CONTENDAS, breve estudo



CONTENDAS

 

Autor: http://culturaevangelica.blogspot.com/  culturaevangelica@gmail.com

 

Ferramenta destrutiva do inimigo, ela deve ser combatida na vida cristã e na sua manifestação dentro da igreja do Senhor Jesus. Sua origem, manifestação, causas e conseqüências são amplamente abordadas pelo Apóstolo Paulo, com o fim de preparar para o Senhor Jesus um povo “zeloso de boas obras”.

E, para isso, devemos ter plena consciência sobre nossa responsabilidade em relação a esse tema, conforme a regra geral das Escrituras Sagradas: Todavia o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniqüidade.(2º Timoteo 2, 19).

Temos aqui um breve estudo.

 

Referências bíblicas sobre o tema

LER :  2º Tm 2, 1 a 26

Onde nascem as contendas – 1º Tm 6,4

Não entres – Tito 3,9

Questões loucas e sem instrução produzem contendas – 2º Tm 2,23

Pervertem os ouvintes – 2º Tm 2,14

Contendas são obras da Carne – Gl 5, 19 n a 26

 

LER:  1º Tm 1, 3 a 7

É Carnalidade – 1º Cor 3,3

Prejudicam a fé – Rm 14,1

Devemos ser inimigos delas – I Tm 3,3

Paulo temia que a Noiva fosse enganada – II Cor 11, 3

 

Sua Definição

CONTENDA – segundo Orlando Boyer, em seu Pequeno Dicionário Bíblico, pág. 192, é: debate, disputa, controvérsia, luta.

 

 

Suas Origens

Pouco elogioso para a igreja é constatar que as contendas têm como raiz a carnalidade do ser humano, em sua deprimente incapacidade de ter paz consigo mesmo e com os outros ao seu redor, revelando ausência de domínio próprio e do aprendizado da Palavra de Deus.

 

Onde nascem

1º Tm 6, 3 a 7

3 Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade,

4 É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas,

5 Contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais.

6  Mas é grande ganho a piedade com contentamento.

7 Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele.

Paulo, o apóstolo, nos mostra que a própria Palavra de Deus é, muitas vezes, fonte de contendas entre aqueles que não se conformam com os ensinamentos de Deus. Questionam tudo, causam polêmicas e colocam a Bíblia em cheque, tirando a autoridade da suprema sabedoria que pertence somente a Deus. A postura correta do cristão diante de um versículo que não compreende ou diante de um questionamento bíblico deve ser o de oração, pois somente a Deus está reservado o poder de revelar sua Palavra e o que verdadeiramente está dizendo através dEla.. Se o Espírito Santo não estiver no assunto, ninguém é edificado e cumpre-se Isaías 13:14-15:  Ouvindo, ouvireis, mas não compreendereis, E, vendo, vereis, mas não percebereis. Porque o coração deste povo está endurecido, E ouviram de mau grado com seus ouvidos, E fecharam seus olhos; Para que não vejam com os olhos, E ouçam com os ouvidos, E compreendam com o coração, E se convertam, E eu os cure.”

 

 

A exata medida na compreensão da Palavra de Deus

Sabemos que toda Palavra de Deus é pura, perfeita e divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, redargüir, corrigir e instruir em justiça.  (II Timóteo 3:16). Todavia, há um empecilho à sua plena compreensão: nem todos a poderão entender na sua exata medida. Isto porque o entendimento da Palavra está atrelado à “vontade” de Deus e não à vontade dos homens: “Graças te dou, ó Pai, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim te aprouve”. – Mt. 11:25 Isso explica o porquê das inúmeras controvérsias sobre muitos pontos das Escrituras Sagradas. Compreender a Bíblia na sua exata medida é dom de Deus e não pode ser alcançado por nenhum outro método humano.

 

Questões loucas e sem instrução produzem contendas

 2º Tm 2,23

Um conselho bíblico bastante esclarecedor diz respeito a disputas sobre assuntos duvidosos, inconvenientes ou que não edificam os irmãos e a igreja. Têm sido comum, através dos séculos e até nossos dias, debates sobre temas inúteis:  não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs." (Tg 3:9)  Debates assim, mesmo sobre os pontos da Lei Mosaica causam divisão entre os membros da igreja e guerra doutrinária entre denominações e mostra a incapacidade humana de compreender realmente a mensagem que a Igreja Primitiva compreendeu e que o apóstolo Paulo posteriormente resumiu na seguinte mensagem: "Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído."  (Gálatas 5 : 4)

Devemos lembrar que todo crescimento espiritual provêm de Deus e a Bíblia adverte: "MEUS irmãos, muitos de vós não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo." (Tiago 3:1).

Quando não conseguimos entre os homens uma resposta final para nossas dúvidas, devemos buscá-la em oração perante aquele que é o Autor e Consumador da nossa fé: Jesus Cristo.

 

Manifestação na Igreja

A contenda necessita de instrumentos para se materializar. Caso contrário se extingue: "Sem lenha, o fogo se apaga; e não havendo intrigante, cessa a contenda." (Pv 26:20) Se formos “vacinados” através de um estudo bíblico profundo sobre o tema as contendas diminuirão e até mesmo cessarão em nossas vidas.

 

Causas

Geralmente elas são causadas pela existência de imperfeições no caráter cristão e apontam para a falta de entendimento, crescimento e preparo espiritual.

Paulo sempre alertou sobre as contendas, que só produzem divisão ao invés de união, ódio ao invés de amor.

Contendas são obras da Carne – Gl 5, 19 n a 26

É definida como carnalidade e falta de crescimento espiritual– 1º Cor 3,3

Surge por motivos fúteis – disputa entre os apóstolos - Lucas 22:24

É excitada pelo Ódio – Pv 10,12

 

 

Conseqüências

Não raras vezes elas acarretam desinteligência entre irmãos e divisão nas igrejas:

Pervertem os ouvintes – 2º Tm 2,14

Prejudicam a fé – Rm 14,1

Enganam a Noiva de Cristo - II Cor 11, 3

 

Postura cristã diante das contendas

Não entres – Tito 3,9

Devemos ser inimigos delas – I Timóteo 3, 3.

Paulo temia que a Noiva fosse enganada – II Cor 11, 3.

Evitar assuntos mundanos – 2º Timóteo 2,16

Por um freio à boca - Salmos 39:1; Provérbios 21:23

 

Provérbios Para Meditação

"A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto." (Provérbios 18:21)

 

"O que guarda a sua boca e a sua língua guarda a sua alma das angústias." (Provérbios 21:23)

 

 

Casos bíblicos de contendas

O tema é extenso e acompanha a humanidade desde seu princípio, quando Caim matou seu irmão Abel por inveja, por concluir que era menos querido de Deus do que seu irmão. Quanto a isso Deus previamente o advertiu: "Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar." (Gênesis 4:7). Caim ignorou o aviso e não refreou seus sentimentos. Igualmente hoje muitos ignoram o aviso divino em todos os planos de sua vida e seus pecados descem, por fim, sobre suas próprias cabeças, como no trágico caso da inveja descontrolada de Caim. Veja alguns dos casos de contendas registrados na Bíblia:

 

Pastores de Gado – Gn 13,7

Labão e Jacó – Gn 31,36

Dois hebreus – Ex. 2,13

Paulo e Barnabé – Atos 15, 39

Fariseus e Saduceus – Atos 23,7

Os coríntios – 1º Cor 1,11; 6,6

Miguel com o diabo – Judas 9

Inveja de Caim – Gn. 4, 3-8

Entre os Apóstolos: Lucas 22:24

 

 

 

O domínio próprio

“O Conselho de Deus a Caim”

Gênesis 4, 3 a 8  

Desde o princípio Deus nos alerta que todo o mal sempre baterá de volta em nossa porta e sobre nós paira as conseqüências dos nossos erros, nos ensinando a lição: sobre eles “DEVES DOMINAR”. Veja:

E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR.

E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta.

Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante.

E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?

Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar.

E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou.

 

Portanto, embora o livre arbítrio nos permita fazer tudo o que queremos, sabemos que sobre é possível dominar nossos desejos, sob pena de ver as conseqüências baterem à nossa porta. Somos senhores e soberanos sobre nossas vontades, mas também somos responsáveis por nossas atitudes e escolhas. Exercer o domínio próprio e usar de sabedoria é o conselho divino para escolher somente o que produz bons frutos: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam." (I Coríntios 10: 23). Se muitas de nossas decisões fossem precedidas de leitura e meditação bíblica nossa vida cristã seria muito mais próspera e frutífera, conforme enfatiza o apóstolo Pedro: “E vós pondo nisto mesmo toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência, E à ciência a temperança, e à temperança a paciência, e à paciência a piedade, E à piedade o amor fraternal, e ao amor fraternal a caridade. Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem estéreis no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, nada vendo ao longe, havendo-se esquecido da purificação dos seus antigos pecados. Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis. Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo." -  (II Pedro 1:5-11)

 

 

Onde buscar orientação

A Palavra de Deus nos revela um segredo que é também uma regra bíblica: tudo o que plantamos isso mesmo colhemos. A semente de feijão jamais dará laranjas. Jamais se colherão abóboras de uma videira. Assim como as sementes esquecidas sob a terra se manifestam depois de muitos dias, mostrando o fruto daquilo que foi semeado, assim também as obras humanas: mesmo já esquecidas na memória, para nossa vergonha brotarão e trarão à luz os frutos dos atos passados, mesmo que ocultos.

O conselho de Deus a Caim é uma das primeiras doutrinas bíblicas. Ela nos ensina que sempre temos a opção de escolher entre o bem ou mal, entre o que agrada e o que desagrada a Deus. E isso é que nos torna diretamente responsáveis pelas decisões tomadas. Vemos então que, desde o princípio da humanidade a Palavra de Deus é a fonte única e suficiente para orientação cristã.

 

Onde mora o pecado?

Ora, se a Palavra de Deus é nossa única fonte de orientação, rejeitá-la já configura, por si só, a queda espiritual: "Visto que odeias a correção, e lanças as minhas palavras para detrás de ti." (Salmos 50:17). Depois da queda seguem-se os pecados. Por isso Caim não ficou isento de culpa ou pecado. Ele conhecia as conseqüências da quebra dessa regra no caso de seu pai Adão, que desprezou o aviso de Deus provando do fruto proibido, ainda que induzido a erro por Eva (jamais haverá justificação para o ato de lançar a Palavra de Deus para trás de nossas costas). Aceitando o conselho do diabo Adão atraiu sobre si, sobre Eva e sobre sua descendência as conseqüências de sua escolha. O primeiro erro do cristão será sempre o de não obedecer ao ensinamento bíblico. Portanto, a desobediência à Palavra de Deus gera a queda espiritual e acarreta todos os demais desastres que se seguem em nossas vidas. O rei Davi aprendeu e registrou a lição nas seguintes palavras: "Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti." (Salmos 119:11). Obedecer à Palavra de Deus é tudo de bom!

 

 

Responsabilidade nas decisões

Todos os problemas e assuntos diários devem ser calmamente refletidos à ótica da Palavra de Deus. Seguindo essa regra a Palavra trará os conselhos necessários à tomada de decisões em todos os planos da nossa vida. Seguindo os conselhos da Palavra sabemos que não pecamos. Não seguindo, cometemos mais um pecado: o de desprezar os conselhos de Deus.

Deixe Deus se manifestar em sua vida através de Sua Palavra. Leia a Bíblia Sagrada.

"Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego." (Romanos 1:16)

Que Deus abençoe a todos.

 

 

(a.)  Wagner Cipriano

http://culturaevangelica.blogspot.com/

culturaevangelica@gmail.com

 

“A manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil”, - 2º Cor 12:7

 


Autor: Wagner Cipriano


Artigos Relacionados


Como Ganhar Almas

PaixÃo Sobre A GeraÇÃo Beat (amo, Mas Nunca...)

Simplesmente Amor

Retrato De Adeus

NÓs, As Luzes

Cem Ou Sem. Quem é Quem?

Resta-me