Sistematização do processo de enfermagem: implantação em hospital do vale do Taquari e Rio Pardo



Systematization of the nursing process: implementation in Valley Hospital Taquari and Rio Pardo

Sistematización del proceso de enfermería: aplicación en el Hospital Valle de Taquari y Rio Pardo

Autores: Rafaela Sousa da Silva dos Santos1

Arlete Eli Kunz da Costa2

1Pós Graduanda Latu Sensu em Gestão em Saúde do Centro Universitário UNIVATES 2009 e enfermeira coordenadora do Hospital Ana Nery – SCS. E-mail: rafaelasilva_enf@hotmail.com

2Mestre em Desenvolvimento regional na UNISC 2003. Coordenadora do curso de Enfermagem da UNIVATES e professora dos cursos de Enfermagem, Nutrição e Educação Física. E-mail: arlete.costa@bewnet.com.br

RESUMO

Trata-se de um trabalho de conclusão de curso de pós-graduação desenvolvido na UNIVATES – Universidade dos Vales/RS - Brasil, tendo como objetivos implantar o começo da SAE através da utilização de um instrumento de coleta de dados para o paciente, que será utilizado no momento da internação, em uma unidade de internação clínica e cirúrgica como piloto para toda a instituição; investigar junto os enfermeiros a necessidade da sistematização do processo de enfermagem e o quanto a sistematização da assistência de enfermagem é viável e elaborar um instrumento de coleta de dados, para ser utilizado pela equipe de enfermagem na internação do paciente, como forma de coleta de dados, em uma unidade clínica-cirúrgica em um hospital de médio porte visando o registro de forma eficiente. A metodologia utilizada foi a pesquisa do tipo qualitativa, com abordagem descritiva. Foi concluído que os enfermeiros acreditam na importância e na viabilidade da implantação da SAE na instituição onde atuam e que traria diversos benefícios tanto para a instituição, para a equipe e principalmente para o paciente que é o foco do trabalho da enfermagem.

Palavras-chaves: Sistematização. Assistência. Enfermeiro.

ABSTRACT

This is a work of completion of graduate studies in developed UNIVATES - University of the Valleys / RS - Brazil, having as objectives to deploy the beginning of the SAE by using an instrument to collect data for the patient, to be used at admission, a unit of clinical and surgical hospitalization as a pilot for the entire institution and investigate nurses with the need for systematization of the nursing process and how the systematization of nursing care is feasible and to produce a collection instrument data to be used by nursing staff in patient hospitalization as a means of data collection in a medical-surgical unit in a medium-sized hospital in order to register efficiently. The methodology used was the type of qualitative research, with descriptive approach. It was concluded that nurses believe in the importance and feasibility of the implementation of SAE in the institution where they work and would bring several benefits to the institution, for the team and especially for a patient who is the focus of nursing work.

Keywords: Systematics. Assistance. Nurse.

RESUMEN

Este es un trabajo de finalización de estudios de postgrado en UNIVATES desarrollados - Universidad de los Valles / RS - Brasil, teniendo como objetivos para implementar el principio de la SAE mediante el uso de un instrumento de recolección de datos para el paciente, que se utilizados en la admisión, una unidad de hospitalización clínica y quirúrgica como un piloto para toda la institución e investigar las enfermeras con la necesidad de sistematización del proceso de enfermería y cómo la sistematización de la atención de enfermería es posible y para producir un instrumento de recolección de de datos a ser utilizados por personal de enfermería en hospitalización del paciente como un medio de recogida de datos en una unidad médico-quirúrgica en una de tamaño medio hospitalario, a fin de registrar de manera eficiente. La metodología utilizada fue el tipo de investigación cualitativa, con un enfoque descriptivo. Se concluyó que las enfermeras creen en la importancia y la viabilidad de la aplicación de SAE en la institución donde trabajan y traería varios beneficios a la institución, para el equipo y sobre todo para un paciente que es el centro de trabajo de enfermería.

Palabras clave: Sistemática. Asistencia. Enfermera.

1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

O interesse por investigar a presente temática surgiu mediante a minha experiência quanto enfermeira e coordenadora de uma unidade de internação clínica e cirúrgica de um hospital de médio porte no interior do Rio Grande do Sul, onde pude vivenciar a assistência de enfermagem e o quanto o processo de enfermagem necessita de sistematização e reconhecimento perante a instituição, a equipe multiprofissional de saúde, aos pacientes e principalmente a própria equipe de enfermagem.

O trabalho de enfermagem vem sendo desenvolvido nesta instituição de forma "empírica", ou seja, não este baseado na ciência da enfermagem quanto profissão. O enfermeiro assume um papel de mediador de conflitos, se envolvendo muitas vezes com situações não relacionadas com o paciente e a qualidade de seu atendimento e acaba não utilizando o processo de enfermagem como método para a sistematização da assistência de enfermagem.

Assim buscamos com este estudo abordar uma das fases do processo de enfermagem, a coleta de dados, colaborando os conhecimentos relacionados com a SAE.

O registro dos dados promove a continuidade da assistência, a exatidão das anotações e o pensamento crítico, uma vez que o enfermeiro poderá fazer uma avaliação do registro de suas informações e com isso analisar os dados coletados e aprofundar seus conhecimentos. A organização dos dados é essencial para interpretação dos mesmos e para o processamento apto e crítico de inferências e julgamentos.(1)

Com base nessas considerações, o presente trabalho estabeleceu como objeto: A construção de um instrumento de coleta de dados na internação do paciente como forma de estabelecer o início do processo de enfermagem.

Com isso as questões norteadoras do presente estudo foram:

  • Qual a necessidade da utilização de um instrumento para coleta de dados na internação de um paciente como facilitador da sistematização da assistência de enfermagem?
  • Como os enfermeiros referem a importância da sistematização da assistência de enfermagem através do processo de enfermagem?

Assim para responder as questões norteadoras delinearam-se como objetivos:

·Implantar o começo da SAE através da utilização de um instrumento de coleta de dados para o paciente, que será utilizado no momento da internação, em uma unidade de internação clínica e cirúrgica como piloto para toda a instituição.

·Investigar junto os enfermeiros a necessidade da sistematização do processo de enfermagem e o quanto a sistematização da assistência de enfermagem é viável;

·Elaborar um instrumento de coleta de dados, para ser utilizado pela equipe de enfermagem na internação do paciente, como forma de coleta de dados, em uma unidade clínica-cirúrgica em um hospital de médio porte visando o registro de forma eficiente.

Este trabalho se justificou pela real importância e necessidade da SAE, para que com isso o trabalho da equipe de enfermagem se torne cada vez mais organizado e de qualidade e assim reconhecido pela instituição e principalmente pelos pacientes que são com certeza o foco de todo o nosso trabalho.

2. MÉTODO

O presente estudo tem como proposta metodológica uma pesquisa de caráter qualitativo, utilizando uma abordagem descritiva.

A pesquisa qualitativa trabalha com o universo de significados, motivos, aspirações, crenças, valores e atitudes, o que corresponde a um espaço mais profundo das relações, dos processos e dos fenômenos que não podem ser reduzidos à operacionalização de variáveis.(2)

Segundo Gil (2002), as pesquisas descritivas têm com objetivo primordial a descrição das características de determinada população ou fenômeno ou, então, o estabelecimento de relações entre variáveis.(3)

O autor acrescenta que uma de suas características mais significativas do estudo descritivo está na utilização de técnicas padronizadas de coleta de dados, tais como o questionário e a observação sistemática.

A partir dessas considerações, optou-se por este tipo de metodologia, por acreditar-se que esta abordagem vai de encontro dos objetivos e necessidades do estudo que será realizado.

Os sujeitos desse estudo foram enfermeiros que vivenciam a assistência de enfermagem em um hospital de médio porte no Vale do Taquari e Rio Pardo.

Foi questionado a eles o que se entende sobre sistematização da assistência de enfermagem, qual a necessidade e a viabilidade desse meio de trabalho dentro da instituição e quais os benefícios para a equipe, para o paciente e para a instituição que podemos ter com a implantação da mesma. Dessa forma foi possível responder um dos objetivos inicialmente traçados. A fim de se poder mediante ao exposto por eles construir o instrumento de coleta de dados dentro da instituição.

Foram entrevistados o número de sujeitos necessários para esgotarem o significado da sistematização da assistência de enfermagem e também que atuam em unidades de internação clínica e cirúrgica, totalizando 08 enfermeiros, sendo utilizado o pseudônimo de flores para garantir o sigilo das pessoas.

A entrevista foi realizada com os enfermeiros que tiveram interesse e disponibilidade.Foram gravadas e transcritas para análise.

A instituição onde se desenvolveu o estudo foi o Hospital Ana Nery, localizado na cidade de Santa Cruz do Sul - RS.

Inicialmente foi utilizada com os enfermeiros, a técnica de entrevista semi-estruturada (anexo 3). Segundo Moura et al. esta entrevista requer a elaboração de questionamentos básicos (um roteiro preliminar de perguntas), apoiados nas questões e teorias descritas no estudo, de forma a oferecer amplo campo de interrogativas, que surgem à medida que se recebe as informações do sujeito da pesquisa. O entrevistador tem a liberdade de acrescentar novas perguntas ao roteiro para aprofundar e esclarecer pontos que ele considere relevante aos objetivos do estudo.(4)

Para registrar as falas das entrevistadas foi utilizado um gravador no intuito de não perder nenhuma informação e de deixar o entrevistado livre para alterar suas respostas com mais facilidade dando mais fidedignidade a elas.

Para a análise dos dados foi realizada uma análise de conteúdo que se deu em categorias.

A categorização utilizada na maioria dos procedimentos de análise de conteúdo, apesar de não ser obrigatória, é uma operação de classificação de elementos constitutivos de um conjunto, por diferenciação e, seguidamente, por reagrupamento, segundo o gênero (analogia), com os critérios previamente definidos.(5)

Foram utilizadas canetas coloridas para grifar as falas similares para posterior categorização e análise.

Foi utilizada como base para a realização da pesquisa a Resolução 196 de 10 de outubro de 1996, do Conselho Nacional de Saúde, que trata das pesquisas desenvolvidas com seres humanos.

Antes da realização das entrevistas um projeto de pesquisa foi enviado ao Comitê de Ética em Pesquisa da UNIVATES - COEP, solicitando autorização para a realização da mesma, que foi concedida através da resolução número 031/COEP/UNIVATES.

Foi enviado junto com o projeto, uma carta de autorização que foi enviada para a Instituição de realização da pesquisa (Anexo 1) e o modelo para o termo de consentimento livre e esclarecido (Anexo 2) dos enfermeiros que foram entrevistados, para que assim fosse aprovado pelo mesmo Comitê de Ética em Pesquisa da universidade.

3. ANÁLISE DOS DADOS

Neste capítulo descreve-se a análise dividida em dois momentos: categorização do sujeito e as categorias de análise.

3.1 Caracterização do Sujeito

Os enfermeiros que foram sujeitos do estudo tinham idades entre 22 e 27 anos. A respeito do sexo 100% eram do sexo feminino. Quanto ao estado civil 62,5 % eram solteiras e 37,50 % eram casadas. Com relação aos anos que atuam na profissão variou entre três meses e quatro anos. Mostrando que existem enfermeiras recém formadas e que, portanto se acredita que tenha os conceitos e o aprendizado acadêmico ainda bastante recente na memória e enfermeiras que já se encontram há um pouco mais de tempo longe da vida acadêmica. A respeito do tempo de atuação na unidade onde trabalha oscilou entre um mês de atuação até três anos e três meses.

3.2 Categorização

As categorias foram divididas em: (1) Percepção do conceito de sistematização da assistência de enfermagem, (2) aprovação da sistematização e sua viabilidade e (3) benefícios da sistematização da assistência de enfermagem.

3.2.1 Percepção do conceito de sistematização da assistência de enfermagem

Nesta categoria foi analisado o que os enfermeiros entendem por sistematização da assistência de enfermagem. Qual o aprendizado e o conceito desta atividade para cada um deles.

Pode se observar que 50 % dos entrevistados acreditam que a SAE é uma forma de organizar e ou padronizar o trabalho da equipe de enfermagem, como mostra as falas seguintes:

"Uma maneira de organizar informações trazendo benefícios ao paciente e a equipe". (Cravo)

"Sistematização da assistência de enfermagem significa padronizar e organizar o trabalho de enfermagem de modo que seje prático e beneficie na assistência ao paciente". (Margarida)

Somente 37,5 % dos enfermeiros relataram que a sistematização da assistência envolve planejamento de atividades, com etapas como entrevistas, exame físico, diagnóstico de enfermagem e ações para o desenvolvimento da assistência de enfermagem. Isso pode ser visto nas falas abaixo:

"É o planejamento das ações, dos cuidados prestados ao paciente, onde baseando-se em um histórico ( por exemplo quando o paciente interna na clínica faz-se um questionário), após saber um pouco do paciente realiza-se o diagnóstico (os problemas levantados) assim definem-se as ações de enfermagem (cuidados) que após realizados podem ser avaliados". (Tulipa)

"É o processo de cuidar na enfermagem pois as informações colhidas no momento da entrevista e do exame físico são primordiais para se fazer um plano de assistência correto". (Copo de leite)

"É um instrumento que a equipe de enfermagem se utiliza para coleta de dados e prescrição de enfermagem do paciente e através dele realizar assistência". (Hortência)

O processo de cuidar em enfermagem, ou processo de enfermagem,entendido como um instrumento metodológico que nos possibilita identificar,compreender, descrever, explicar e/ou predizer como nossa clientela responde aos problemas de saúde ou aos processos vitais, e determinar que aspectos dessas respostas exigem uma intervenção profissional de enfermagem, implica na existência de alguns elementos que lhe são inerentes. Sob o ponto de vista do Conselho Internacional de Enfermeiras (ICN, 1996), esses elementos são: o que os exercentes da Enfermagem fazem (ações e intervenções de enfermagem), tendo como base o julgamento sobre fenômenos humanos específicos (diagnóstico de enfermagem), para alcançar os resultados esperados (resultados de enfermagem).(6)

Apenas 12,5 % dos entrevistados demonstraram não ter conhecimento mais aprofundado a respeito da sistematização, conforme a fala abaixo pode demonstrar:

"É uma fonte que o enfermeiro tem para apresentar e desenvolver suas ações". (Rosa)

A implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), a partir de um conhecimento específico e de uma reflexão crítica acerca da organização e da filosofia do trabalho de enfermagem, constitui-se um instrumento de fundamental importância para que o enfermeiro possa gerenciar e otimizar a assistência de enfermagem de forma organizada, segura, dinâmica e competente.(7)

3.2.2Aprovação da sistematização e sua viabilidade

Quanto à utilização de um instrumento para coleta de dados na internação do paciente, como fonte de informações para tratamento do mesmo, 100% dos enfermeiros concordaram que é relevante e importante e facilitaria o atendimento e a qualidade da assistência ao paciente, como mostra as falas a seguir:

"Vai favorecer o trabalho da equipe, estimulando o vínculo com o paciente."(Rosa)

"Considero de extrema importância, pois através destes dados obtidos poderá se implantar posteriormente plano de cuidados, diagnóstico de enfermagem,etc"(Margarida)

"Considero este instrumento como ajuda a toda a equipe de enfermagem. Pois conhecendo melhor a história de saúde e social do paciente, consegue-se programar uma melhor assistência à este paciente/família" (Copo de leite)

Com relação à necessidade e a viabilidade da implantação da SAE na unidade de atuação de cada enfermeiro pode se observar que 100% dos entrevistados acreditam ser necessário a implantação da sistematização da assistência de enfermagem na instituição e ainda 87,5% pontuam a possibilidade de ser feito um trabalho de enfermagem de forma sistematizada e afirmam ser viável a sua implantação na setor que exerce suas atividades. Podendo ser demonstrado na s falas seguintes:

"Acredito ser uma necessidade sim e acredito ser de grande viabilidade a implantação em minha unidade" (Orquídea)

"Eu acho muito importante sim, pois como já descrevi este registro facilita o trabalho, agilizando-o. Na unidade em que trabalho no momento seria viável, pois todos os pacientes são vistos ao chegarem, assim como já é feito alguns registros na internação, a sistematização só viria acrescentar." (Hortência)

Foi levantado por 12,5% das entrevistadas alguma dificuldade com relação a implantação da SAE, demonstrado a seguir:

"Certamente a SAE se faz necessária nas instituições, porém os recursos necessários são muitos, começando pelo comprometimento necessário para o desenvolvimento desta ação." (Rosa)

3.2.3 Benefícios da sistematização da assistência de enfermagem

Esta categoria fez análise dos benefícios que a utilização da sistematização da assistência de enfermagem traz para as diversas partes envolvidas. Todos os entrevistados levantaram algum tipo de benefício que viria juntamente com a utilização da SAE como meio de trabalho. Com relação aos benefícios para a equipe podemos exemplificar nas seguintes falas:

"A busca pelo conhecimento aumentaria" (Violeta)

"Desenvolvimento de uma visão mais crítica do cuidado a ser realizado" (Margarida)

"A equipe organiza tempo e trabalho" (Cravo)

"Vínculo equipe/paciente, conhecimento, atendimento uniforme,aprimoramento profissional" (Rosa)

Os benefícios para a equipe de enfermagem podem ser diversos como por exemplo: fornecer uma base a partir da qual todas as ações sistemáticas de enfermagem podem ser levadas a efeito; tomar decisões esclarecidas quanto às situações de cuidados; elaborar intervenções baseadas num juízo crítico próprio da Enfermagem em vez de num processo de tentativas e erros; proporcionar um roteiro para o raciocínio crítico; prover uma estrutura sistemática e propositada que habilite a(o) enfermeira(o) a organizar e a administrar os cuidados de enfermagem; fornecer uma estrutura para ser utilizada no trabalho com o paciente.

Já os benefícios para os pacientes foram levantados alguns aspectos, como mostram as falas a seguir:

"A assistência ao paciente melhora" (Cravo)

"Cuidado humanizado, com qualidade, individualizado, maior visão das necessidades de cada paciente que refletirá na sua recuperação" (Margarida)

"Os paciente seriam os maiores beneficiados, uma vez que receberiam um cuidado mais organizado e, portanto mais eficaz" (Orquídea)

Podemos citar diversos benefícios que a SAE trará para os clientes, como: identificar e tratar dos problemas do cliente; promover o bem-estar do cliente; atender aos problemas de saúde e às necessidades de enfermagem da pessoa; diagnosticar e tratar as respostas humanas à saúde e à doença; melhorar ou manter o nível de saúde do cliente; identificar as necessidades de cuidados de saúde do cliente, determinar as prioridades, estabelecer as metas e os resultados esperados, estabelecer e comunicar um plano de cuidados centrado no cliente, proporcionar prescrições de enfermagem designadas para atender às necessidades do cliente e avaliar a eficácia dos cuidados de enfermagem em alcançar os resultados esperados e as metas para os clientes; satisfazer as necessidades individualizadas do cliente, da família e da comunidade proporcionar cuidados de qualidade, centralizados no cliente; prestar um cuidado de enfermagem seguro e eficaz para o cliente; avaliar o estado de saúde do cliente, fazer julgamentos e diagnósticos, planejar, implementar e avaliar ações apropriadas de enfermagem.

Com relação à instituição os enfermeiros trouxeram de forma unânime o reconhecimento dos pacientes pela implantação da sistematização. A seguir seguem algumas falas:

"Padrão no atendimento, qualidade na assistência, reconhecimento dos pacientes pela excelência no atendimento" (Margarida)

"Reconhecimento, registro fidedigno, profissionais qualificados, retorno financeiro" (Rosa)

4. CONCLUSÃO

As percepções dos enfermeiros revelaram que a construção e a implantação das sistematização da assistência da enfermagem é de fundamental importância para o trabalho da equipe de enfermagem junto ao paciente e a instituição. Porém pouco se mostrou com relação ao conhecimento teórico-prático do que é e como funciona a SAE por eles.

Acredita-se que para a sistematização acontecer é necessário uma estrutura mínima, em termos de recursos humanos, de organização do trabalho e autonomia funcional.

Foi concluído que os enfermeiros acreditam na importância e na viabilidade da implantação da SAE instituição onde atuam e que traria diversos benefícios tanto para a instituição, para a equipe e principalmente para o paciente que é o foco do trabalho da enfermagem.

É importante ressaltar que nenhum profissional sozinho conseguirá mudar a assistência e dar retorno a instituição sem condições mínimas de infraestrutura e sem que a instituição tenha uma política voltada para o ser humano enquanto sujeito e agente de mudança.

Em suma é possível afirmar que a implantação da SAE nas instituições de saúde representa para a gerência, as instituições de ensino e toda a equipe de enfermagem, o início de um processo lento, dinâmico e gradual, que pressupõe, acima de tudo a superação de fatores advindos da formação, dos temores, das descrenças e das barreiras associadas a política e a filosofia institucional e de enfermagem e da mudança de paradigmas no modo de ser e de compreender o papel do enfermeiro na prática assistencial.

No entanto pode-se perceber que os enfermeiros acreditam e apóiam este processo, vendo de forma positiva para o reconhecimento de sua profissão.

5. Referencias Bibliográficas

1 TANNURE, Meire Chucre. SAE – Sistematização da Assistência de Enfermagem. 1º ed. Guanabara Koogan. São Paulo, 2007.

2 MINAYO, M. C. S. ; DESLANDES, S. F. ; GOMES, R.Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 22 ed. Petrópolis,RJ: Vozes, 1994.

3 GIL, Antônio Carlos. Como Elaborar um Projeto de Pesquisa. 4ºed. Atlas. São Paulo, 2002.

4 FIGUEIREDO, N. M. A. Método e Metodologia na Pesquisa Científica. Difusão. São Paulo, 2004.

5 LEOPARDI, M.T. Teorias em Enfermagem: instrumentos para a prática.Florianóplolis: Papa-Livro, 1999.

6 GARCIA, T. R.; NÓBREGA, M. M. L. Sistematização da assistência de enfermagem: reflexões sobre o processo. In: 52º Congresso Brasileiro de Enfermagem, Apresentado na Mesa Redonda "A sistematização da assistência de enfermagem: o processo e a experiência". Recife/Olinda – PE, 2000.

7 BACKES, D. S. Sistematização da assistência de enfermagem: percepção dos enfermeiros de um hospital filantrópico. Universidade Federal de Pelotas. Rio Grande do Sul, 2005

ANEXO 1- Ofício de Solicitação à Instituição

Santa Cruz do Sul, Abril de 2009.

Prezado (a) Senhor (a):

Eu, Rafaela Sousa da Silva dos Santos, pós-graduanda do Curso Gestão em Saúde do Centro Universitário – UNIVATES, venho desenvolvendo um projeto de monografia cujo título é "SISTEMATIZAÇÃO DO PROCESSO DE ENFERMAGEM: IMPLANTAÇÃO EM UM HOSPITAL DO VALE DO TAQUARI E RIO PARDO" e orientada pela Profª EnfªArlete da Costa.

Para tanto, solicito autorização para realizar a coleta de dados junto aos enfermeiros que desenvolvem suas atividades em unidades clinicas e cirúrgicas nesta instituição. A coleta de dados será realizada através de um questionário, com a finalidade de atender os princípios éticos em pesquisas envolvendo seres humanos, e serão preservados os nomes dos integrantes da pesquisa e da instituição.

Certa de vossa colaboração agradeço a atenção.

-------------------------------------------------------------

Rafaela Sousa da Silva dos Santos

Pós-Graduanda do Curso Latu Sensu em Gestão em Saúde

----------------------------------------------------------------

Fabiane Fengler

Enfermeira Gerente de Enfermagem do Hospital Ana Nery

ANEXO 2 - Termo de Consentimento Livre e Esclarecido

A pesquisa "Sistematização da assistência de enfermagem: implantação em um hospital do Vale do Taquari e Rio Pardo" justifica-se pela real importância e necessidade da SAE, para que com isso o trabalho da equipe de enfermagem se torne cada vez mais organizado e de qualidade e assim reconhecido pela instituição e principalmente pelos pacientes que são com certeza o foco de todo o nosso trabalho.

Com isso tem-se como objetivos elaborar um instrumento de coleta de dados na internação do paciente em uma unidade clínica-cirúrgica em um hospital de médio porte visando o registro de forma eficiente; Investigar junto os enfermeiros a necessidade da sistematização do processo de enfermagem e o quanto a sistematização da assistência de enfermagem é viável; Implantar o começo da SAE através da utilização do instrumento de coleta de dados do paciente, em uma unidade de internação como piloto para toda a instituição.

Será realizada uma entrevista semi-estruturada, de caráter voluntário, com os enfermeiros, gravadas e posteriormente transcritas. É garantido ao entrevistado o esclarecimento de quaisquer dúvidas que venham a surgir antes, durante e depois da entrevista, bem como se recusar a participar ou retirar seu consentimento em qualquer fase da pesquisa, sem penalização alguma e sem prejuízo. Garantimos o anonimato, assegurando a privacidade dos entrevistados.

Esperamos com esta pesquisa beneficiar a assistência ao paciente em um Hospital de médio porte no Vale do Taquari e Rio Pardo. Pode surgir como desconfortos e/ou riscos para os sujeitos: o tempo que os enfermeiros terão que disponibilizar para responder a entrevista e o medo de responder as perguntas, porém como forma de minimizar qualquer dano ao entrevistado, se tentará utilizar o menor tempo possível para que sejam respondidas as questões e será assegurado o anonimato e a certeza de que os dados serão utilizados somente para a pesquisa com fins a melhorar a qualidade da assistência ao paciente na instituição em questão.

O pesquisador responsável por esta pesquisa é a pós graduanda Rafaela Sousa da Silva dos Santos, cujo telefone para contato é (51) 3719-5463/81581944.

Este documento foi revisado e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UNIVATES – COEP e o mesmo será elaborado em duas vias, uma ficando com o pesquisado e outra com o pesquisador.

Eu,, mediante os esclarecimentos supracitados, aceito participar da entrevista.

Assinatura do Participante: ______________________________________

Assinatura do Pesquisador: ______________________________________

Santa Cruz do Sul, ___de_________________de _________

ANEXO 3 - Instrumento de Coleta de Dados

1.Dados de Identificação

Idade:

Sexo: () F() M

Estado Civil:

Profissão:

Há quantos anos atua na profissão:

Tempo de atuação na unidade onde trabalha:

2.O que você entende por sistematização da assistência de enfermagem?

3.O que você acha de se utilizar um instrumento de coleta de dados para o paciente no momento de sua internação como fonte de informações para o seu tratamento?

4.Acredita que a sistematização da assistência de enfermagem seja necessária em uma instituição e qual a viabilidade de sua implantação na unidade em que trabalha?

5.Quais os benefícios que a SAE traria para a equipe, para os pacientes e para a instituição?


Autor: Rafaela Santos


Artigos Relacionados


Eu Jamais Entenderei

O Salmo 23 Explicitado

Tudo Qua Há De Bom Nessa Vida...

Soneto Ii

Pra Lhe Ter...

Exemplo

Vida(s)