MEDIDA DE JULGAMENTO



MEDIDA DE JULGAMENTO – 25/09/2009

 

 

Gostamos muito de julgar comportamento, julgar atitudes e principalmente dar veredicto sobre ações de pessoas. Como se nós fossemos juízes e pior se não errássemos. O mais interessante nesta nossa atitude é que quando nós erramos queremos ser absolvidos. Nosso erro nunca é demais para receber condenação. Até aceitamos em alguns casos que erramos, mas não queremos pagar por ele. Sempre tem um motivo justo para nosso erro.

 

O Evangelho Mateus descreve sobre isso e diz: ”Não julguem para que não sejam julgados” (Mateus 7:1). O conselho principal não é a forma como vamos julgar alguém, mas que de forma alguma devemos fazer julgamento. Completa ele, pois à medida que medirdes vos medirão também. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e à medida que usarem, também será usado para medir vocês.”(2) Jesus aqui proíbe que julguemos, pois, julgar é falhar no perdão. É exercer o ato de perdoar o próximo como queremos ser perdoados.

 

Se primeiro reconheço que erro e analiso meus próprios erros tenho a capacidade de perdoar o próximo.  Mas o que costumamos fazer é assentar no nosso rabo e olhar a poeira que o do outro faz ao ser surrado ao chão. Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?” (3)

 

Acontecem muitos julgamentos dentro das famílias. Costumamos acusar o outro de erros e não somos capazes de avaliar como se fossemos nós. Perdoarmos é algo difícil, porém, possível, assim liberamos nossa alma de tristezas e o outro de sofrimento pela acusação e julgamento.

 

Há alguém que também nos julgará, e será por uma medida justa e sem ter que se esconder. Jesus Cristo nos julgará por atos, palavras e coração. Seremos julgados pelo que fizemos ao próximo, a nós mesmos e a Cristo. Não escaparemos em nada.  Cada um de nós receberá a recompensa sobre cada feito. “Porque é necessário que todos nós sejamos manifestos diante do tribunal de Cristo, para que cada um receba o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou o mal.” (2 Corintios 5:10).

 

É desse julgamento que jamais poderemos nos esquecer. Jesus não deixará que nenhuma farça fique de fora, não adianta sermos bonzinhos perante Cristo, pois Ele não olha estes fatores. Cada ato fora da lei divina será julgado, condenado.

 

Se não conseguem ter uma vida reta e santa diante de Deus, peça a Ele e Ele o concederá. Não precisa ficar se sentindo apenas fora dos critérios de julgamento divino, Ele pode mudar o rumo do seu julgamento. Deixando para trás toda falsidade, engano, mentira, ódio, roubos, mortes e fazer mal ao próximo, inveja e outros.

 

Quando cada um de nós pára para pensar em nossos erros descobrimos que precisamos urgentemente que Cristo nos limpe de nossos pecados. A hora de sermos julgados está chegando. Cada um de nós prestará contas diante do trono de Deus. Sendo pobres, ricos, afortunados ou não. Não importará se sejamos letrados ou não. Dependerá de como conduzimos nosso chamado de sermos servos de Cristo.

 

Ainda é tempo de repensarmos cada atitude, a morte ainda não pediu nossa alma, e quando ela pedir o que tem a dizer? O que a apresentará a seu favor. Podemos ainda repensar nossa atitudes familiar, amizades, o que tem feito de sua vida que é um dom de Deus.

 

Cada dia nos mostra que cristo já volta, breve virá. O que terá a apresentar no tribunal de Deus.

 

Até a próxima...

 

Silvia Letícia Carrijo de Azevedo Sá

leticiacarrijo@oi.com.br

http://www.artigonal.com/find-articles.php?q=silvia+leticia

 

 

 

 

 

 


Autor: Silvia Leticia Carrijo


Artigos Relacionados


Cidade Mineira

A Chave Da Felicidade

Um Presente Especial

A ExtinÇÃo Da Fauna

A Morte De Matilde

A Velha Casa De Flores

Saudade (poesias)