RETORNO DO INVESTIMENTO EM TREINAMENTO



São poucas ainda as empresas que possuem ferramentas para medir o Retorno do Investimento em Recursos Humanos.

Muitos Gerentes de RH não sabem como calcular e avaliar o retorno do investimento em treinamento , nem estão equipados com ferramentas necessárias de gestão, para subsidiar o processo da tomada de decisão de tal investimento.

Como saber se o dinheiro aplicado na equipe treinada retornará, seja na forma de um trabalho mais eficiente, seja em termos de produtos ou serviços mais competitivos ?

Como medir os benefícios do treinamento e como amortizar os investimentos feitos no capital humano? Como uma companhia pode estar segura de que não perderá sua nova equipe treinada, atualmente o bem mais precioso no mundo empresarial?

O investimento em treinamento não é analisado da mesma forma que os investimentos em outros setores. Por que? Seria porque o treinamento continua a ser tratado mais como despesa do que investimento, destinado a ampliar a capacidade da companhia de competir e inovar?

Grandes empresas, nos Estados Unidos e na Europa Ocidental, gastam mais de 2% a 3% do total da folha de pagamento em treinamento, o que pode representar milhões de dólares.

Numa pesquisa que avaliou 1200 empresas da Irlanda, uma das economias mais dinâmicas da Europa, o treinamento representou, em média, 3.01% da folha de pagamento. Isto poderia ajudar, particularmente, na explicação do dinamismo da economia irlandesa.

Para desenvolver um negócio sustentável, as companhias necessitam, mais do que nunca, investir em pessoas. Somente a qualidade do capital humano da empresa pode assegurar a vantagem da competitividade a longo prazo.

As organizações bem sucedidas, conscientes da importância de seus Recursos Humanos, estão utilizando ferramentas para implementar e avaliar ações de treinamento e desenvolvimento de pessoas. Entre essas ferramentas merecem destaque o discutido B.S.C. – Balanced Scorecard, a Gestão de Competências e a Gestão do Conhecimento. Mas, certamente, a mais importante ferramenta para aumentar a eficiência e eficácia das ações de desenvolvimento de competências é a norma ISO 10015: Diretrizes para treinamento.

No Brasil, a norma ISO 10015 está despertando o interesse dos profissionais de RH que trabalham em grandes empresas.

Na Suécia, um dos países mais competitivos do mundo, a norma ISO 10015 vendeu, nos primeiros sete meses após sua publicação, 10% a mais que a própria ISO 9001:2000, no mesmo período.

A ISO 10015 é uma nova ferramenta de gestão de RH que dá suporte ao processo de aprendizagem da organização, para assegurar melhores resultados de negócios.

A ISO 10015 dá as diretrizes para o desenvolvimento correto de todas as etapas do ciclo de treinamento.

A etapa mais complexa do ciclo é a Avaliação dos resultados do treinamento.

Parafraseando Norton e Kaplan, podemos afirmar que “os gerentes de RH só conseguirão gerenciar o treinamento quando conseguirem avaliá-lo corretamente.”

S.Guimarães guimaraes@tgtreinamento.com.br
Autor: Sebastião Guimarães


Artigos Relacionados


Ensinar A Ensinar E Aprender A Aprender

Treinamento Nbr Iso 10015 – Diretrizes Para Treinamentos

Treinamento Nbr Iso 10015 – Diretrizes Para Treinamentos

A Hora E A Vez Do Treinamento Eficaz

Nbr Iso 10015 – Diretrizes Para Treinamentos

O Que As Empresas Bem Suceditas Têm Que As Outras Não Têm

O Treinamento Como Centro De Lucro