Maria sai da lata.



Acabo de vencer uma verdadeira maratona.

É, depois de insistir muito, depois de muitos “mas e porquês”, consegui convencer um departamento de uma empresa (cliente) a utilizar o E-mail ao invés do fax para receber as suas cotações.
Mas ainda preciso manter o velho aparelho, com aquele imenso rolo de filme, pois ainda recebo muitas cotações pelo fax.

Quando questionava o porquê não utilizar o E-mail, já que é muito mais seguro, rápido prático e de baixíssimo custo sempre ouvi:
- Ah, é ordem lá de cima!
Detalhe: O pessoal lá de cima já usa E-mail há muito tempo, apenas esqueceram de comunicar aos “lá de baixo” que agora já pode.

Todos os dias somos surpreendidos por novas tecnologias, e novas opções que facilitam a nossa vida, (desde que assim o aceitamos) A todo instante, coisas que fazíamos tão bem, de repente precisam ser reaprendidas, refeitas, inovadas enfim, temos que achar meios de fazer as coisas melhores gastando menos tempo.

Incomoda-me muito que ainda existam pessoas e empresas que hesitam em encarar o novo, esquivam-se de no mínimo testar algo diferente, preferem manter-se em suas zonas de conforto, tornando-se escravos da mesmice, e tornado a sua empresa e o trabalho em algo ultrapassado e acabam por pagar um alto preço pela sua ignorância tecnológica.

Às vezes partem para implantar o novo quando já é tarde demais, ou acabam por esconder-se atrás de velhas desculpas também já ultrapassadas:
- Time que está ganhando não se mexe. Aff!!
- Melhor deixar como está, é ordem da diretoria. (demita o diretor, oras)
- Isso já é uma tradição e costume da empresa.

Por falar em tradição e costumes, dias desses ao olhar para uma lata de óleo Maria, viajei no tempo, voltei lá naquelas macarronadas de domingo. Lembram?
Era uma tradição muito familiar.

Lembrei-me dos meus tios e primos minha avó enfim família reunida.

E a velha latinha da Maria sempre presente. A Maria sempre fez parte de toda essa geração e pelo jeito vai se mantendo para as futuras gerações.

Opa, quem disse isso?

Observando bem, a Maria de hoje não é a mesma, não é aquela que eu conheci.
A Maria do meu tempo era uma senhora lusitana de meia idade, cara fechada, séria.

Hoje a Maria é bem jovem, um jeito meio sorridente, mantém apenas o mesmo vestido e o lenço vermelho, (tradição).

Depois da plástica, quase aos setenta anos, Maria se mantém firme nas gôndolas dos supermercados e ainda ocupa até novos setores do mercado, garantido assim a sua continuidade em nossas mesas.

Lembrei-me quando pedíamos extrato de tomate, logo o dono da mercearia colocava em cima do balcão o velho elefantinho verde e... Negócio fechado!

Hoje, nos perdemos em meio a tanta diversidade, um corredor inteiro do supermercado apenas do tal extrato; Tem o tradicional, o refogado, tem com salsa, com orégano, com Champion, tem o zero, tem o ligth, no copinho ou no saquinho e ainda tem na lata e dá-lhe concorrentes.

O macarrão?
Ah!! Esse já tinha opções.
- Gravata ou parafuso?
Não hoje vamos de Espaguete
- Numero dois ou quatro?
E sempre vinham embrulhados num papel azul anil, que era para proteger de raios ultravioletas, não era nem tanta preocupação com qualidade, apenas com conservação do produto, não havia concorrência, não precisava inovar.

Daquele macarrão a única coisa que ainda predomina é a cor azul anil nas embalagens que alguns fabricantes ainda mantêm. (concorrência)

Bem, tudo isso se falando apenas da macarronada do domingo, que devido à diversidade e a modernidade, também já nem é mais tão tradicional assim.

Enfim tudo avança numa velocidade em que precisamos estar atentos e atualizados para acompanhar, caso não quisermos ser ultrapassados e engolidos pela concorrência.

Todo dia é tempo de quebrar o ovo e encarar o novo.

Não aceitar mudanças, não estar atento a velocidade das inovações é gastar energia, trabalho e dinheiro para ser ultrapassado.

Ou será que ainda vale a pena nos manter inertes frente à realidade e acreditar (com muita fé, é claro) que vamos ter para sempre o nosso elefantinho verde ou quem sabe, a Maria... aquela que saiu da lata!!

Pense nisso!!

Sucesso e boa semana

Texto: Jacob Souza
Jacob-repres@ig.com.br
Autor: Jacob Souza


Artigos Relacionados


Eu Sou Filho De Maria

Viva Maria

Muita Sofisticação Com Aparelho De Jantar De Porcelana

Maria, Maria

A Simpatia Da Acusada Maria Alicate

Uma Gigante Para Um Jovem Diretor

Homenagem Ao Dia Da Bandeira: 19 De Novembro