REDE CAN - Tráfego de dados e conectividade de dispositivos em automóveis Parte I



REDE CAN - Tráfego de Dados, Conectividade e automação em Automóveis – Parte I
Por Luiz Dos Reis Lana
Gestor/consultor técnico em serviços autorizados desde 1981
Luizlana@somambiente.com.br

Inversamente como acontece com muitas tecnologias, onde primeiro inicia-se o uso massivo para depois ir para o automóvel, a rede CAN – (ou barramento Controller Area Network nasceu para uso inicial em automóveis e hoje já conecta diferentes dispositivos em diferentes áreas e situações, migrando para outros meios em virtude de sua robustez, performance e diferentes meios e formas de aplicações.
Controller Area Network – a rede CAN para automóveis é um protocolo de comunicação serial síncrono onde as mensagens trocadas entre os módulos no veículo (dispositivos ECUs, multimídia, navegação etc) operam em sincronia. foi idealizada em 1983, onde houve à partir daí, em virtude de suas características, vastas aplicações e funções: aceitabilidade maciça e apoio pela indústria automobilística, apoio de grandes nomes da indústria de automação e em outros segmentos como por exemplo: Intel e Philips, e ainda onde é aplicada, a eletrônica embarcada - termo que designa um sistema eletrônico montado em uma aplicação móvel; que pode ser: um automóvel, barco, navio ou avião. A rede CAN é altamente utilizada onde exige-se confiabilidade em virtude de envolver vidas humanas como em equipamentos médicos, em elevadores, automação de fábricas e por isso ela é amplamente e cada vez mais hoje, utilizada para automóveis, onde equipamentos microprocessados e microcontrolados como: centralinas, ECU (unidade eletrônica de controle – que recebe, controla, processa dados e realiza funções), Interfaces Homem Máquina, centrais de comando, cds com comando de bordo e uma infinidade de outros que precisam se “comunicar e conversar” entre si no veículo. Uma ECU, possui hardware e software que proporciona a leitura dos dados, permitindo controlar dispositivos e realizar funções. A rede CAN – é uma rede de troca de dados, não é atualmente utilizada somente em automóveis pelas montadoras , certamente morando-se em um grande centro já utilizou uma hoje em: elevadores, metrôs, máquinas de tecelagem, máquinas de empacotamento etc. Estas diferentes aplicações da rede CAN se dão graças à sua confiabilidade de transmissão onde há garantia de 100% de eficiência no tráfego de dados entres as ECUs e dispositivos que interage. Algumas características desta rede são: - capacidade multi-mestre: onde os módulos podem se tornarem mestres em determinado momento e escravos em outro, - capacidade multicast: sendo qualquer mensagem enviada para todos os módulos existentes na rede simultaneamente, - trabalha com freqüências até 1 Mhz., - comprimento do chicote no veículo até 40 metros, - velocidade de transmissão inversamente proporcional ao comprimento do barramento, - cada bit (0 e1) é transmitido por um valor de tensão específico e constante.
O protocolo CAN – Protocolo de comunicação serial, proporciona alta confiabilidade no tráfego de dados, não importando o tipo de arquitetura elétrica utilizada no veículo: Arquitetura centralizada, onde um único modulo ECU controla todo o veículo ou Arquitetura distribuída, onde várias ECUs se interagem entre si para fazer diversas funções existentes no veículo como: ECM – controle do motor, ABS, sistema de iluminação, Painel de instrumentos, dentre vários outros.
A maior parte dos veículos comercializados atualmente possui em seus sistemas de controle eletrônicos, funções controladas individualmente onde cada módulo ou setor, controla uma função. A interação do funcionamento destes módulos individuais de controle dá ao motorista e usuários do veículo a sensação de uma unidade única controlando tudo, um sistema integrado, como se fosse um cérebro. Há uma inter-relação entre informações e algumas funções disponíveis em um veículo, onde observa-se como cada função é afetada e afeta a outra. Observe que a informação da velocidade do veículo por exemplo “conversa”com à central de travas (auto look) com o carro após partida, painel de instrumentos e sistema de freios; já o sinal de porta aberta atua e conversa com o sistema de alarme, central de travas, e painel de instrumentos.
Algumas aplicações da rede CAN em automóveis são: gerenciamento eletrônico da motorização do veículo e combustível, ABS, eletrônica embarcada (equipamentos eletrônicos instalados no veículo), entretenimento, diagnóstico, multiplexação de sinais. Uma das aplicabilidades da rede CAN mais conhecidas e próxima do usuário em um veículo, é para sistemas de entretenimento, como rádios conjugados com sistema de computador de bordo, telefones celulares, displays e vários outros
Por possuir mais de 20 anos de mercado a rede CAN hoje é adotada por varias montadoras de veículos ao redor do mundo como: Audi, BMW. Porshe, Citroen, Renault, Saab, Wolkswagen, Volvo, Daimler-Chrysler dentre varias outras e em equipamentos de áudio automotivos originais de montadoras como Kenwood, Visteon, Siemens, Becker, Blaupunkt, Alpine,Clarion. Um automóvel de luxo Por exemplo, pode abrigar mais de 80 centrais ECUs que se comunicam através da rede CAN.
Na segunda parte deste artigo continuaremos falando da rede CAN e citarei dicas e exemplos práticos.
Até a próxima.
Autor: LUIZ DOS REIS LANA


Artigos Relacionados


Convergencia Digital No AutomÓvel

Caracterização Da Transmissão De Dados Na Rede Elétrica

Conectividade - Tecnologias De Tendencia Ou Rotina Parte Ii

Introdução Aos Controladores Lógicos Programavéis (clp)

O Que São Sistemas Distribuídos

Procedência Veícular

Conectando Ao "comboio"