Prevalência de obesidade em crianças e adolescente



Artigo: Prevalência de obesidade e sobrepeso em crianças e adolescentes

Prevalence of obesity and overweight in children and teenagers

1. Aline Campos Ivo

1. Daniela Mansano Ribeiro

1. Elaine Mendes

1. Lays de Souza Gomes

2. Xisto Sena Passos

Resumo

Introdução

: Já considerada uma epidemia mundial a obesidade, caracterizada pelo excesso de tecido adiposo no corpo, pode estar associada aos maus hábitos alimentares desprovidos de nutrientes saudáveis e ao sedentarismo. Objetivo: Analisar o aumento no numero de casos em crianças e adolescentes obesos e com sobrepeso. Métodos: Baseado em pesquisas no site Scielo, Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), com artigos publicados entre 2005 e 2007, avaliando crianças de 6 á 14 anos, e adolescente de 15 á 18 anos,nas regiões Sul e Sudeste do país.Com os dados obtidos considerou-se a obesidade um fator de risco.Este pode estar em grande parte associado ao consumo de alimentos industrializados,a falta de informação adequada,ao acesso fácil aos alimentos.A falta do aleitamento materno,também pode ser um fator para a ocorrência da obesidade na idade pré-escolar.Resultados:O grau de conhecimento interfere nas boas praticas alimentares.A falta de atividade física,dietas e a omissão de refeições também pode contribuir para esse aumento.Conclusão:A prevalência de obesidade e sobrepeso nas regiões são preocupantes em relação ao comportamento de crianças e adolescentes quando diagnosticadas com a doença.

Palavras chave

: Obesidade.

Sobrepeso. Maus Hábitos Alimentares. Sedentarismo

 

1Aluna de graduação em Nutrição pela Universidade Paulista, Campus Flamboyant, Goiânia – GO.

Aline Campos Ivo - E-m

ail: aline_c.a@hotmail.c

2Professor Doutor em Medicina Tropical. Professor Titular da Universidade Paulista, Campus Flamboyant, Goiânia – GO. E-mail: xisto.sena@gmail.com

 

 

 

Abstract

Introduction: Considered an international disease the obesity, feature by the fat in the body, maybe associated to bad food practice, with less healty nutrients and sedentary. Object: Look the growing in number of children and teenagers with the obese fat and over weight. Methods: Based in seeking through the net site Sielo, Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), with the article published between 2005 and 2007, evaluating childreens since 6 up to 14 years old and teenagers since 15 up to 18 years old, in south and southeast of Brazil. By the way, considered the obese fat a great risk factor. This may be there associated a lot at the consume from industrialized food, less technical information to a easiness feed acess. The milkfood missed it’s also a risk factor to a ocurrency of obese in the class school, in early years. Results: The levels of knowledgements take in a good feeding practice. The lack of physical activities, diets and skipping meals, may also contribute to this increase. Conclusion: The prevalence of the obese and overweight in sites retro-write in this paper, are a lot matter versus the children and teenagers behavior, when observed lick a sick.

Keyword.

Obesity. Overweight. Bad food practice. Sedentary.

Introdução

A crescente prevalência da obesidade em crianças e adolescentes é um problema de saúde pública significante e alarmante em todo mundo. O grau de obesidade e sobrepeso dos mesmos são calculados de acordo com o sexo, altura e idade. No Brasil as principais regiões onde estão crescendo os casos de obesidade e sobrepeso é Sul e Sudeste. A incidência de casos vem atingindo índices de 10,6% nas meninas, e 4,8% nos meninos. Este fato é observado devido à grande presença da urbanização e da industrialização, ou seja, regiões que se apresentam mais populosas com grandes indústrias, as pessoas tendem-se a maus hábitos alimentares. ¹º

Como conseqüência de um ritmo de vida acelerado, habituados a uma alimentação inadequada, crianças e adolescentes estão acostumados a se alimentarem com comidas rápidas, industrializadas que na sua maioria não contem os nutrientes necessários para uma vida saudável. O aumento no consumo de alimentos gordurosos com alta densidade energética, e a diminuição na pratica de exercícios físicos, são dois principais fatores ligados ao meio ambiente, que colaboram pra o aumento da obesidade. ¹² ¹³

Este estudo teve como objetivo relatar os fatores do crescimento desordenado de casos de obesidade em crianças e adolescentes.

Métodos

O estudo tratou de uma pesquisa bibliográfica que foi realizada com base em dados da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) e também nos sites Scielo, Lilacs, Medline, em artigos publicados entre os anos de 2005 e 2007, tendo como assunto a prevalência e os fatores da obesidade em crianças e adolescentes, sobrepeso como também alimentação e conhecimentos de nutrição na idade escolar.

Resultados

Foram analisados em torno de 115 artigos dentre os quais 15 tomamos como referência.A prevalência de crianças e adolescentes com sobrepeso e obesidade foi mostrada nos artigos pesquisados; nos quais 54% observou-se fatores como:

Metabolismo

Crianças do sexo feminino o índice de sobrepeso é maior em relação ao sexo masculino, devido ao metabolismo diferenciado onde os meninos adquirem duas vezes mais massa magra (músculos) do que as meninas.

Dieta hipercalórica

Outro fator é um maior acesso aos alimentos industrializados que, juntamente com a urbanização, a falta de informação adequada induz ao aumento de uma dieta hipercalórica.

Atividade Física

Além destes já citados a ausência de atividade física também é um determinante para o crescimento de casos de sobrepeso e obesidade. Pode ser justificada pelo crescente do acesso a tecnologia, onde crianças e adolescentes substituem a prática de esportes e exercícios físicos por horas em frente ao computador, vídeo game e televisão.

Fatores Genéticos

Os fatores genéticos são fatores que evidenciam a obesidade, filhos de pais obesos possuem uma tendência de serem obesos também.

Maus Hábitos Alimentares

Os maus hábitos alimentares são fundamentais para determinar diretamente o diagnóstico da obesidade. A reeducação alimentar tem sido utilizada como estratégia a ser seguida para uma alimentação mais saudável.

Aleitamento materno

Crianças que não receberam o aleitamento materno quando bebês possuem uma pré-disposição a adquiri a obesidade quando adolescentes.

Considerações finais

A obesidade na infância não é uma condição benigna, quanto mais tempo uma criança estiver com sobrepeso mais provável que o estado continue na adolescência e na fase adulta As conseqüências da obesidade nessas fases da vida abrangem dificuldades psicosociais tais como discriminação, auto-imagem negativa, depressão e socialização amena. Como conseqüência dos fatores relacionados anteriormente nos resultados, indivíduos com sobrepeso possuem pré-disposição e os obesos uma disposição para adquirirem hiperlipidemia, problemas cardiovasculares, hipertensão e diabetes.

Os adolescentes, diferentemente das crianças, estão se preocupando bem mais com a aparência, do que com a própria saúde. Muitas das vezes fazem dietas perigosas e ate mesmo omitem certas refeições sem o acompanhamento de um profissional, prejudicando ainda mais a própria saúde.

Também deve ser observada a convivência familiar, pois uma família que se acomete de maus hábitos ineficazes na alimentação, logo a criança também irá se habituar.

Referências

1. Coutinho JG, Gentil PC. Desnutrição e obesidade no Brasil o enfrentamento com base na agenda única de nutrição. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 24 (2): S332-S340, 2008.

2. Nascimento E, Souza S. Avaliação da dieta para gestante. Rev. Nutr., Campinas, 15(2):173-179, 2007.

3. Novaes JF, Franceschini SCC, Priore SE. Hábitos alimentares de crianças e eutróficas e com sobrepeso em Viçosa, MG. Rev. Nutr., Campinas, 20(6):633-642, 2007.

4. Pereira Francischi, Lancha-Júnior. Obesidade: causas e conseqüências. Arq. Bras. Endocrinol Metab. 47 (2):111-127, 2005.

5. Pinheiro AP, Giugliani ERJ. Quem são as crianças que se sentem gordas apesar de ter peso adequado. Jor Ped 82 (3): 232-235, 2006.

6. Rotemberg S, Vargas S. Práticas alimentares e o cuidado da saúde. Ver Bras Matern Infant Recife 4 (1)85-94, 2005.

7. Santos LAS. Educação alimentar e nutricional no contexto da promoção de práticas alimentares saudáveis. Rev. Nutr., Campinas, 18 (5):681-692, 2005.

8. Serra GM, Santos EM. Saúde e mídia na construção da obesidade e do corpo perfeito. Ciência & Saúde Coletiva, 8(3):691-701, 2006.

9. Simões D, Meneses RF. Auto-conceito em crianças com e sem obesidade. Psic Refl Crít 20 (2): 246-251, 2007.

10. Siqueira RS, Monteiro CA. Amamentação na infância e obesidade na fase escolar em famílias de alto nível econômico. Rev Saúde Pública 41 (1):5-12, 2007.

11. Souza DP, Silva GS, Oliveira AM, Shinohara NKS. Etiologia da obesidade em crianças e adolescentes. Rev Bras Nutr Clin 22 (1): 72-76, 2007.

12. S.C.V.C Lima, Arrais RF. Crianças e adolescentes com sobrepeso e obesidade. Rev. Nutr., Campinas, 17(4):469-477, 2005.

13. Terres NG, Pinheiro RT, Horta BL. Sobrepeso e obesidade em adolescente. Rev Saúde Pública 40 (4):627-33, 2006.

14. Triches RM, Guigliani ERJ. Obesidade e práticas alimentares e conhecimento de nutrição em escolares. Ver Saúde pública 39 (4):541-7, 2005.

15. Vieira GO, Silva LR, Vieira TO, Almeida JA. Hábitos alimentares de crinças menores de um ano amamentadas e não-amamentadas. Jornal de Pediatria 80:411-6, 2005


Autor: Elaine Mendes Viana


Artigos Relacionados


Avis Rara

Tua Ausência

A ExtinÇÃo Da Fauna

Sos Natureza

Quando Amor Só Um Que Tem

Como Ganhar Almas

Disfarce