O novo sistema educacional Socialista de Hugo Chávez



O ditador populista da Venezuela, Hugo Chávez, que se aproveita da pobreza material, cultural e intelectual da maioria do povo, quer fazer o que os militares fizeram durante a ditadura no Brasil. Segundo Chávez, "todas as escolas deverão adotar ainda neste ano um novo currículo". Sua intenção, óbvio, como ocorreu com os militares em nosso país, nada mais é que fazer uma lavagem cerebral nos estudantes, como o fazem ainda hoje nas escolas dos sem-terra por aqui.

O demagogo venezuelano diz que tal adoção curricular "vai ajudar a desenvolver valores de cooperação e solidariedade". Cooperação com suas intenções de governo vitalício (a exemplo de Cuba). Isso é inconcebível em pleno século XXI.

Chávez, que está fazendo uma reforma na Constituição, tem a petulância de dizer que "reconhece a existência de escolas particulares, mas que elas devem adotar o novo sistema educacional socialista". E ameaça fechá-las. Já está mais do que provado que o socialismo mundial faliu, ruiu com a União Soviética, e somente ainda insiste em sobreviver no regime do velho gagá cubano, Fidel Castro. Se fosse bom, ninguém iria querer fugir da ilha.

O ditador populista, que se auto-intitulou "pai dos pobres" (filme já visto no Brasil), declarou demagogicamente que "a reforma educacional visa a atender a população mais carente", alegando que "a Educação foi ignorada pelos governos anteriores". Esse tipo de afirmação é muito comum aqui em nosso país, quando entra um novo governo, oposição do acabou de sair.

Mas o que realmente estará "por trás das boas intenções do ditador venezuelano"? A resposta já a conhecemos de há muito: ele quer um novo currículo que sirva como base de doutrinação dos estudantes. Ou seja: lavagem cerebral. Uma doutrinação sutil está em curso desde 2004 no Brasil, com a distribuição de livros didáticos de História - uma História de anti-heróis - pelo Ministério da Educação para estudantes do ensino fundamental.

O ideal de educação de Hugo Chávez é "baseado em aprender a criar, viver em sociedade e refletir". Ele afirma que a "educação baseada na ideologia capitalista destruiu valores". Concordo. Mas será que essa imbecilidade socialista não faria o mesmo?

Infelizmente, "mais uma vez usada como mero instrumento de perpetuação no poder de um ditador que, como todos os demais de sua estirpe, crê-se o salvador da Pátria". Vivemos algo semelhante no Brasil atualmente, com um chamado PAC da Educação, que, nas entrelinhas, relega a um estudo bem superficial à massa da população, justamente aquela que elegeu o presidente.

Esperamos que tal exemplo não venha a ser seguido pelo governo brasileiro, tão amigo do venezuelano. Os países da América do Sul se viram livres das ditaduras militares, e agora vêm esses socialistas que bebem em fontes mortas, mofadas e defasadas, querendo reviver um nova fase de ditadura, com os sofismas do populismo.

Prof. Maurício Apolinário
é autor do livro "A arte da guerra para professores"
prof.mapolinario@gmail.com
Autor: Prof. Maurício Apolinário


Artigos Relacionados


Venezuela E Irã: Unidos Por Um Inimigo Em Comum

Chávez E A "pequena União Soviética"

A Gaiola Das Doidas Ou Locuras Bolivarianas.

Ponte AÉrea Dos Derrotados.

Os Profissionais Da Educação E As Ideologias Político-partidárias

A Revolta árabe: Entenda As Manifestações Em Busca De Democracia E Suas Consequências

Posicionamento Crítico Sobre O Socialismo