Ofertas: Qual Tem Sido A Sua Atitude Para Com Elas?



Ofertar é um ato de amor inspirado por Deus em nós. Como participantes do corpo de Cristo somos chamados a contribuir para Sua Obra: “Ide por todo o mundo, e pregai o Evangelho a toda criatura. Aquele que crer e for batizado será salvo; o que não crer será condenado.” (Marcos 16,15-16). Para que este mandamento do Senhor possa ser cumprido é preciso que as igrejas enviem seus emissários a cumpri-lo. Este fato, logicamente, não nos exime de fazê-lo também, evangelizando àqueles que Deus nos dá, nos coloca próximos com essa finalidade.
Além disso, a igreja também tem despesas de manutenção (água, luz, telefone, material de consumo) e algumas tem programas de TV, rádio e na internet para expansão dos canais de divulgação da Palavra de Deus e sabemos que tudo isso custa bastante dinheiro.
Algumas atitudes espirituais e objetivas acompanham o ato de ofertar, tanto os novos convertidos como, inacreditavelmente, aqueles que já estão há mais tempo seguindo a Cristo: são os lastimáveis extremos que oscilam entre ignorar solenemente o pedido feito pelo pastor ou dispor de tudo o que se tem...
A palavra de Deus nos diz que o Senhor nos deu espírito de moderação, ou seja, equilíbrio em nossas atitudes, nem tanto ao mar, nem tanto a terra... A Palavra diz ainda que o precipitado peca, então, calma. Deus nos toca o coração a ofertar, inexplicavelmente sabemos o quanto, como e quando devemos fazê-lo. Deus é bom, Deus é de paz portanto Ele jamais nos pede algo que não tenhamos ou que nos fará falta. Não feche o seu coração ao pedido de Deus feito na hora em que a oferta está sendo levantada.
Por outro lado fique atento ao “estelionato espiritual”: a sua casa é sua; o seu carro é seu e eles devem permanecer assim. Deus não precisa que você os dê para a igreja e fique sem teto e andando à pé para que Ele possa te abençoar! Deus quer obediência e não sacrifício. A benção de Deus é gratuita! Ofertar é ajudar na expansão da pregação do Evangelho, que é uma coisa bem diferente, é um ato voluntário e de amor para com a obra de Deus.
Então como saber como, quando, quanto vou ofertar? Simples: Deus te toca o coração para tal. Um erro muito comum é ofertar sob pressão externa do pedido, por dó, por insistência do Pastor, por ver que há uma necessidade, tristes, por “moeda de troca” com Deus, mas estes não são os sentimentos que Deus espera dos seus filhos nesta hora, pois a Palavra diz que Deus ama aquele que dá com alegria! (“Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.”. 2 Coríntios 9 Versículo 7).
Foi Deus quem nos criou e ele conhece profundamente até as intenções do nosso coração e sonda até a profundidade do nosso ser, sabe perfeitamente como é a humanidade. Examine bem como anda o seu sentimento quando se fala em oferta: raiva? tristeza? dó? é objeto de troca mercantil com Deus? Ore a Deus, rasgue o seu coração para Ele, confesse diante dEle o seu sentimento em relação ao assunto, seja ele qual for, peça ajuda ao Pai, que jamais nega um pedido nosso. Peça a Deus a correção interior, para ter o sentimento certo: a alegria vinda do coração ao ofertar!
Não posso negar, por outro lado, que a Palavra também que diz que quem planta colhe (“Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo – Lucas 6.38; E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará. 2 Coríntios 9 Versículo 6), sim definitivamente é uma verdade bíblica, mas não caia na tentação de fazer da sua oferta uma banca de troca com Deus, não oferte por ganância! Deus não é uma bolsa de valores, Ele é infinitamente mais do que isto, Ele é o dono da prata e do ouro e te ama e te abençoa de graça!
Antes, durante e após a sua oferta seu sentimento tem que ser de sincera alegria para com Deus. Quem ama a Cristo e ao Evangelho fica naturalmente muito feliz em poder ajudar na manutenção e no crescimento da obra de Deus.
Em Malaquias 3 versículos 8 a Palavra de Deus além de falar sobre os dízimos também faz menção às ofertas alçadas como parte da obediência que devemos a Deus. (Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas.) Obedeça com alegria.
Lembre-se: quem ajuda a obra é quem a ama, não existe qualquer subvenção ou auxílio financeiro do poder público e, particularmente, é muito bom que seja assim, pois garante independência, evitando interferências da máquina estatal, quem dirige a obra é o próprio Deus! Glórias a Deus por isso !
Um último lembrete importante: dar o melhor em quantidade não representa ter dado o seu melhor, pois o que importa para Jesus é a qualidade da sua oferta. Pense nisso!


Em Nome de Jesus.

Mônica Gouvêa Sgarbi Gazzarrini
E-mail: mogazzar@gmail.com

Visite artigos sobre a caminhada com Deus em: http://bencaossemlimites.blogspot.com/

"Jesus Cristo é o Senhor"


Autor: Monica Gazzarrini


Artigos Relacionados




Tudo Posso Em Deus

Deus NÃo É Passageiro

A TentaÇÃo Vem Em Todas As Áreas Das Nossas Vidas: Cuidado!

NÃo EndureÇa O Seu CoraÇÃo A Deus.

Crer De Verdade Que Deus Faz A Obra Em Todas As Áreas Da Nossa Vida.

Deus Ii