O Círculo De Relacionamento E A Captação De Recursos No Terceiro Setor



O Círculo de relacionamento e a captação de recursos no terceiro setor;

Múcio Morais – é Consultor e Palestrante Motivacional, atua nas áreas de Comportamento, Relações Humanas, Gestão, Vendas, Marketing e Terceiro Setor;Contrate suas Palestras e treinamentos: (31) 3082-7271

Uma das principais falhas que tenho constado na captação de recursos no terceiro setor é a falta de desenvolvimento adequado de um "Círculo de Relações Comprometidas" provocada pela ansiedade ou pela necessidade emergencial de conseguir-se fundos para tocar o barco;

O que é este Círculo?

Primeiramente, ninguém dá dinheiro (substancial) para quem não se conhece, para quem não se confia ou a quem não faz parte de seu círculo de relacionamento; Ocorre que, no terceiro setor tenho encontrado diversos colegas buscando recursos de forma atabalhoada, sem planejamento e acreditando que "a causa" é suficientemente forte para convencer a sociedade de que é preciso "participar". As vezes funciona, mas geralmente não.

Chamo de "Circulo de relações comprometidas" aquele grupo especial de pessoas e empresas intimamente ligadas aos protagonistas dos projetos, gente que se relaciona há algum tempo com as expectativas, vitórias, conquistas, anseios, planos, necessidades e de maneira muito particular com as ações;

É preciso, para se ter auto-sustentabilidade, que todo projeto inicie um programa de desenvolvimento do "Circulo de Relações Comprometidas", é um processo de médio e longo prazo, mas é uma das melhores e mais seguras soluções para a questão; É importante planejar esta ação com cuidado e manter o foco, uma vez que diversas ações serão necessárias até que se forme um grupo realmente comprometido;

Chamo de Grupo comprometido aquele que não somente se relaciona com o Projeto, mas que se relaciona entre si dentro e fora das finalidades do Projeto. Uma verdadeira comunidade de solidariedade com benefícios multilaterais.

Como formar este Círculo?

Vamos falar de prática, quero dar aqui um guia alternativo para se planejar esta ação e é claro, você faz as adaptações para sua realidade e necessidade;Lembre-se de uma coisa, não inverta os passos, comece por:

1. Plantar uma cultura de relacionamento: Uma equipe que não se relaciona, não convive dentro e fora dos muros do projeto já demonstra que precisa aprender a nobre arte das relações humanas; Coisas do tipo tomar café juntos, passar finais de semana na casa do outro, ligar, enviar cartões, papos cabeça a sós, desabafos, festinhas de aniversários, homenagens, reconhecimentos, flores, pedaços daquela torta de domingo, agrados, surpresas, socorros... Coisas que comunicam a importância do outro, esta cultura é fundamental para uma equipe que quer trazer pessoas para desfrutar de seu harmonioso e gratificante convívio. (Não disse perfeito, só legal.)

 2. Mobilizando toda a equipe em torno de ampliar as relações – Crie FOCO – Criada a cultura e
     desenvolvido o processo de relacionamento interno, chegou a hora de aumentar a                              comunidade. Agora é chamar a turma e planejar ações para atingir este objetivo; Um detalhe: 
     O espírito é valorizar as pessoas e não o que eles irão trazer. Cuidado para não inverter os valores.          Gente sempre valerá mais, sempre.

3.  Definindo um programa de contatos com metas e objetivos específicos, esta primeira etapa é              simplesmente para divulgar as ações do Projeto, para tornar os membros do projeto conhecidos              (dos contatos), para criar relacionamento, é um processo para fazer novos amigos, procedam da              seguinte maneira:

3.1 Monte um texto simples apresentando o Projeto; Se possível monte um folder institucional;

3.2 Monte um Power Point (sem muitos efeitos, seja objetivo e prático, em alguns casos será mais recomendável apresentação neste formato);

3.3 Monte um Clipe de no máximo 5 minutos; (Em alguns casos você poderá deixar uma cópia com a pessoa ou empresa);

3.4 Organize um Script para determinar um padrão único de apresentação, isso será muito útil nas etapas seguintes; (todos devem falar a mesma coisa, com a mesma ênfase para evitar contradições e equívocos);

3.5 Convide Pessoas e empresas a conhecerem o Projeto;

3.6 Torne-se amigávele tente conhecer as pessoas;

3.7 Convide Pessoas e empresas a pensarem sobre as necessidades foco do Projeto;

3.8 Convide os que se tornarem mais assertivos a conhecer o Projeto ou uma ação do Projeto; (ex. Trabalho com população de rua, visita à famílias carentesetc.)

3.9 Defina um prazo e o número de visitas e novos contatos que deverão ser realizados, sugiro 60 Dias e uma média de 200 Novos contatos;

3.10 Faça encontros periódicos para avaliare rever as ações; não tema em fazer correções, apenas não perca o foco;

Ações paralelas:

3.11 Após o primeiro contato faça pelo menos uma ligação semanal para o novo contato, ligações informais;

3.12 Envie um e-mail semanal com conteúdo pessoal, desejando boa semana, cumprimentando pelo aniversário, desejando sucesso etc;

3.13 Uma passadinha para o Café;

3.14 Envie um cartão do Projeto;

3.15 Seja objetivo;

3.16 Não seja inconveniente, chato, pegajoso...

4. Fase de Eventos – Organizando o grupo de amigos; Agora chegou a fase de organizar e definir os primeiros "membros" desta Comunidade de amigos comprometidos;  Nesta fase vamos buscar conhecer mais intimamente nossos contatos e fazê-los interagir, isso é importante para se consolidar o pensamento coletivo de cooperação uma vez que as pessoas formam conceitos e agem com muito mais facilidade nesse contexto;

4.1 Jantar / Almoço solidário – Café da Manhã - De maneira informal convide um grupo de no máximo 25 contatos para um jantar; O formato deve ser informal, familiar e aconchegante; Escolha um local agradável, (Casa, restaurante, sítio, pousada etc);

4.2 Cuide do ambiente, leve pessoas que alegrem e interajam com muita facilidade, aja como se fosse um jantar em família evitando ao máximo qualquer formalidade;

4.3 Tire um momento (no máximo 10 minutos) para apresentar o Clipe ou Power point do Projeto; Fale sobre as ações e sobre os custos;

4.4 Faça perguntas abertas aos participantes, pergunte se têm dúvidas, se já trabalharam em algum tipo de ação social, o que pensam da situação social do nosso público alvo;

4.5 Converse sobre a necessidade de ter um grupo comprometido para manter as ações do Projeto;

4.6 Fale sobre um compromisso financeiro e passe uma proposta por escrito para cada um;

4.7 Pergunte se alguém gostaria de apresentar sua proposta naquele momento; Isso geralmente incentiva outros a fazerem, ou não;

4.8 Dê seqüência no evento de forma descontraída e informal;

Agora temos a fase do Seguimento "Super Importante"

Nesta Fase é que daremos sequencia aos relacionamentos já iniciados, é aqui que construímos uma cultura cidadã em nossos parceiros, é aqui que os preparamos para assumirem papeis importantes nos projetos, é aqui que se discute, se educa, se debate, se conscientiza.

5. Fase do Seguimento – Mantenha os procedimentos orientados na seção ações paralelas;

6. Organize um segundo encontro pedindo a cada participante para trazer um convidado, mantenha contato para confirmar estes convidados;

7. Refaça os convites para mais 25 novos amigos;

8. Refaça a programação do item 4. Agora certamente será um evento maior, mantenha o mesmo espírito, fuja do formalismo;

9. Faça um Planejamento para realizar este ciclo a cada 60 dias; Ao final de um ano você terá realizado este ciclo por 6 vezes e certamente já terá construído uma comunidade de amigos comprometidos com o Projeto;

Este é um modelo simples de ação de captação de recursos, o que quero neste contexto deixar claro é a questão do Planejamento e do espírito da estratégia, ou seja, temos que viver e ser antes de levar e convidar;

Quando os executivos do terceiro setor compreendem essa necessidade, podem começar a acrescentar a função e o valor estratégico como fatores decisivos para a captação de recursos humanos e financeiros. Estão aptos para escapar da armadilha de se guiar pelos ciclos de doações espontâneas ou mantenedores esporádicos, prática comum e não raro improdutiva, porque pode resultar em conseqüências que vão além da sustentabilidade, mas comprometem todo ciclo de atendimento e gera um interminável turn over de profissionais;

Três critérios principais definem as ações de Captação de Recursos. Os executivos do terceiro setor têm de compreendê-los para de fato acrescentar valor real aos "diálogos estratégicos" de que participam em suas incursões.

Esses critérios a seguir determinam se as ações de captação de recursos de um projeto são capazes de criar um interesse suficientemente forte para gerar crescimento consistente em sustentabilidade e apoio institucional.

O que as empresas procuram?

Critério 1.

Pertinência, Sentido;

Seu Projeto faz sentido? Atende a uma demanda imprescindível?

Critério 2.

Confiabilidade e competência;

Sua administração é confiável? Seu Planejamento, estratégia e recursos são adequados?

Critério 3.

Visibilidade, nível de participação;

A participação de minha empresa faz sentido?Qual o papel de minha empresa nestas ações?

Basicamente sua proposta precisa identificar esses elementos para que encontre resposta no meio empresarial; Mas tenha algo sempre em mente, Planejamento e Disciplina são as chaves para se conseguir colocar em prática e obter resultados duradouros e significativos em Projetos de Captação de Recursos humanos e financeiros,.

Se precisar de ajuda, conte conosco para iniciar programas de Captação de Recursos e auto-sustentabilidade em seu Projeto,

Tel. (31) 3082-7271 – e-mail: contato@muciomorais.com

 

Contrate as Palestras e Treinamentos:

  • Captação de Recursos para o Terceiro Setor;
  • 10 Projetos para Captar recursos na Comunidade;
  • Como desenvolver um Plano permanente de Captação em seu Projeto Social;
  • Gestão para o Terceiro Setor;
  • Igreja Servidora, Transformando sua comunidade em um Projeto Social;
  • Responsabilidade Social das Empresas;
  • A Formação integral do cidadão (Palestra para empresas)
  • Desenvolvimento de Programas de Voluntariado;
  • Legislação do Terceiro Setor; 
  • PNL aplicada a Educação Social;
  • Organizando um Projeto Social;
  • Liderança para terceiro setor;

Múcio Morais
Palestrante Motivacional, Palestras Motivacionais,
Seminários, Workshops,
Consultoria e Treinamentos para o Terceiro Setor;


Autor: Múcio Morais


Artigos Relacionados


SolidÃo...

No Vale Terá Tura

Maior LiÇÃo De Vida

TraÇos De Um Povo

Quem Sou Eu...quem és Tu ?!

Moradores Do Tempo

DiÁrio De Um Depressivo