GRAÇAS TE DOU DEUS



GRAÇAS TE DOU DEUS – 02/12/2009

 

Teu santo nome, ó Deus, seja louvado amém...

 

 

Dar graças em certos momentos não é fácil, mas preciso. Para as mulheres então tem horas que a vontade é de correr e não agradecer. Mas também é preciso.

 

Este mês estou experimentando uma fase muito deliciosamente trabalhosa, tenho dois pedreiros e dois pintores dentro de casa. A bagunça nem preciso dizer, quem já passou sabe. É um cano que arrebenta um piso a mais que quebra, o cimento que nunca dá o carreteiro que não entrega na hora combinada e o filho que se pinta com cada cor, fora a farra com a lama da chuva que insiste em cair e ainda levar a pintura da parede externa.

 

Quando vão embora vem o silêncio e o serviço ainda nos esperando, no primeiro dia confesso ter lavado as varandas com lágrimas de alegria em ver aquele tão esperado e sonhado piso.

 

O dia mal amanhece e começamos tudo novamente, a areia misturada com brinquedo de menino, roupas infantis escondidas para não tomar bronca, o cachorro já cansado de ficar preso briga com quem chega perto e só falta falar para pedir um tempo.

 

Quando a noite volta vem o marido que sem saber como foi o dia e encontrando tudo já limpo e a janta pronta pergunta sempre onde está o cansaço se está tudo limpo. Mas o silêncio vem como uma pedra, mas nada tira minha alegria de ver as paredes lindas com minha cor preferida e o piso tomando forma com o rejunte que deixa sujeira e mais um homem na minha casa.

 

Na hora do almoço é como se eu fizesse comida para um batalhão, êta como comem, mas como é bom receber elogios pelo cheiro da comida o sabor e lavar todas as vasilhas, pois nada sobra.

 

Está chegando ao fim toda esta tarefa é um alivio ver as coisas arrumadas, a casa adornada, limpa e linda. A emoção não me deixa quieta, as lágrimas que insistem em descer pela beleza e conquista. Tantos anos esperando o dia daquela feiúra do piso sair, ver as cores inundando minhas paredes e vida. Não mais ver o filho cair e ficar com os joelhos todos ralados pelo piso grosso. Até o carro agradece por não mais ficar feio em meio às paredes sem cor e vida.

 

Na maioria dos casos nós mulheres estaríamos reclamando e murmurando por tanta gente, as roupas acumuladas no cesto e as sem passar gritando por nós em outro canto da casa, apenas esperando o momento em que teremos tempo para elas.

 

Optei por não reclamar, mas ser grata a Deus pela oportunidade de em meio a tudo poder realizar meus sonhos em família, ver o sorriso do filho com a nova casa, ver a alegria do marido em observar a família feliz.

 

Senhor Jesus obrigado por este maravilhoso momento de deliciosas confusões, conversas a toda prova, bagunça, brigas de pedreiros para apartar. Aprouve-te chegar ao fim a construção, eu te agradeço por me permitir viver estes momentos, agora meu corpo conhecerá um pouco mais de descanso. Tua mão esteve comigo em todos estes dias. Perdoa-nos em momentos que perdemos a calma e achamos estar demorando. Mas o Senhor esteve conosco até aqui. Dando-nos força, dinheiro e trabalho para tudo. Da-nos agora vida e saúde para curtir cada dia a nossa nova casa, que os churrascos de comemorações sejam para louvar o teu nome, pois sem o Senhor nada disso seria possível. Obrigado Jesus por tudo, por todos e a todos.

 

Em Cristo, por Cristo, para Cristo...

 

Silvia Letícia Carrijo de Azevedo Sá

leticiacarrijo@oi.com.br

 


Autor: Silvia Leticia Carrijo


Artigos Relacionados


Tua Ausência

A Morte De Matilde

A Velha Casa De Flores

Como Ganhar Almas

NÓs, As Luzes

Anjo DecaÍdo

Ícaro Moderno