Recolocação Depois dos 45 Anos



Navegando pela internet a procura de novas noticias e fatos sobre recolocação, encontreialgumas novidades.

As empresas e o mercado estão sempre à procura de talentos, não significa que após os 45 anos, esses profissionais não servem mais para atuar em cargos e empresas, porem, esses cargos são mais difíceis e escassos, além de serem mais disputados.

Se este profissional desejar retornar ao mercado, é necessário traçar uma estratégia bem elaborada. A primeira etapa é estar aberto à ouvir novas propostas que fujam aos padrões convencionais. Feito isso acione sua rede de relacionamentos, cultivada durante os anos de trabalho. Quando for elaborar seu currículo de destaque às realizações profissionais conquistadas durante esses anos e não os objetivos pretendidos para o futuro. Sua história de carreira e realizações já esta traçada diferentemente de jovens que estão no inicio de carreira.

O profissional nessa faixa etária, ao ser demitido, não duvida da sua capacidade, mas tem dificuldades em controlar o seu lado emocional.

Normalmente esses profissionais devem procurar uma recolocação em empresas menores. É mais fácil de agregar valores por conta das experiências conquistadas durante a carreira.

Agora não dá para negar que o tempo que se leva para alcançar este objetivo é mais longo se compararmos com os jovens talentos. - Em média leva-se 4 meses para conseguir uma nova posição para profissionais de até 40 anos, e ao ultrapassar a barreira dos 40 anos, chega a durar 6 meses e até mais. O que o profissional dessa faixa etária tem que demonstrar é disposição para enfrentar extensas jornadas de trabalho, o que não se deve fazer é mostrar-se dono de idéias antigas e ultrapassadas. Para se ter sucesso é necessário mostrar-se atualizado.

Porém, nem todas as oportunidades seguem a cartilha convencional. A maioria das empresas, preferem oferecer aos profissionais dessa faixa etária, cargos que não criem vínculos empregatícios.

Porque isso ocorre?

Julga-se que o profissional com maior experiência o salário desses profissionais são mais altos, e para ser competitivo, deve-se privilegiar o ganho liquido. Outra saída e atrelar a remuneração ao desempenho e aos resultados conquistados.

Acima dos 45 anos o profissional deve…
- Manter-se aberto às oportunidades com encargos trabalhistas reduzidos, como prestação de serviço, consultoria, contrato temporário ou diretoria estatutária.
- Destacar no currículo as realizações conquistadas ao longo da trajetória e não os objetivos futuros.
- Manter-se permanentemente atualizado técnica e intelectualmente.
- Cuidar da forma física, mantendo a disposição para enfrentar extensas jornadas.
- Usar a extensa rede de relacionamento cultivada ao longo dos anos da carreira.
- Não descartar chances nas pequenas e médias empresas.
- A vasta experiência acumulada, inclusive, pode ser um grande diferencial na hora do recrutamento.

-Atrelar uma boa parte da remuneração a resultados conquistados.

Vejam, todas estas dicas podem ser aproveitadas e encontradas muito facilmente na internet, mas é necessário também que tanto as empresas, quanto os profissionais e consultorias de RH, estejam dispostos a avaliar e a entrevistar esses profissionais, já que na maioria das vezes no fator corte não é experiência e sim faixa etária. Existe aí uma incoerência muito grande, já que na maioria das vezes às empresas tem como idéia fixa de que, profissionais acima de 40 anos com uma longa experiência e conhecimento profissional procuram salários mais elevados, o que não é tão verídico assim, e olham isso como despesa (gasto), e não levam em conta que isso é um investimento, pois aliado a experiência também se economiza na hora do treinamento.

Pensem nisso!

nbs.administracao@gmail.com


Autor: NELSON BATISTA DE SOUSA


Artigos Relacionados


Estágio: A Oportunidade Do Primeiro Emprego

Recolocação No Mercado De Trabalho

O Líder Na Crise

A Perspectiva Construtivista De Ensino

A Recolocação Profissional Mais Eficaz

O Perfil Do Administrador Hospitalar Na Rede PÚblica Municipal De SaÚde De SÃo LuÍs - Ma

O Papel Do Professor De Educação Infantil