 2000 a junho de 2006, nos três bairros estudados, são apresentados na tabela 1.

Tabela 1 – Casos de Hepatite A nos bairros Grande Vitória, Estrelinha e Inhanguetá, de 2000 a 06/2006


Autor: Lindalva Marques da Silva


Artigos Relacionados


Embaixo Do Calçadão...

O Processo Da Independência Do Brasil

Dia Das MÃes (peÇa De Teatro Infantil)

Sem Querer Querido!

Brilho

Mais Uma Canção

Independência