Saudades



SUDADES

 

Quase morro de saudades,

Das paisagens e das palmeiras.

Dos pássaros lindos e felizes,

Das matas de Seringueiras.

 

Quando via as araras,

Nas copas das castanheiras.

Os homens que aqui moravam.

Os antigos seringueiros.

 

Bem próximo deste lugar,

Lá no Rio Bananeiras.

Viviam os aborígines,

Hoje nome Seringueiras.

 

Bem próximo deste lugar,

As árvores quase no céu.

Que banha este município,

Por nome de São Miguel.

 

Hoje vejo este lugar,

Mata quase não tem mais.

Os pássaros quase se foram,

E junto os animais.

 

O maior rio daqui,

Onde vivem os jacarés.

O nome eu não disse tudo,

É são Miguel do Guaporé.

 

Autor: João do Rozario Lima

Joanzinhorosario31@hotmail.com

 


Autor: João do Rozario Lima


Artigos Relacionados


Confesso

Sonhos De Crianças

Zarpando

Minha Mãe

...e Quem Não Quer Possuí-la ?!!

Semeador

Poema Dedicado