Descrição da Importância dos Serviços Prestados pela Entidade GAPC (Grupo de Apoio a Pessoas com Câncer)



Ayslan Barbosa*, Caroline Tavares**, Tathiana Moreno*** RESUMO O presente artigo denota a temática da descrição dos serviços prestados pelo GAPC (Grupo de Apoio a Pessoas com Câncer) no município de Volta Redonda. Tem-se como objetivo divulgar a importância das ações do GAPC para minimizar a problemática enfrentada pelos portadores de câncer na região. Os dados foram obtidos por meio de entrevista com a assistente social, visitação, diálogos com portadores de câncer, pesquisa no site da instituição e em outros meios de pesquisa. Observa-se, que o câncer não se restringe apenas ao fator orgânico, mas, implica em fatores sociais. Conclui-se que a referida Instituição desempenha papel relevante no apoio aos pacientes, destinando-lhes serviços para melhorar a qualidade de vida e resgatar a dignidade. Comprova-se o exposto, nos dados obtidos junto a essa clinica de apoio social. Espera-se, com a divulgação do presente relato, contribuir para sensibilizar a comunidade quanto à importância do GAPC. Palavras-chaves: descrição; portadores de câncer; clínica de apoio social.

INTRODUÇÃO:

O presente artigo irá ressaltar a importância do GAPC (Grupo de Apoio a Pessoas com Câncer) na vida dos portadores de câncer, mais especificamente a sede de Volta Redonda. O GAPC foi fundado em 2001 e tem a missão de apoiar os portadores de câncer que não possuem possibilidade econômica de auto-cuidado, nas cidades onde atua, oferecendo esperança para essas pessoas. O portador de câncer precisa de apoio em todas as áreas para enfrentar essa doença tão grave. A Instituição presta assistência direta fornecendo ao paciente desde o atendimento de suas demandas mais imediatas como alimentação, custeio de exames e consultas, fraldas, medicamentos, fornecimento de próteses, equipamentos hospitalares, suporte social, psicológico, jurídico, fisioterapêutico, nutricional, além de terapias complementares como Reiki, Floral de Bach, medicina chinesa, relaxamento, artesanato e atividades de grupo.

Todos sabem que as pessoas de baixa renda e carentes sofrem em muito com o tratamento do câncer, principalmente pela espera por exames e medicamentos, nas longas filas da saúde pública no Brasil. Sendo assim, o GAPC desempenha um papel fundamental na vida dos portadores. Essa clínica não conta com nenhuma verba governamental e sim com todos os tipos de doações de particulares, e ela visa tratar o portador de câncer na visão social e psicoemocional.

Com base na entrevista realizada com Ariádina Schaeffer, assistente social responsável, verificamos que a maioria dos assistidos porta câncer de mama e câncer de próstata. Sendo assim, ater-nos-emos no câncer de próstata, falando mais a fundo sobre o mesmo e ressaltando a importância do GAPC na vida desses portadores.

Para começar, falaremos do câncer em vias gerais, depois, falaremos do câncer de maior presença no GAPC, cujo câncer é o de próstata, assim, ficando os leitores cientes de informações precisas sobre esta patologia, e posteriormente falaremos da problemática enfrentada pelos portadores.

Câncer:

O termo câncer é derivado da palavra grega karkinos (carangueijo), provavelmente devido ao seu comportamento similar ao das garras desse crustáceo – aderem e infiltram. A célula maligna tem a capacidade de se multiplicar de forma desordenada em um determinado órgão, assim como, disseminar-se para outros locais distantes do organismo. O crescimento de várias células em um determinado local configura-se o que se chama de tumor maligno ou câncer. A ciência que estuda o câncer é a Oncologia.

O câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo. Ou seja, é um grupo de doenças que se caracterizam pela perda do controle da divisão celular e pela capacidade de invadir outras estruturas orgânicas. As células do câncer tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores ou neoplasias malignas. Um tumor benigno significa simplesmente uma massa localizada e raramente apresente risco de vida. Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo. Outras características que diferenciam os diversos tipos de câncer entre si são a velocidade de multiplicação das células e a capacidade de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes (metástases). Em geral, dez ou mais anos se passam entre exposições ou mutações e a detecção do câncer.

As causas de câncer são variadas, podendo ser externas ou internas ao organismo, estando ambas inter-relacionadas. Sendo os fatores externos as substâncias químicas, irradiação e vírus; e os internos os hormônios, condições imunológicas e mutações genéticas. Esses fatores causais podem interagir de várias formas, aumentando a probabilidade de transformações malignas nas células normais. As maiorias dos cânceres presentes estão associados a fatores ambientais. O envelhecimento traz mudanças nas células que aumentam a sua suscetibilidade à transformação maligna. Isso, somado ao fato de as células das pessoas idosas terem sido expostas por mais tempo aos diferentes fatores de risco para câncer, explica em parte o porquê de o câncer ser mais freqüente nesses indivíduos. Os fatores de risco atuam alterando a estrutura genética, ou seja, o DNA das células. O surgimento do câncer depende da intensidade e duração da exposição das células aos agentes causadores de câncer.

Os fatores de risco de câncer podem ser encontrados no meio ambiente ou podem ser herdados. A maioria dos casos de câncer (80%) está relacionada ao meio ambiente. Podendo ser: tabagismo, hábitos alimentares, alcoolismo, hábitos sexuais, medicamentos, fatores ocupacionais, radiação solar. São raros os casos de cânceres que se devem exclusivamente a fatores hereditários, apesar de o fator genético exercer um importante papel na oncogênese.

O câncer surge da seguinte maneira: as células que constituem os animais são formadas de membrana celular, de citoplasma, e de núcleo, em que é composto por genes. Toda a informação genética encontra-se inscrita nos genes, no DNA. É através do DNA que os cromossomas passam as informações para o funcionamento da célula. Uma célula normal pode sofrer alterações no DNA dos genes. É o que chamamos mutação genética. As células cujo material genético foi alterado passam a receber instruções erradas para as suas atividades. As alterações podem ocorrer em genes especiais, denominados protooncogenes, que a princípio são inativos em células normais. Quando ativados, os protooncogenes transformam-se em oncogenes, responsáveis pela malignização (cancerização) das células normais. Essas células diferentes são denominadas cancerosas.

As células cancerosas de comportam de forma anormal. Podendo acontecer: multiplicações desordenadas, as células cancerosas formam novos vasos sanguíneos para as nutrirem e poderem continuar se multiplicando desordenadamente; adquirem capacidade de se desprenderem do tumor e migrar por todo o corpo, dependendo do tipo da célula do tumor, alguns dão metástases mais rápido e mais precocemente, outros o fazem bem lentamente ou até não o fazem; ass células cancerosas são, geralmente, menos especializadas nas suas funções do que as suas correspondentes normais.

A integridade do sistema imunológico, a capacidade de reparo do DNA danificado por agentes cancerígenos e a ação de enzimas responsáveis pela transformação e eliminação de substâncias cancerígenas introduzidas no corpo são exemplos de mecanismos de defesa, sendo dessa maneira que o organismo se defende. Esses mecanismos variam de um individuo para o outro. Esse fato de variação se explica a existência de vários casos de câncer numa mesma família, bem como o porquê de nem todo fumante desenvolver câncer de pulmão. Sem dúvida, o sistema imunológico desempenha um importante papel nesse mecanismo de defesa. Ele é constituído por um sistema de células distribuídas numa rede complexa de órgãos. Esses órgãos são denominados órgãos linfóides e estão relacionados com o crescimento, o desenvolvimento e a distribuição das células especializadas na defesa do corpo contra os ataques de "invasores estranhos". Os linfócitos são os mais importantes no sistema imune. Cabe aos linfócitos a atividade de atacar as células do corpo infectadas por vírus oncogênicos (capazes de causar câncer) ou as células em transformação maligna, bem como de secretar substâncias chamadas de linfocinas. As linfocinas regulam o crescimento e o amadurecimento de outras células e do próprio sistema imune. Acredita-se que distúrbios em sua produção ou em suas estruturas sejam causas de doenças, principalmente do câncer. Cabe aos linfócitos a atividade de atacar as células do corpo infectadas por vírus oncogênicos (capazes de causar câncer) ou as células em transformação maligna, bem como de secretar substâncias chamadas de linfocinas. As linfocinas regulam o crescimento e o amadurecimento de outras células e do próprio sistema imune. Acredita-se que distúrbios em sua produção ou em suas estruturas sejam causas de doenças, principalmente do câncer.

Duas grandes perguntas é saber diferenciar o câncer in situ e o câncer invasivo, o carcinoma in situ é o primeiro estágio em que o câncer não hemapoético pode ser classificado. Nesse estágio, as células cancerosas estão somente na camada da qual elas se desenvolveram e ainda não se espalharam para outras camadas do órgão de origem. A maioria dos cânceres in situ é curável, se for tratada antes que progrida para a fase de câncer invasivo. Nessa fase, o câncer invade outras camadas celulares do órgão e invade e ganha a capacidade de se disseminar para outras partes do corpo. O câncer não é contagioso até mesmo os cânceres causados por vírus não são contagiosos como um resfriado, ou seja, não passam de uma pessoa para a outra por contágio. Vale a pena ressaltar que nem todo tumor é considerado um câncer, e sim podendo ser diversas patologias. Alguns tipos de câncer mais presentes podem ser prevenidos, sendo algumas medidas que podem ser reguladas: tabagismo, alcoolismo, dietas e também a efetuação de exames de rotina visam a prevenir grandemente o aparecimento de um câncer.

No Brasil, a maior incidência de câncer em pessoas do sexo masculino ocorre no estômago, no pulmão e na próstata, enquanto nas mulheres, os mais presentes são na mama e colo de útero. O avanço dos estudos nos releva que os cânceres podem ser evitados por check-up, ou seja, exames de rotina e consultas periódicas ao seu médico. O câncer possui um comportamento silencioso, não demonstrando sinais de sua presença, assim, dependendo do órgão acometido pelo câncer e do grau que este órgão é envolvido pelo tumor é que se estabelecem as alterações de seu mau funcionamento.

Setenta por cento dos diagnósticos de câncer são feitos por médicos não-cancerologistas, o que evidencia a importância destes profissionais no controle da doença. O diagnóstico é feito por meio de profissionais que não são da especialidade oncológica, pois as pessoas nunca vão ao oncologista direto, e sim passam em outras especialidades que possam vir a sanar os sintomas que estão sentindo. E isso se resolve pelo fato do médico olhar o paciente como um todo, não se restringindo apenas em sua especialidade.Hoje em dia muitos tipos de câncer são curados, desde que tratados em estágios iniciais. Porém, o ponto principal é sua prevenção.

O câncer é uma doença do presente e será a do futuro, principalmente devido ao aumento da expectativa de vida. Em 2005, das 58 milhões de mortes do mundo, o câncer foi responsável por 7,6 milhões. Em 2020 espera-se, que novas pessoas sejam diagnosticadas e junto com elas, novos métodos de tratamento e diagnósticos sejam descobertos. No Brasil temos um índice de 460 mil novos casos de câncer diagnosticados ao ano. Cuidar da alimentação e fazer exercícios físicos são atitudes que só dependem de cada um e que fazem toda a diferença na prevenção do câncer.

Câncer de Próstata:

O câncer de próstata surge quando, por razões desconhecidas, as células da próstata passam a se dividir e se multiplicar de forma desordenada, levando à formação de tumor. Alguns tumores podem crescer de forma muito rápida, levando até a morte. Enquanto outros tumores possuem um lento crescimento que não ameaça a saúde do portador. Na maioria dos casos, o tumor apresenta um crescimento lento, de longo tempo de duplicação, levando cerca de 15 anos para atingir 1 cm³.

O câncer de próstata é um tumor mais comum em homens com mais de 50 anos de idade e de acordo com o avanço das pesquisas mais casos desse câncer será diagnosticado no futuro. Alguns fatores podem influenciar o aparecimento desse tipo de câncer, dentre eles: fator genético, fator hormonal (em homens já portadores do CP o uso de testosterona estimula o desenvolvimento desse tumor), dietas ricas em gorduras estimulam o aparecimento do CP, enquanto dietas ricas em tomate e fibras previnem seu aparecimento; fumaças de automóveis, cigarro e fertilizantes estão sob estudos.

Para escrever o estadiamento do tumor existem varias classificações. Baseado no estadiamento do tumor e de sua classificação de Gleason é que se escolhe o tipo de tratamento. Sendo a classificação e tratamento: para os tumores localizados dentro da glândula, a prostatectomia radical e a radioterapia são as primeiras opções e consideradas curativas; os tumores que avançam para fora da próstata, mas sem evidência de metástases, são geralmente tratados com radioterapia; os tumores metastáticos são paliativamente controlados com hormônios femininos, orquiectomia, drogas anti-androgênicas ou análogos do LHRH. O tratamento do CP também deve levar em conta a idade do paciente, níveis de PSA, estágio do tumor e tipo histológico, o tratamento gera algumas complicações que devem ser discutidas com o paciente. O prognóstico do CP depende do estágio e grau histológico, principalmente.

A prevenção do câncer se fixa majoritariamente no afastamento dos fatores de risco e na promoção de ações saudáveis. Mas, nem todos os casos possuem fatores de risco e ações que possam vir à prevenção, como por exemplo, a herança genética. O CP, como a maioria dos tipos de câncer, possui fatores de risco identificáveis, assim diminuindo a chance da pessoa vir a desenvolver esse tumor. Há também fatores de proteção, fatores que se a pessoa está exposta a sua chance de desenvolver esse tipo de câncer é menor.

Fatores de risco e proteção mais conhecidos e que podem ser modificados são: idade, o CP é incomum em homens com 50 anos ou menos; dieta, uma dieta rica em gordura aumenta sua chance de desenvolver esse tumor, enquanto uma rica em frutas, legumes e verduras diminuem o seu aparecimento; herança genética, 15% por cento dos homens que tem câncer tem um familiar de 1º grau com esta doença; raça, homens negros tem mais probabilidade de terem o CP do que os homens brancos e orientais.

Detecção precoce ou screening para um tipo de câncer é o processo de procurar um determinado tipo de câncer na sua fase inicial, antes mesmo que ele cause algum tipo de sintoma. Os exames realizados para detecção do CP são: toque retal, exame de ultra-sonografia, exame de PSA.

Esses exames são feitos da seguinte forma: o toque retal é aquele em que um médico introduz o dedo indicador recoberto por uma luva no ânus do paciente a fim de palpar a porção anterior do reto, região em que se localiza a próstata, para ver se há aumento da glândula ou a presença de endurecimento ou nódulos; o exame de ultra-sonografia é um exame em que um transdutor é introduzido no reto do paciente através do ânus, e assim detectando alterações no tamanho ou forma, sendo semelhante ao de toque retal; o PSA, ou Antígeno Prostático-Específico, é um exame de sangue que mede níveis de uma substância relacionada a alterações presentes na próstata, na maioria das vezes, quando muito aumentado, significa que houve uma alteração maligna das células dessa glândula.

Em índice de estatística vemos que 3 quartos dos casos ocorrem em homens com mais de 65 anos. Sendo que 58% atingem a média de sobrevida de cinco anos, uma taxa de mortalidade baixa.

De acordo com pesquisas vimos que o SUS dá ao portador de câncer um tratamento gratuito a toda população que precise, e, também está tentando organizar o tratamento de câncer de modo a oferecer em um mesmo Estabelecimento de Saúde, todas as modalidades de tratamento, como cirurgia, quimioterapia, radioterapia e, inclusive, cuidados paliativos e reabilitação. Existem, no Brasil, mais de 300 Estabelecimentos de Saúde prestando assistência oncológica de alta complexidade a doentes do SUS, espalhados por 26 Estados e em 128 diferentes municípios. A maioria deles é Hospital Geral com reconhecida capacidade de prestar atendimento de alta complexidade e alguns são hospitais especializados em câncer.

As Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde planejam, organizam, controlam e avaliam o Sistema Único de Saúde em seu território, e por isso são chamados de gestores locais do SUS. Assim, quando um doente de câncer quer ser tratado no SUS recomenda-se que procure a Secretaria Municipal ou Estadual de Saúde de onde reside para ser orientado sobre qual Estabelecimento de Saúde poderá oferecer o melhor atendimento possível para seu caso.

Porém, o GAPC não vê o portador apenas no caráter patológico cancerígeno, e sim, ressaltando seu lado emocional, psicológico e social. Comprovado por eles que não adianta tratar um paciente com medicamentos se o mesmo não tiver alimentos em casa (entrando nesse caso as doações feitas), visto também que não adianta focar na cura dessa patologia sendo que alguns portadores estão psicologicamente abalados (entrando nesse caso a psicologia disponível), e fora as dores que o tratamento produz (entrando nesse caso a fisioterapia presente). Nessa e em outras adversidades que o GAPC atua, suprindo o que a população portadora que for cadastrada na instituição venha a precisar.

OBJETIVO:

O artigo tem por objetivo majoritário a divulgação da clínica de apoio social, chamada GAPC. No decorrer do artigo mostraremos a sua grande importância na vida dos portadores e de seus familiares. Assim, divulgando essa importante iniciativa em melhoria de cuidado dos portadores aos leitores, e cuidado este não sendo restringido ao físico, e sim ao psicoemocional e social dos mesmos e de seus familiares. Serão mostrados depoimentos e resultados dessa importante ajuda.

METODOLOGIA:

O presente artigo foi feito com base em entrevistas e conversas com a assistência social responsável, cujo nome é Ariádina Schaeffer; com dados obtidos pelo site da instituição e em demais fontes de pesquisas, tais como, artigos científicos, livros, revistas, dentre outros.

RESULTADOS:

O presente artigo tem como resultado, 3 dados, sendo eles: questionário de 5 perguntas feito com alguns pacientes; descrição de tudo que foi doado em 2008; depoimentos de portadores, colaboradores, membros da equipe e etc.

O questionário foi feito em um período de 3 dias e obtivemos um número de 22 pacientes que responderam as 5 perguntas, sendo as perguntas e respostas:

1- Você gosta do atendimento do GAPC?!

Sim: 22, Não: 0, Não sei:0

2- O GAPC atendeu as suas expectativas?!

Sim: 22, Não: 0, Não sei: 0

3- Você teve apoio de sua família para buscar ajuda no GAPC?!

Sim: 15, Não: 7, Não sei: 0

4- O GAPC melhorou sua qualidade de vida?!

Sim: 21, Não: 0, Não sei: 1

5- O GAPC lhe deu força para lutar contra a doença?!

Sim: 22 pessoas, Não: 0, Não sei: 0

As doações feitas no ano de 2008 foram:

No ano de 2008 foram doados: 5745 caixas de medicamentos diversos,957 latas de suplementos alimentares,1239 cestas básicas (aproximadamente 30 toneladas de alimentos), 5626 litros de leite,450 kits de inverno,12248 unidades de fraldas descartáveis,344 unidades de material de curativo (caixa de luva, gaze, soro, esparadrapo, atadura, etc),80 equipamentos hospitalares (cadeiras higiênicas, cadeiras de rodas, camas hospitalares, colchões caixa de ovo, oxigenoterapia, etc),60 próteses mamárias,12 próteses ou órteses,244 bolsas de colostomia,23 perucas,4545 vales transportes,140 exames e consultas,4700 atendimentos profissionais (nutrição, fisioterapia, psicologia, serviço social, terapia de reiki, florais de Bach, medicina chinesa). Além de tudo isso, diversas atividades de grupo, festas e eventosforam realizados neste ano de 2008, sempre visando à melhoria da qualidade de vida de cerca de 600 famílias diferentes que tiveram suas mais diversas demandas atendidas.

Alguns depoimentos de portadores, colaboradores, membros da equipe e etc., seguem abaixo. Sendo todos eles disponíveis em: http://www.gapcvr.com.br/

1- "Cheguei no GAPC indicada por uma outra paciente que se encontrava na mesma situação que eu: em tratamento e sem recursos. De imediato recebi ajuda com medicamento para dores intensas que sentia. Nunca deixaram de me ajudar e isso fez toda a diferença no meu tratamento e recuperação. Também passei a ser acompanhada pela nutricionista, pela fisioterapeuta e pela terapeuta de Reiki – assistência que me ajudou e ajuda muito até hoje. Em seguida, conheci o grupo de ARTETERAPIA que na época estava dando seus primeiros passos. Logo me encantei com o trabalho e com o grupo que formava a oficina.

Em março de 2008 fez 03 anos que convivo constantemente no GAPC e graças a Deus estou muito bem de saúde no momento. Tenho tido a oportunidade de ajudar outras pessoas também. Posso dizer que aqui é meu segundo lar. Encontrei uma família que não tive a oportunidade de ter. Acredito que Deus preparou essa especialmente para que eu fizesse parte dela. O atendimento por parte de todos, o carinho e apoio que recebo nessa casa não encontrei em nenhum outro lugar. Que Deus continue abençoando a todos nós do GAPC.!!!!"

Sueli de Freitas Santos– 49 anos

2-"O GAPC tem ajudado muito as pessoas. O tio da minha esposa, portador de câncer tem sido atendido com muita presteza. Obteve junto a esta entidade muitas coisas valiosas, tais como: cadeira de rodas, cadeira para banho, remédios, ajudas profissionais e exames pagos pelo GAPC.
Todo o atendimento é realizado em tempo hábil, valendo ressaltar que o tio da minha esposa é pessoa simples e humilde e não há qualquer discriminação quanto  a isso, o que em certos lugares existe.
Verifiquei que o GAPC de Volta Redonda é verdadeiro e sua ajuda é comprovada. Devido a tudo isso, continuo com o maior prazer e de coração contribuindo.

Meus parabéns ao GAPC e que continuem sempre assim!"

Declaração de um colaborador do GAPC que preferiu não se identificar.

3- " A experiência como profissional de Medicina Chinesa nestes últimos 12 anos tem me ensinado muito. A visão que esta ciência nos proporciona, focalizando o ser humano como um ser integral, ou seja, devendo ser trabalhado como um todo, e não por partes, nos aproxima de nossos clientes de uma forma mais produtiva e humana.

Assim, nos realizamos a cada passo, produzindo uma gratificação crescente no objetivo profissional de cuidar de pessoas. A oportunidade que me foi ofertada pelo GAPC de Volta Redonda , de disponibilizar meus conhecimentos e experiências para ajudar os portadores de câncer que buscam ajuda, é das mais ricas na minha vida profissional. O ambiente GAPCVR, compreendido pelos portadores de câncer e seus familiares, voluntários, profissionais de saúde, administração e seus auxiliares é de um organismo sadio e equilibrado, onde nenhuma doença se instala, pois o seu funcionamento é regido sempre por atenção, afeto, carinho, solidariedade... Ou seja, AMOR. A alegria é estampada em cada semblante, mesmo naqueles com dor ou incomodados com as consequências de uma quimioterapia. Quero expressar aqui minha alegria pela oportunidade de trabalhar nesta organização, e agradecer a todos que, direta ou indiretamente, colaboram para que o GAPCVR funcione numa casa onde moram a fraternidade e a amizade. Parabéns, GAPCVR! É um orgulho fazer parte dessa equipe!!"

Francisco de Oliveira

4- "Há 02 anos cheguei ao GAPC movida , a principio, pelo desejo de conhecer o trabalho realizado e encantei-me de imediato. De colaboradora mensal tornei-me voluntária semanal. Fui recebida com muito carinho e simpatia pela equipe que então coordenava o serviço. Me ofereci para trabalhar com ARTESANATO, embora não fosse profissional na área. "Acredito que se aprende fazer fazendo" e assim nosso grupo começou.

No princípio, éramos apenas 04 integrantes, mas, aos poucos fomos nos tornando mais fortes e ao final desse segundo ano de trabalho já somos 12. Realizamos até mesmo uma exposição dos nossos trabalhos em 2007. Para muitos, esse número talvez nem seja tão significante, porém, a marca dele é o carinho e o afeto que experimentamos em cada encontro. Podemos dizer, sem medo de errar, que "ali fazemos pulsar o coração do GAPC".

"E  acreditem: Há um homem no meio de tantas mulheres..." Ele relata que procurou o grupo porque em "suas conversas íntimas com Deus dizia: "- Meu Senhor, eu não quero morrer de mãos vazias..." Essa frase tem servido de lema para minha vida!
Trabalhamos muito e vivemos muitas experiências nesses dois anos. Sabemos que há muito ainda por conquistar. Qual o resultado? Nossas almas estão felizes com o resultado da ARTETERAPIA que estamos desenvolvendo.

Nosso encontro, de 14  as 17h, às quartas-feiras, passa voando: "Ninguém quer ir embora", prova que todos se sentem felizes pelo trabalho que estão realizando!

Deixo aqui meu convite para 2008 e por outros anos que se seguirão: trabalhemos como a formiga e cantemos como a cigarra e façamos a nossa parte... Teremos então, encontrado  a fórmula da tão sonhada FELICIDADE!"

Afetuosamente,
Renata Ca
rísioCoordenadora da oficina de artesanato do GAPC."

CONCLUSÃO:

De acordo com todo o exposto no decorrer do artigo viemos ratificar a importância dos serviços prestados por essa clínica na vida dos portadores de câncer e seus familiares no município de Volta Redonda e suas medições.

Sendo assim, estamos divulgando esse grandioso trabalho feito aos leitores, ficando assim, mais pessoas cientes desse gesto de ajuda e respeito feito por essa grande clínica social, chamada GAPC.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  • Revista da semana – Edição 55/Ano 2 de 25 de setembro de 2008. As perspectivas na prevenção e no tratamento nunca foram tão animadoras. Disponível em: http://www.gapcvr.com.br/ . Acesso em: 13 de setembro de 2009.
  • Carla Leonel. Livro Medicina Mitos e Verdades 4ª edição, 2000.
  • GAPC – Grupo de Apoio a Pessoas com Câncer. Disponível em: http://www.gapcvr.com.br/ . Acesso em: 13 de setembro de 2009.
*Aluno da graduação de enfermagem do Centro Universitário Geraldo Di Biase, e-mail: ayslanbarbosa@yahoo.com.br

** Aluna da graduação de enfermagem do Centro Universitário Geraldo Di Biase, e-mail: caroltavares29@hotmail.com

*** Aluna da graduação de enfermagem do Centro Universitário Geraldo Di Biase, e-mail: tathimoreno@yahoo.com.br
Autor: Ayslan Barbosa Guedes


Artigos Relacionados


Dor!

Pra Lhe Ter...

Minha Mãe Como Te Amo

Tudo Qua Há De Bom Nessa Vida...

Nossa Literatura

Exemplo

Aquelas Flores Coloridas