O que almejamos para nossa sociedade: Quais os valores estão sendo transmitido para nossas crianças e jovens



Sonia Maria – Pedagoga e Psicopedagoga/Docência Superior

educaaopdg@yahoo.com.br

Introdução

Este artigo não generaliza os fatos, mais mostra os acontecimentos percebidos em um grande número de pessoas, através de pesquisas feitas em escolas públicas, privadas e "ONGs" do Rio de Janeiro, onde a autora teve o privilégio de compartilhar da troca de conhecimento com profissionais, alunos e responsáveis. A sociedade caminha para o caos moral e ético. Mudaram-se os valores! O que tem mais valor para o mercado de trabalho, o conhecimento acadêmico ou o chamado "QI" – "quem indicou?" Alguns pais articulam para seus filhos que o valor do ser humano está no dinheiro que ele tem no Banco. Outros, que para ser alguém na vida deve-se sempre estar em primeiro lugar e não importa a maneira de chegar lá. Percebe-se nas crianças a sensualidade e vaidade aflorada cedo de mais. As escolhas profissionais se resumem em ser jogador de futebol ou modelo fotográfico. Para alguns jovens o conceito do "ganhar dinheiro fácil" tornou-se um lema, para que estudar, se as drogas têm retorno rápido de capital? Os pais perderam o controle da situação de educar e impor limites. As crianças e os jovens estão mais livres para impor seus desejos e autoridade sobre os seus genitores, professores, enfim não existe mais o respeito pelos mais velhos e nem o respeito próprio. Encontram-se responsáveis que culpam a escola pelo mau comportamento dos seus filhos, proferindo a seguinte frase: "Isso ele aprendeu na escola!", mas não percebem que a finalidade da escola é de instruir e capacitar os discentes para a cidadania e o mundo profissional, pois "educação vem de berço" já diziam os antigos. Só que tanto a escola quanto a família e o sistema político-social e econômico de um país tem grande culpabilidade no desenvolvimento moral e ético dos jovens e das crianças. Essa sociedade se tornou capitalista, gananciosa e ambiciosa, ao ponto do ser humano não se preocupar com o seu próximo, mas somente consigo mesmo. E uma sociedade só evolui com produtividade se houver na comunidade respeito, união, solidariedade, compaixão, dignidade, trabalho, educação, saúde e segurança para todos e com todos.A Tecnologia da Informação e Comunicação avança a cada segundo trazendo mudanças na ciência, física, química, eletrônica, na verdade em tudo que está a nossa volta. As mudanças influenciam nosso cotidiano. Mas como administrar tudo isso? Como transformar uma sociedade corrompida, com falhas no sistema educacional, jurídico e da saúde em uma sociedade evoluída no respeito ao próximo, na oportunidade de crescimento profissional para todos com pessoas vivendo com dignidade, sendo bem tratadas nos órgãos públicos, crianças brincando nas praças sem perigo, jovens adorando ler e descobrir coisas novas. Não é difícil! Só depende de cada um de nós! Se cada pessoa refletir nos seus atos e começar o processo de transformação de dentro para fora preservando e cuidando do meio ambiente, refletindo sobre os verdadeiros valores, procurando mais a solidariedade e o respeito ao ser humano, sem dúvida, o retorno será percebido aos poucos, começando pelo meio ambiente e terminando em nós.

Palavras- Chave: Valores Morais e Éticos; Sociedade brasileira.

Valores Morais e Éticos

Para Yves de La Taille, professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, os valores éticos e morais são: "moral é o conjunto de deveres derivados da necessidade de respeitar as pessoas, nos seus direitos e na sua dignidade." E "Ética é a reflexão sobre a felicidade e sua busca, a procura de viver uma vida significativa, uma "boa vida".

Todas as escolas, privadas e públicas deveriam ter em seu currículo a disciplina ética e Moral. Independente de religião ou partido político, pois não é certo incutir pontos de vistas e opiniões singulares a outros. O correto é orientar as crianças e os jovens sobre o que é certo ou errado perante a nossa sociedade, instruir sobre a historia da nossa civilização e ensinar o significado de política para que eles através das informações recebidas reflitam e construam seus próprios pontos de vista. Os pais devem impor limites e regras e prestar atenção nas amizades, programas, internet, leituras, sem controlar ao extremo, mas um controle mostrando confiança e segurança dentro de normas e padrões que colocarão esses indivíduos em um caminho de certeza em que não se esbagoarão. Para Yves de La Taille, a situação do mundo hoje é paradoxal.

"De um lado, verificamos um avanço da democracia e do respeito aos direitos humanos. Mas, de outro, tem-se a impressão de que as relações interpessoais estão mais violentas, instrumentais, pautadas num individualismo primário, num hedonismo também primário, numa busca desesperada de emoções fortes, mesmo que provenham da desgraça alheia".

O individualismo ofusca a visão do ser humano, pois, não permite que se perceba o que acontece ao seu redor, a menos quando é do seu interesse. O ser humano está sujeito a errar, por ganância, medo, insegurança, inveja, ou outro sentimento que lhe seja inato. Mas, deve aprender com os seus erros, com isso, crescer no caráter. A acomodação e a inércia são sentimentos que fluem com grande proporção nas decisões prejudicando às vezes a caminhada do individuo. O ser humano é forte, persistente, sonhador, e pugna pelos seus sonhos com dignidade, caráter, humildade e determinação.

Porém, o caráter é edificado na infância diretamente com os exemplos, as diretrizes, as regras e pelo limite que os responsáveis produzem. Quando na escola, as crianças recebem orientações dos professores percebem o meio em que vive assimilando e associando tudo a sua volta e ampliando assim, seu conhecimento no processo ensino-aprendizagem, ou seja, o individuo desde seu desenvolvimento no ventre de sua genitora, começa a sua formação e sua percepção, através da ligação materna. Quando nasce passa transversalmente a conviver com uma sociedade que lhe impõem regras a serem seguidas e respeitadas em nome dos bons costumes tradicionais e recebe da sua família as orientações, estímulos, motivação e exemplos.

Sabe-se que a educação é um processo duradouro, pois o ser humano aprende a cada dia descobrindo novos horizontes na tecnologia transformando a sociedade. Percebem-se no decorrer de alguns anos para a época atual mudanças de valores em todos os seguimentos da formação do individuo. No campo educacional as transformações são perceptíveis através da Tecnologia, pois, as TCIs trouxeram melhorias em todos os setores profissionais a globalização instalou-se no mercado de trabalho existente numa sociedade capitalista. Atualmente, para sobreviver nessa sociedade o individuo deve acompanhar conjuntamente as mudanças, do contrário, ele se torna automaticamente imêmore. No campo familiar, acompanha-se no decorrer dos tempos o nascimento de uma nova concepção de família, onde não há mais limites nem regras aos jovens e as crianças, a liberdade transformou-se em "libertinagem". Nos dias de hoje não se encontra mais o respeito ao ser humano, o egocentrismo nunca esteve em evidencia nas atitudes dos indivíduos que esqueceram como transmitir conceitos de respeito, gentileza, amor imperando na sociedade a inversão de valores. No campo religioso, o homem resolveu fazer papel de DEUS e impor seus vários conceitos filosóficos e bíblicos na ética e na moral, estreitando a mente dos fieis com informações medievais gerando um choque de culturas e ritos no século XXI. No campo profissional temos uma nova interpretação de "QI" e de "conhecimento" e no campo político encontramos uma legislação absurda e sem propósito verdadeiro, transformando a maioria do povo em analfabeto funcional. Pois, em alguns Estados brasileiros, escolas trabalham com a aprovação automática. A falta de Políticas Públicas visando realmente o bem estar e a melhoria de uma sociedade mostram a falência da Educação, da Segurança Pública, do Sistema de Saúde e do Sistema Judiciário. E o esquecimento da Cultura do povo brasileiro, pois o que se percebe é a valorização de culturas de outros povos. Sabe-se que o povo brasileiro é uma mistura de raças, mas que construiu sua própria cultura.

As crianças de hoje estão nascendo com uma percepção e uma capacidade de assimilação muito mais aguçada do que há 40 anos. Atualmente com dois anos já se aprende informática, inglês com facilidade e rapidez. A criança já sabe impor o que quer para seus responsáveis que, para dar uma vida melhor aos seus filhos, estudam e trabalham exageradamente, não participando da educação dos mesmos.

Família e Escola

Atualmente encontra-se um novo conceito para família: Família são as pessoas que vivem na mesma residência e compartilham da educação, orientação, amor, e sustento das crianças, proporcionando-lhes uma vida saudável, tranqüila dentro dos conceitos da sociedade inserida. Nas escolas encontramos crianças e jovens com dois pais, ou duas mães, sem os genitores, mas com os avôs, sem a figura do pai ou de mãe, com os padrinhos ou tios, ou com pai, mãe e irmãos, com avó, mãe e tia, enfim, são varias formações de família deparadas nos dias de hoje. E seja qual for o tipo de família, sua participação ativa na educação dessas crianças e jovens é essencial, como a sua parceria com a escola na instrução dos mesmos focando uma formação de caráter forte e uma preparação para enfrentar o mundo com responsabilidade, atitude, respeito e dignidade formando assim, um cidadão digno e respeitável dentro de sua sociedade.

Mas, nem sempre os profissionais da Educação encontram essa parceria e participação. Entende-se que o mundo está em transformação constante em todos os níveis, social, político, econômico, cultural e principalmente tecnológico, com isso, as pessoas estão correndo contra o tempo para poder manter uma qualidade de vida razoável, sem perceber o quanto essas crianças e jovens vivem uma liberdade sem limites, com o egoísmo, autoridade, falta de respeito e a ganância a flor da pele.

Por onde anda, o respeito ao próximo? Hoje não se encontra mais famílias sentadas a mesa para as refeições. Os passeios estão se tornando cada vez mais individualistas: cada um vai para um lugar e quando vão juntos, geralmente, os jovens ficam afastados com a feição séria e desgostosa ou com o Ipod ligado permitindo a completa alienação com mundo.

Outro fato que chama atenção é a escolha da profissão. As crianças de hoje, na sua maioria, querem ser modelos, jogadores de futebol, pastor ou político. Pois, afirmam eles, "não precisam estudar muito." Como psicopedagoga e professora em uma escola privada do Rio de Janeiro, a autora dialogou com algumas crianças que manifestaram esses desejos profissionais, que o estudo é importante para qualquer escolha, seja jogador, modelo, pastor, político, DJ, cantor, pois sem o estudo não se chega a lugar nenhum terá sempre alguém mais esperto para derrubá-los na estrada profissional. Encontram-se alguns responsáveis que estimulam esse tipo de escolha não incentivando o estudo para se tornarem um engenheiro, ou médico, ou outra profissão também de suma importância para o desenvolvimento de um país.

Se isso de fato acontecer, no futuro não teremos mais médicos, professores, dentistas, mecânicos, engenheiros e tantos outros profissionais que a sociedade necessita para se manter em equilíbrio. Quanto aos jovens de hoje, a realidade na escolha de profissão é muito mais assustadora, pois, as drogas e o sexo exasperado estão com retorno de dinheiro e posição social, rápido e fácil demais.

As escolas brasileiras têm o dever de unir o saber acadêmico à realidade social, econômica e política do seu país para construir uma práxis pedagógica enfocando o desenvolvimento desses indivíduos. Muitas das vezes, e a autora já presenciou, crianças e jovens chegam às escolas sem café da manhã, ou com problemas familiares, ou com sono porque trabalham ajudando em casa, ou ainda, ficam sem aulas devido aos tiroteios em sua comunidade.

O que se percebe na realidade escolar e familiar são o aumento das disfunções no processo ensino-aprendizagem resultado da inversão dos valores éticos e morais e de um desequilíbrio na sociedade brasileira.

Sociedade Brasileira

"O respeito é o valor moral básico.
O outro tem uma dignidade que eu devo respeitar."

Yves de La Taille

A sociedade brasileira vem sofrendo modificações significativas. Depara-se com um aumento de indivíduos não politizados, sem instrução, sem cultura, sem respeito e sem ética profissional. A Tecnologia de Informação e Comunicação trouxe descobertas relevantes nas ciências e no bem estar brasileiro. Mas deparamos com uma violência absurda, que nos coloca em perigo até dentro de nossas casas. Vivenciamos uma guerra a cada dia, pois, lutamos para ter um trabalho com salários dignos, para não depararmos com uma bala perdida, para sermos respeitados nas Unidades de Saúdes Públicas, para termos uma Justiça sem preconceitos e incorruptível, por uma Segurança levada a sério, por boas Escolas, por Políticos que saibam o verdadeiro significado de Políticas Públicas e de Respeito ao Povo, enfim, lutamos pelos nossos Direitos e Deveres registrados na nossa Constituição.

Sofremos todos os dias com os noticiários mostrando crianças e jovens com um ensino debilitado, se envolvendo na marginalidade, na prostituição, na miséria, nas drogas, vítimas de pedófilos ou submergidos. Padecemos ao ouvir as barbaridades que incidem na Política, nos presídios, nas ruas com a miséria, drogas e com os assaltos, com os casos de Racismo ou de falta de respeito ao próximo, seja por sua opção sexual, religiosa ou classe social.

Agüentamos as falsas promessas de políticos para ganharem votos, o fracasso do Sistema Educacional, Judiciário, da Saúde e principalmente da Segurança Pública. Pois, se os funcionários desses órgãos são mal remunerados, isso não é culpa do povo brasileiro que tolera os impostos autos e os salários baixos, mas sobrevivem.

É difícil acreditar que o dinheiro arrecadado com os impostos não é o suficiente para dar uma condição digna para os profissionais dos órgãos públicos, como médicos, policiais, bombeiros, professores e para manter os hospitais, escolas, equipamentos para segurança pública proporcionando uma melhor qualidade de vida para a sociedade brasileira. Por outro lado, vemos políticos com salários altíssimos, com seus familiares empregados e saboreando os prazeres que o dinheiro oferece.

A sociedade Brasileira está precisando de equilíbrio ético e moral de conscientização política visando o bem estar do povo. As crianças e os jovens de hoje são o futuro de amanhã. Que preocupação! Pois, as crianças observam tudo a sua volta, associam e assimilam as informações do meio onde estão inseridas. Necessitam de limites, orientação e regras para a formação de seu caráter. São espertas e inteligentes para determinarem o que querem. Os jovens estão vivendo pouco devido às drogas, que muitas das vezes, é o resultado de uma carencia de amor, de atenção, de orientação, de limites e regras transmitidos por uma família e de miséria. Outros se envolvem com as drogas por terem uma vida profusa de bens matérias e tranqüilidade financeira e carente de bons exemplos, de atenção, de limites e regras.

Todos os indivíduos de uma sociedade têm a responsabilidade de mudar esse quadro. A escola, a família, os órgãos públicos e os governantes do nosso país deveriam trabalhar em conjunto visando uma sociedade digna, politizada, instruída, saudável, respeitando a sua cultura. A sociedade é uma corrente que para ser forte precisa de cooperação, regras, limites, responsabilidade, respeito, trabalho, cuidar do meio ambiente, solidariedade, equilíbrio e união.

Conclusão

Almejamos para nossa sociedade uma vida digna, sem violência, sem desonestidade, sem corrupção, sem imposição religiosa, sem desrespeito, sem falsas promessas, sem mentiras, sem desmatamento e sem desperdício. Aspiramos uma sociedade equilibrada política-social-economica e cultural não se esquecendo do meio ambiente, pois se ele não estiver em equilíbrio ecológico aos poucos a vida sobre a Terra desaparecerá.

É responsabilidade de todos melhorarem as condições de vida da sociedade brasileira. Encontramos alguns indivíduos trabalhando para essa melhora e fazendo a diferença em diversos pólos do Brasil. Mas, ainda é pouco! Vamos ter consciência, atitude e responsabilidade social. Que cada responsável reflita nos verdadeiros valores e em como se encontra a sociedade para na hora de orientar e educar suas crianças e jovens comece a transformação fazendo a diferença dentro de uma sociedade tão corrompida e violenta como a nossa.

Precisamos da junção família-escola-saúde-segurança-políticos, essa corrente deve ser formada com seriedade focando transformações significativas para a vida em sociedade. Não adianta só reclamar ou procurar um culpado. A culpa é de todos nós. Vamos incentivar nossas crianças e jovens a lerem mais, valorizar as boas ações, motivar a criatividade, estimular as descobertas, a plantar arvores e cuidar do meio ambiente, a tratar bem os animais, a respeitar os mais velhos, a respeitar as diferenças, a economizar água, a reciclar, a ser solidário, a valorizar o trabalho, seja ele qual for, desde auxiliar geral ao empresário, pois o trabalho fortalece o caráter e trás dignidade.

A copa do mundo e as olimpíadas estão próximas e com certeza foi uma conquista, mais a verdadeira vitória será a transformação dessa sociedade na reflexão dos valores éticos e morais com uma reforma introspectiva sobre alguns conceitos enraizados de maneira erronia na vida de um povo sofrido e fragilizado pelo medo e pala miséria.

Portanto, prestemos atenção na hora de orientar as nossas crianças e jovens, atenção nos exemplos que transmitimos a esses indivíduos que são o futuro de uma nação.

"Educar-se é encharcar de sentido
 cada ato da vida cotidiana." (Paulo Freire)

Bibliografia

A Produção do saber na relação Individuo-Comunidade. Disponível em: < www.abpp.com.br >, acesso em: 17 de fev. 2007.

BERGER, P., LUCKMANN, T. A Construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. Tradução de Floriano de Souza Fernandes. Petrópolis: Vozes, 1976.

LERNER, M. Processo social. Inc: CARDOSO, F. H., IANNI, O. Homem e Sociedade. São Paulo: Nacional, 1984.

Entrevista com Yves de La Taille, professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, revista Direcional Escolas – edição 05 – junho/2005.

La Taille, Yves de. Moral e Ética – Dimensões Educacionais e Afetivas. Ed. Artmed.


Autor: Sonia Maria


Artigos Relacionados


Áreas Verdes: Necessidades Urbanas

Educação Ambiental - Meio Ambiente

Alfabetização Ecológica

O Salmo 23 Explicitado

O Papel Da Sociedade Na Preservação Do Meio Ambiente

Estágio: A Oportunidade Do Primeiro Emprego

Poluição Atmosférica