Cachorro Perdido, Arco Íris Lunar e Chocolate



O ensolarado dia de verão carioca, não conseguiu impedir o escurecimento do pátio do entristecido coração de Guajiru!

-- Antes de continuar a história posso fazer ao Amigo Leitor, duas perguntas?

Alicate de Furar Couro
O que há de comum entre o Desempregado, o Empresário e esta ferramenta?

Cachorro Perdido
O que tem a ver com o Arco Íris Lunar e Chocolate?

-- Obrigado pelo interesse. Continue aqui e logo terá as respostas.

Descarte
Administrador, gerente e vendedor. Guajiru, já coroa, pai de família com, esposa, dois filhos na faculdade e um cachorro, viu-se subtraído de sua única fonte de renda. Trabalhava em uma concessionária de veículos, que, motivada pela crise, na medida em que ia limpando o estoque mandava para a porta de saída os trabalhadores. A direção da empresa, olhando o pátio com zero carro e vendo o relógio de ponto desligado, foi até à junta comercial para ultimar a atividade da outrora próspera organização.

A excelência do trabalho de Guajiru, fê-lo ser o último profissional a ser despedido. Vendedor dos melhores do mercado, dessa vez, perdeu o próprio emprego por produzir demais, pois era exatamente isso que a direção da firma queria para poder descontinuar os negócios.

Farejamento
Guajiru, telefonou para diversos empresários conhecidos, contando sua experiência, mas nenhum teve o que lhe oferecer. Cansado de tanto insistir sem resultado, preferiu visitar as firmas sem telefonar, para farejar pessoalmente os “amigos” e quem sabe alcançar alguma misericórdia, o que não aconteceu.

Seu faro o conduzira até a empresa de Apolo Alce. Encontrou-o na escada da galeria onde mantém uma loja.

-- Guajiru, que bom te ver! Quanto tempo! Como vai a família?

-- Apolo. Preciso falar com você.

-- Passa aqui dentro de meia hora por favor, -- determinou.

-- Posso aguardar na recepção?

-- Não Guajiru, eu mandei todo mundo embora. Melhor você dar um giro. Volte dentro de trinta minutinhos, e eu estarei no escritório.

Guajiru, suando frio concordou em retornar para conversar com o amigo. Pelo menos bateria um papo. Talvez ele conheça alguém ou ele mesmo, disponha de um emprego, ainda que residual.

-- Guajiru! O homem da CarLess! A que devo a honra de sua ilustre visita? Acabei de trocar de carro. Já sei! Tua “desmontadora” quer fazer um “ricól” (recall). Acertei?

-- Alce, eu fui o último a ser ejetado da CarLess. Tenho uma experiência boa em administração, treinamento, serviços gerais e vendas. Quem ta precisando de um “ricól” (recolocação) sou eu. Pretendo ser ajudado por você, tendo sua permissão para bater suas propostas, fazer banco, cuidar de todo o serviço do escritório, vender e fazer o que mais você precisar. Meu horário de trabalho pode ser de segunda a domingo. Posso abrir e fechar sua firma. Minhas despesas mensais são... o salário fica por sua conta.

-- Guajiru, na minha área (closet), quase todo mundo quebrou e eu já havia vendido quatro imóveis para continuar no mercado. Levei dezenove anos para aprender a trabalhar. Enxuguei todos os custos e não invisto um real sem ter certeza absoluta do retorno. Hoje até a loja eu varro. Joguei no lixo todas as vaidades e desde janeiro de 2008, tenho colocado em prática uma vida espartana (bem econômica). Essa minha atitude, me proporcionou um lucro muito bom. Não estou devendo nada a ninguém, economizei mais de duzentos mil reais nesse período, e meu estoque é tres vezes esse valor. “Cara, to hiper feliz por ter aprendido a trabalhar. Eu vou te pagar um salário legal. Agora você vai fazer o serviço de vários. Mais à frente se você me ajudar como eu to pensando, vai ser devidamente recompensado”.

Apolo Alce, mantém somente os empregados da fábrica. Guajiru, teve sua carteira assinada como Gerente Comercial, auferindo metade do que ganhava na revendedora de carro, vale combustível e cartão de comer. Os filhos poderiam permanecer na faculdade e não faltaria ração para o cachorro.

Esse mês a firma aumentou em um terço, o valor do salário. Se os negócios continuarem crescendo, outro reajuste salarial será concedido e novos colaboradores serão contratados.

Alicate de Furar Couro
Ironia da vida: o alicate que Guajiru precisou para fazer tres buracos no cinto, em função da escassez, agora tinha sido emprestado a Apolo. Depois que o patrão começou a fazer academia, sua elegância abdominal exigia a primeira perfuração no cinto. Sorrindo feliz, olhou para o empregado dizendo:

-- Guajiru! Comecei a apertar meu cinto. Quero fazer mais dois furos para ficar igual a você!

Cachorro Perdido
Homem gentil, Apolo Alce, gosta de prestigiar o empregado, juntando ao contra cheque, uma caneta, um livro, enfim uma lembrança. Dessa vez, anexou ao documento, uma barra de chocolate chamado Moonbow (arco íris lunar). Em inglês, a embalagem trazia o seguinte texto:

“A cidade de Williamsburg, Kentucky, Estados Unidos, oferece à população, nas noites de lua cheia, um arco íris. Vez, uma família notou um cão vira latinha uivando de solidão, procurando seu possuidor. Acolhido com amor pelo pessoal, o bichinho passou a atender pelo nome de Perdido. Sempre que ocorre esse fenômeno, a turma aparece passeando com o novo amigo”.

Hoje foi um dia de muito trabalho. Enquanto comia o chocolate, Guajiru lembrava do arco íris bíblico, onde Deus fez uma aliança com Noé. Sentindo-se participante dessa aliança, foi envolvido por uma grande força. O derramamento de uma gorda lágrima derretia o doce. Indiferente à noite chuvosa, escura e zerada de estrelas, o coração de Guajiru se alegrava, seu pátio parecia iluminado pelo clarão do sol carioca de meio dia!

--------------------------------------------------------------------
Escrito por:
Gilberto Landim


Palestrante
palestrante@vendasplus.com.br
www.vendasplus.com.br
Autor: Gilberto Landim


Artigos Relacionados


Arco Ìris De Amor

A Vida Em Um Segundo

Arco-íris, Aquarela E Pincel

Um Arco-Íris Na Tarde

Arco Circunzenital

Onde Estão Os Arco-íris?

O Tesouro